Etiquetas

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Tema do Dia XXIX

"todo o cidadão é um funcionário do Estado" - Novalis sobre a obrigatoriedade de ir votar

Agosto 2011

17 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Não podia estar mais de acordo com Novalis.

Todos somos responsaveis pelo Estado, pela sua eficiência, segurança e cumprimento das normas.

Hoje fala-se muito em crise e na culpa dos políticos. É muito comum em Portugal culpar o vizinho pelo nosso insucesso. A isso chama-se inveja e cobardia.
Num sentido menos duro, diria que os portugueses são um pouco "cobardes".
Veja-se nesta situação especifica.

Como disse atrás, muitos culpam os politicos pela crise, como que fossem eles os unicos responsáveis pelo que estamos a viver.
Os cidadãos esquecem-se que também fazem parte do Estado e todos nós temos culpas da crise. O sucesso e insucesso o país é obra de todos.
É óbvio que quem tem responsabilidades governativas deve ser alvo de julgamento eleitoral. Mas não podemos lavar as mãos como pilatos e fazer de conta que isto não tem nada a ver connosco. Sendo também nós funcionários do Estado temos a obrigação de ajudar que este funcione bem e correctamente. Em primeiro lugar não nos alheando dos problemas e em segundo não fugir quando as coisas correm mal. No fundo, temos de participar activamente na vida do Estado e isso implica votar na hora das eleições.

Custa-me ver muitas pessoas a culparem os politicos pela actual situação.
Não são as familias que recorrem ao crédito para comprar um simples frigorifico?
Para ir de férias?

E o pior é que dizem mal e depois não querem participar na escolha dos seus representantes porque, segundo dizem, são todos iguais.

Esta frase de Novalis não podia estar mais acertiva. As pessoas mais do que um direito, têm o dever de participar na vida política e social de um Estado. Cumprindo as suas obrigações mas também exigindo respostas imediatas e concretas.

Esta é uma primeira análise. Sobre a obrigatoriedade de ir votar falarei mais tarde

Fatyly disse...

"Esta frase de Novalis não podia estar mais acertiva. As pessoas mais do que um direito, têm o dever de participar na vida política e social de um Estado. Cumprindo as suas obrigações mas também exigindo respostas imediatas e concretas."

Mas diz-me lá como fazer/exigir respostas imediatas e comprovativos principalmente no que toca à corrupção, no desvio e desvario de dinheiros que vieram de fora ao longo de anos e que não há culpados, de mudar o despesismo "à moda portuguesa, crédito para tudo e mais tarde se verá como pagar", na ou da incontrolável acumulação de taxas na àgua, luz e gás, para não falar dos combustíveis, da eleição da nova administração da CGD de um compadrio político vergonhoso onde um dos...acumulada vários cargos administrativos noutras áreas para além do agora, o que se passa na Madeira ironicamente com o PSD... etc. etc?
Depois o simples povão fica a perceber algo mais com os debates televisivos e telejornais que quando falam fazem-no de forma...sabes bem como não é?

Só se andar de fisga na mão e ir aos melros, não? Meu amigo mudam as moscas a m**** é a mesma, melhor dizendo não há nada melhor que manter um povo "burro" (custa-me tanto dizer isto), porque tudo o que vejo e me faz revoltar ponho a boca no trombone já que luto e não me calo, mas sou apenas uma pequena peça neste xadrez...mas hoje que era o aniversário de Zeca Afonso digo o mesmo que ele cantava..."eles comem tudo, eles comem tudo...e não deixam nada" e nisto culpo os políticos SIM!

VOTAR SEMPRE...mas a credibilidade dos actuais políticos anda de facto pelas ruas da amargura e dei o beneficio da dúvida a PPC e PP...mas esta da CGD já encheu o meu copo em demasia.

Francisco Castelo Branco disse...

Mas que mal tem isto da caixa? Não vejo qual o problema sinceramente.....

Esse comentário proferido revela bem aquilo que eu disse inicialmente.
É um baixar de braços que em nada ajuda a devolver a credibilidade à democracia, por isso é que Novalis disse que todos os cidadãos são funcionários do estado.

Todos nós temos responsabilidade naquilo que acontece e não são apenas os politicos.
Também há isso tudo fora da politica, porque não refere isso? não a choca isso?

