Etiquetas

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O Palerma que ganha 3 milhões de euros......

.....ainda concorda com o corte nos subsídios de férias e natal.
Apesar disso Mexia não vai cortar os subsidios na sua empresa.
Infelizmente ainda continuamos a assistir a declarações infelizes de altos gestores públicos. A frase proferida por António Mexia é um exemplo disso.
Mas uma pessoa que ganha cerca de 3 milhões de euros e vem dizer isto numa altura de crise, é porque não tem noção da realidade.
Em primeiro lugar é preciso ter respeito por aqueles que injusta ou justamente vão sofrer cortes nos seus salários.
Em segundo lugar, uma pessoa que tem um passado feito na função publica e que "viveu" basicamente da mordomia do Estado, não pode num momento destes vir a publico proferir uma declaração daquelas.
A razão de alguns protestos e indignação social é pelo facto de pessoas como Mexia não serem afectados pela austeridade. Porque é que Mexia não abdica do seu salário milionário???
E não dá o exemplo?
Muitos culpam os politicos pela situação em que o país se encontra, mas ninguém fala dos milionários gestores publicos que passam anos em inaugurações e empresas.
Mexia devia seguir o exemplo de Cavaco Silva e de muitos Ministros que estão a cortar nas regalias.

2 comentários:

expressodalinha disse...

A mim impressiona-me mais os subsídios vitalícios dos ex-políticos que vieram agora a lume. De qq forma o Mexia devia estar mais calado. Mas a descrição nunca foi apanágio deste peralvilho.

Fatyly disse...

Se fosse só ele a não abdicar do seu salário milionário...o pior é que há muitos e nuitos mais e até o que fala expressodalinha e hoje não há mais outros autrocentos porque Sócrates acabou com isso em 2005.

Sobre isso tenho post agendado.

Mas gostaria era de saber qual foi o exemplo de Cavaco Silva e de "MUITOS?" ministros que estão a cortar regalias, sei apenas que Cavaco optou (por imposição do novo executivo) pelas reformas (uma delas de...e em...onde nunca pôs os pés), que é muito superior ao ordenado como PR e 2 ministros e o secretário de Estado que renunciaram ao subsidio de alojamento. NO entanto o PR foi ao Açores como uma comitiva e peras que mais parecia que ia para um teatro de guerra!
Não...a gordura dos estado está nos subsidios de Natal e férias, nos cortes abismais na Educação e na Saúde, onde de facto o despesismo é grande mas não da forma que estão a fazer onde paga sempre o justo pelo pecador!

A gestão dos dinheiros públicos devia era estar a cargo de todas as mulheres que gerem BEM o seu orçamento familiar!

Share Button