Etiquetas

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

100 dias sem Estado de graça

Ontem o Governo completou 100 dias no exercício das suas funções. Logo a abrir o PM extinguiu os governos civis e algumas direcções gerais, mas a sua grande medida de entrada foi o corte de 50% no subsidio de natal equivalente ao salário minimo nacional. A partir daqui o governo perdeu o estado de graça que a maioria dos executivo goza precisamente até aos primeiros cem dias.
Uns dizem que foi um acto corajoso, outros afirmam que foi uma medida de insensibilidade social. O que é certo é que o Executivo de Coelho perdeu aí os votos que tinha ganho nas urnas.
Mais tarde vieram mais anuncios de cortes e finalmente apareceu um plano para acabar com a gordura na Administração Publica. A prometida vassourada veio com alguns meses de atraso. Isto segundo as promessas governativas.....
Vem aí o Orçamento de Estado e Passos Coelho já prometeu que não aumenta o IVA. A TSU vai ser reduzida e estamos á espera do planeamento económico apresentado por Alvaro Santos Pereira.
Foram estas as principais notas de destaque do governo de Passos que tem de estar amarrado ao programa da Troika, mas todos já sabemos que esta não é perfeita.
No meio uma entrevista esclarecedora e a prometer não apoiar Jardim, pelo menos no plano institucional.
O grande teste à credibilidade do governo vai ser o OE. E a partir desse momento vai começar a verdadeira e grande contestação ao governo que vai durar quatro anos.
Uma coisa é certa, este governo está a "agarrar o touro pelos cornos", como se costuma dizer na gíria taurina.
E isso é de louvar!

Sem comentários:

Share Button