sexta-feira, 1 de julho de 2011

Primeiro Julgamento

Ontem Passos Coelho estreou-se no Parlamento com a apresentação do programa do Governo. E foi logo com uma notícia bomba que surpreendeu o Parlamento e o país : o subsídio de Natal vai ser retirado em 50% apenas este ano.
Foi uma proposta inesperada, mas que vem na linha daquilo que o actual Primeiro-Ministro tem dito desde a campanha eleitoral.
À esquerda do PSD, foram várias as reacções : O PS prometeu ser uma força responsável, já os partidos radicais não perderam tempo a atacar o governo. Embora o BE tenha optado por um discurso menos violenta, relacionado com recente votação nas legislativas.

Pode-se discutir a viabilidade do corte no subsídio de Natal, mas como diz e bem o Primeiro-Ministro, perante esta situação não podemos deixar de aproveitar oportunidades para cortar. Até porque isto leva-nos a outra questão que é a viabilidade financeira e social da existência de 14 salários, quando só trabalhamos 12 meses por ano.

Julgo que não vamos ficar por aqui.

Vimos um PM certo do seu caminho e das suas ideias. Muito seguro para quem se estreava na tribuna. Há muito que não viamos um Primeiro-Ministro com ideias claras e objectivas.

Primeiras Impressões:

Governo - Bom. Há que dar um estímulo a este governo porque tem uma tarefa dificil pela frente.

PS - Bom. A sua reacção à nova medida do governo foi excelente. Não entrou em ataques inuteis e até se preocupou com a Justiça pela voz de Ricardo Rodrigues.

PCP - Suficiente. Começou logo ao ataque, mas por razões sociais.

BE - Suficiente. Não teve a habitual linguagem bélica e ontem tinha razões para isso.

PSD e CDS - Bom. Vai ser dificil sair da mesma linguagem de apoio ao governo durante a legislatura.

4 comentários:

Fatyly disse...

Ouvi o debate inteirinho e digo-te FCB há anos que não ouvia um tão a sério numa sala de meninos e meninas bem comportados, onde a Presidente por duas vezes mandou calar para que quem falava fosse ouvido.

Pois, 50% além dos 485€, atinge-me pouco, mas o meu pouco faz falta, mas pelo menos que dê para tapar um buraquinho. Se já lá ficaram com 18,50€ IRS que este lhes faça bom proveito.

Mas, se não me falha a memória, numa saída em campanha, disse a uma aluna que não iria cortar nos subsidios de férias e Natal, mas ninguém fixou a data, mas fixei eu porque a filha faz anos nesse dia:

Sr. 1º. Ministro está perdoado, porque foi a mentirinha que pregou no dia 1 de Abril, não foi? Claro, eu compreendo.

Temos que aguentar e seguir em frente pois são eles que têem a faca e o queijo na mão e pobre de mim por ter sido trabalhadora por conta de outrem e não há como fugir.

Luis disse...

De um Amigo recebi este comentário apropósito do tema que transcrevo:
"Não é justo que em proporção sejam os mais pobres a pagar a crise: Vejamos quanto se vai RECEBER de subsídio de Natal:
Quem ganha 2000 recebe 1242
Quem ganha 3000 recebe 1742
Quem ganha 5000 recebe 2742
Quem ganha 10000 recebe 5242
Para haver justiça social, seria mais adequado até aos 2.000 receber o total do salário mensal e acima desse patamar e até aos 5.000 recebiam o mesmo (2.ooo). Daí para cima não receberiam nada e pouca diferença isso faria no seu nível de vida.
Bem sabemos que o Governo não tem coragem para enfrentar os mais poderosos. Nestas situações é que se vê a autoridade moral!
AJS"
Concordo em absoluto e até seria prejudicado se tal medida fosse aceite pois quem mais precisa deve ser menos prejudicado. Aliás tudo isto se deve às "trapalhadas" do anterior governo!

Francisco Castelo Branco disse...

fatyly

pelo que tenho ouvido, aqueles que ganham menos não vão sair prejudicados.

Aqui está uma medida social.


Quanto a essa entrevista, acho que é para desvalorizar. Não a resposta mas o momento.
Tenho a certeza que Passos Coelho não fez isto com leviandade. Mas ele bem avisou e as pessoas já devem estar preparadas.
Isto não vai ficar por aqui.

Socrates também disse o mesmo? não. Socrates sempre disse que já não era preciso mais austeridade...

Francisco Castelo Branco disse...

caro Luis

Não concordo nada. Até porque quem vai ser mais prejudicado são aqueles que ganham mais do que o Salário minimo nacional.

E não ouviu Pedro Mota SOares a dizer que as pensões minimas não vão ser cortadas e quiça aumentadas? Lembra-se do PEC IV que queria cortar nas pensões?

Em termos sociais, começa bem o governo

Share Button