terça-feira, 12 de julho de 2011

A verdadeira injustiça social

Afirma-se muito na nossa sociedade, principalmente na Esquerda, que o sector privado é claramente beneficiado em relação ao público, nomeadamente no que respeita legislação e direitos adquiridos. Não concorda nada com esta visão. Se olharmos bem para as regalias que os nossos funcionários publicos têm, é injusto qualificarmos este sector como o mais prejudicado. Em termos de horários, direito a férias, a possibilidade de fazer greve, entre outros. Ora, apenas na questão salarial podem ter razões de queixa. Mas é o sector privado que produz mais riqueza e também gera mais emprego, enquanto que o Estado por norma não investe e cria postos de trabalho, mas sempre à custa do contribuinte. Se pensarmos bem, no sector privado trabalha-se horas excessivas, muitas vezes sem direito a remuneração, alguns sectores, nomeadamente os estagiários são muito mal pagos, muitos deles são usados como autênticos paquetes, não têm a possibilidade de fazer greve quando estão contra determinada norma, e ainda há a questão dos recibos verdes. Outra questão que me causa estranha é o porquê de na Administração Publico o vinculo ser eterno. Não queremos nós renovar os quadros? Integrar gente nova? Criar emprego entre os mais novos? A facilidade com que se despede no sector privado é absurda e indigna num Estado de Direito Democrático e onde se pretende alcançar a justiça social. O pior de tudo é os trabalhadores independentes não terem direito a subsídio de desemprego. Com esta medida é que se conseguia maior justiça social.

5 comentários:

Fatyly disse...

No sector público ainda se continua a ganhar mais e a trabalhar menos e mal e porcamente (salvo raras excepções)que no privado e acrescidas de todas as regalias que referes, mais as famosas baixas, e irem para outros locais anos a fio e o lugar anterior ficar "reservado" o que não ocorre de todo, no privado.

Os trabalhadores independentes, pois de facto não têm e sabes porquê? porque é onde está a maioria de...e mais de...que ganham o que querem e só declaram o mínimo e ainda se dão ao luxo de dizerem que não passam recibo! Por uns...pagam os outros! Estarei errada?

De resto subscrevo porque de facto há muita "injustiça social"...mas poderias ir muito mais além e se aprofundares bem verás...o impensável!

Francisco Castelo Branco disse...

bem fatyly era bom que também fosses mais além para que isto não seja um monologo...

se ganham o que querem é porque trabalham para tal. Cada um ganha o que merece, mas todos têm direito a protecção social, através do Estado.

Porque é esse uma das tarefas do Estado

Fatyly disse...

FCB parece mesmo um monólogo, mas desconfio que muitos assistem de bancada:)

Não sou contra o que cada um ganha, mas fico piursa quando nos debates querem nos comparar com países da UE onde de facto tudo corre bem, desde o vencimento até...sei lá eu! e porquê?
Porque até mesmo os independentes, pagam impostos porque sabem bem a sua aplicabilidade, mas por cá só uma minoria é que paga e muitos pelos serviços que prestam! Por vezes com 1 ou 2 empregados descontam aos... e não declaram ao Estado. Fecham e os trabalhadores onde ficam e com que cara?
Porque até os pequenos agricultores colocam à porta os bens que produzem e uma caixa onde quem quer compra e PAGA, e o dono declara o recebimento, (ex.arredores da Dinamarca) e cá é ver quem mais gama e depois de bolsos cheios ainda exigem protecção social?

Claro que sim, todos deveriam ter "tal protecção" porque de facto é essa "a tarefa do Estado", mas a maior tarefa para poder dar...é fiscalizar que nos últimos 20 anos tem sido UMA VERGONHA,

mas não me peças a receita "como sair desta" porque sou apenas gestora, fiscalizadora, economista, trabalhadora não remunerada (apenas com beijos babosos e com chuchas:) ) da minha magra reforma onde fui bem penalizada por não me terem contado 4 anos de descontos e apesar de não ser da geração à rasca, sempre andei...à rasca.

Já não falo no SNS nem na Justiça que então rapaz... seria o fim da picada:)

Um abraço e agora vou jantar, és servido? olha que chega, basta ter vontade e acrescentar água no feijão:)

expressodalinha disse...

Acresce, nos recibos verdes, a dedução para a Segurança Social, Para muitos, uma impossibilidade de pagar. Pusemos o mundo de pernas para o ar.

Francisco Castelo Branco disse...

e ainda por cima com o IVA a aumentar

Share Button