quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Pouca Austeridade nas palavras

Num momento em que tanto se fala de austeridade e cortes nos salários, era necessário que da parte dos responsáveis políticos houvesse uma maior preocupação em transmitir unidade e vitalidade.
Ora, o que está a acontecer é precisamente o contrário.
Cada um diz o que pensa sem ter a noção do seu alcance.

Cavaco Silva abriu as hostalidades e sugeriu um caminho diferente daquele que está a ser seguido pelo governo. É verdade que a cor é laranja mas a coerência mantêm-se.
Passos Coelho fez de amuadinho e não compreendeu as palavras de Sua Excelência o PR. É importante ouvir aquilo que o máximo representante da Nação tem para dizer. Ferro Rodrigues pediu a demissão do governo já em 2013 caso as medidas da troika não surtam efeito. Pode ser que estejamos a assistir ao regresso de Ferro à politica nacional. Quem sabe substituindo Seguro.
Convêm não esquecer que outros laranjinhas e rosas andaram por aí a espalhar a sua opinião sem serem convidados. A Esquerda mais radical já sabemos com o que contamos, por isso nem vale a pena analisar.
Se isto é unidade vou ali e já venho.
Se a declaração dos politicos é normal, já a entrada em cena de Jorge Jesus na discussão não faz nenhum sentido.
Todos nós sabemos das qualidades do actual treinador do Benfica em fazer subsituições ou contratar guarda-redes e até mesmo no seu português, mas era desconhecido a sua aptidão para questões politicas e económicas.

E não é espanto para todos que Jesus disse aquilo que todos dizem. Estes políticos não prestam.
Com estas afirmações, o treinador do Benfica vai ser indicado para liderar o movimento de indignados que vai crescendo no país. Pior vai ser lidar com adeptos do FCP e Sporting. Mas isto se Luis Filipe Vieira libertar JJ para outras actividades. Mas só se ganhar o campeonato e a Champions....

Espera-se portanto que outros cidadãos que tenham ou não aptidão para o assunto, venham debitar a sua opinião e se juntar ao rol de opinadores nacionais que tem aparecido para falar sobre a crise e as medidas a seguir.
Esqueçam Keynes e o liberalismo económico porque quem tem Jesus tem tudo.

2 comentários:

Fatyly disse...

Pouca Austeridade ou pouca autoridade e convicção nas palavras?

Quanto ao resto...cada um é livre de dizer o que quer...porque, por enquanto vivemos uma democracia...mas não por muito tempo porque o barco cada vez vai tendo mais furos!!!

expressodalinha disse...

Há Antes de Jesus e Depois...

Share Button