Francisco Castelo Branco disse...

Dizer mal e não fazer nada em prol da democracia não é coerente

Fatyly disse...

Desculpa lá FCB, mas deves ter lido rapidamente o que escrevi, está lá tudo e é um baixar de braços? Como assim? Ou será que o meu português é diferente do teu?

"Todos temos responsabilidades naquilo que acontece e não são apenas os políticos" mas tu vives em que planeta? qual é a minha ou a tua responsabilidade e como fazer com que voltem atrás - NÃO VOTEI NELES MAS RESPEITO O VOTO DO POVO e dou ao actual governo o benefício da dúvida - nas decisões que tomam?

O que eu faço é apresentar SEMPRE a minha reclamação com o que não concordo mas dando alternativa, em sede própria e ou através de mail, certo? Ou queres que vá de fisga e pimba?

Não digo mal por dizer, já comentei que, sim senhora...para já o actual Ministro da Educação falou e disse o que disse de forma entendível e concordo com as medidas, certo?
Também já afirmei que SIM á cobrança da ponte 25 de Abril, mas para onde vai o dinheiro? até agora não tive resposta do "saco sem fundo que é a BRISA ou Lusoponte", certo?

Mais...alguma vez um político atender-me-ia caso quisesse falar com ele?
Nem na Câmara Municipal isso é possível.

A falta de coerência, e desde já peço-te desculpa, vem da tua parte...ora diz lá como fazer, dá pistas, não é só escrever o que escreveste e já agora o que fazes e da forma que fazes perante o que não concordas.

Agora não entro em manifestações sindicais nem arruaças de rua e muito menos em greves por mil motivos, mas fui mulher para, depois de farta de greves na CP e andar em alternativas porque se faltasse descontavam-me o dia e fazia-me muita falta, andar 2 meses, repito, 2 meses sem comprar o passe, no local da vinheta tinha "Estou de greve", um direito que me assiste como à CP. Incómodos? imensos desde ir ao chefe da estação até sei lá onde, que movessem uma acção porque eu jamais deixaria a minha posição.
Até hoje...nem acção e nunca fui posta fora do comboio!

Quanto "ao fora da política ou dos políticos" vai lá ler de novo o que escrevi...ok...está nisto:"de mudar o despesismo "à moda portuguesa, crédito para tudo e mais tarde se verá como pagar",

e já agora acrescento que devo bater o recorde do uso do Livro de reclamações e entupimento de caixas electrónicas - MAS SEMPRE COM EDUCAÇÃO E RESPEITO!

Francisco Castelo Branco disse...

"Mas diz-me lá como fazer/exigir respostas imediatas e comprovativos principalmente no que toca à corrupção, no desvio e desvario de dinheiros que vieram de fora ao longo de anos e que não há culpados, de mudar o despesismo "à moda portuguesa, crédito para tudo e mais tarde se verá como pagar", na ou da incontrolável acumulação de taxas na àgua, luz e gás, para não falar dos combustíveis, da eleição da nova administração da CGD de um compadrio político vergonhoso onde um dos...acumulada vários cargos administrativos noutras áreas para além do agora, o que se passa na Madeira ironicamente com o PSD... etc. etc?
Depois o simples povão fica a perceber algo mais com os debates televisivos e telejornais que quando falam fazem-no de forma...sabes bem como não é?"




Isto para mim é baixar os braços

Francisco Castelo Branco disse...

"qual é a minha ou a tua responsabilidade e como fazer com que"


é quando as coisas estiverem mal e não concordamos, não dizer simplesmente mal e fazer com que as coisas mudem.
Mais, não penso que seja justo meter tudo no mesmo saco e ter sempre a conversa que os politicos são uns corruptos e uns vigaristas.
Isso é não é verdade.

Francisco Castelo Branco disse...

"Mais...alguma vez um político atender-me-ia caso quisesse falar com ele?
Nem na Câmara Municipal isso é possível."

www.parlamento.pt e www.portugal.gov.pt

já mandei e-mails e obtive resposta. É para isso que eles lá estão. Para servir as pessoas, porque sem elas não estariam naquele cargo, certo?

Francisco Castelo Branco disse...

