Etiquetas

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O suspeito do costume

Como se novidade fosse, Alberto João Jardim voltou a ganhar as eleições na Madeira. Com maioria absoluta. Ao invés, o CDS quadriplicou o eleitorado madeirense, o PCP baixou consideravelmente o mesmo eleitorado, o Bloco esfumou-se, e o PS foi a lástima que se viu. A primeira lição destas eleições é dada pela preponderância a direita face à esquerda. Em tempo de austeridade seria natural que o proteccionismo da esquerda se notasse, aumentando a presença politica, fragilizando, assim a direita e as suas ambições liberais. Assim não o foi. Segunda lição: muitos politólogos desdobraram-se, durante a noite de ontem, com as teorias do parlamentarismo para dizer que, na verdade, os madeirenses não elegeram Alberto João, elegeram, isso sim, o Parlamento da Madeira. Alberto João seria como o apêndice que vem agarrado à maioria absoluta elegida. Errado. (Ainda) segunda lição: Alberto João Jardim ganhou as eleições na Madeira. Quer fosse do PCP, PS, PTP, PEV, etc, etc, etc. , ganharia sempre. E ganharia porque Alberto João Jardim personifica o protectorado da liderança politica face ao seu povo. E, em tempos austeros, o povo pede protecção face às necessidades que se avizinham. Ele, Alberto João, sim, é o verdadeiro vencedor. Mesmo sem o reclamado contraditório. O suspeito do costume. Como se pudesse haver outro.

1 comentário:

Fatyly disse...

Tal e qual e maisnada!

Share Button