Quanto "ao fora da política ou dos políticos" vai lá ler de novo o que escrevi...ok...está nisto:"de mudar o despesismo "à moda portuguesa, crédito para tudo e mais tarde se verá como pagar",

e já agora acrescento que devo bater o recorde do uso do Livro de reclamações e entupimento de caixas electrónicas - MAS SEMPRE COM EDUCAÇÃO E RESPEITO!


já uma forma de mudar. Eu também já apresentei muitas coisas.

não podemos é ficar descontentes e desapontados por as coisas poderem ser "assim " ou "assado". Temos de lutar contra isso.
Até porque há muita coisa positiva

Francisco Castelo Branco disse...

Pergunto : deviam ou não as pessoas ser obrigadas a votar?

para diminuir a abstenção e aumentar a participação...

a participação cívica devia ser obrigatória?

daga disse...

Estou de acordo com a frase de Novalis no sentido em que realmente todo o cidadão deve participar no Estado com vista ao bem comum da sociedade. Em relação ao voto, esta responsabilidade implica não se abster desse direito/dever porque é um benefício da democracia. Com efeito, se não queremos ditaduras (venham elas de onde vierem), temos a obrigação de usufruir dete direito cívico. Mas eu preferia que fosse uma obrigação moral do que coercitiva. Nunca deixei de votar e não foi preciso obrigarem-me por lei.

Francisco Castelo Branco disse...

Concordo.

O que fazer para que seja considerado uma obrigação moral?

Não ter uma atitude passiva, ser construtivo, não ser parcial....
vários factores

Francisco Castelo Branco disse...

se as pessoas fossem obrigadas a votar, isso resolveria o problema?

Fatyly disse...

FCB
Pois eu discordo, o que disse não é baixar os braços, porque sempre lutei com as armas a que tenho acesso, em sede própria ou no correio electrónico e aponto os defeitos e elogio as qualidades dos ou nos actos e peço justificações.
Já obtive resultados bem positivos a nível camarário, mas a nível dos vários governos quem sempre respondeu foi apenas o "automático" e dizes que é " para isso que eles lá estão. Para servir as pessoas, porque sem elas não estariam naquele cargo, certo?" certo mas ZERO.

No Portal do governo até tinha, agora ainda não fui lá ver se se mantem: "Fale com o Presidente, apresente as suas..." etc. e alguém dá cavaco a quem os incomoda?

Pois é, vou passar a pôr um DR atrás do nome!

Como há muitos que não votam, deveria ser obrigatório, e não desisto de nada e...

era o que faltava não poder demonstrar, escrever ou dizer se estou descontente e desapontada por as coisas poderem ser "assim" ou "assado", ou seja dizer o que sinto e lutar contra a minha verdade seria ir contra tudo o que a meu ver engloba a democracia! Nada nem ninguém me calará e jamais deixo os meus deveres de cidadania e cívicos - com actos e acções e não 31 de boca - por mãos alheias. Quando discordo é porque tenho pensamento e cabecinha e não vou atrás dos outros apenas por ir. Posso mudar de opinião numa conversa, ou até aqui, porque é assim que aprendemos todos os dias e respeito a visão de todos e a tua é claro...porque a minha liberdade termina quando começa a tua...

e no que me toca...estás redondamente enganado:)

Fatyly disse...

Ah e estás no teu pleno direito de correres comigo, por este espaço é teu e agora vou jantar porque se faz tarde!

Um abraço com o devido respeito!

daga disse...

Uma obrigação moral tem de partir da própria pessoa, que deve reflectir sobre o privilégio de viver em democracia, de ter liberdade de expressão e de não viver num regime de partido único... pensar que a abstenção acabará por levar a um desgaste da democracia (mesmo que os partidos sejam responsáveis por esse desgaste os cidadãos também o são)!
Se as pessoas fossem obrigadas a votar, sentir-se-iam menos livres, mas sinceramente não sei se resolveria o problema...

Francisco Castelo Branco disse...

Eu acho que não resolveria, até porque muitos votariam "ao calhas" e sem oonsciência.

E penso que a abstenção tambem faz parte da democracia.
É criticável aquelas votações acima dos 90%......

O que deve ser feito é instruir as pessoas a participarem cada vez mais

Share Button