segunda-feira, 25 de julho de 2011

DUELOS INTELECTUAIS - 2º ACTO (CONTINUAÇÃO)

Para mim não há uma evidente contradição entre liberalismo social e social democracia. Haverá sistemas diferentes de financiar a "coisa pública". E é disso que estamos a falar quando alternámos de partidos no poder, a seguir às últimas eleições. Para mim é deprimente pensar que o modelo social europeu possa ser posto em causa. Seja qual fôr a ideologia política que estiver no poder, o estado social é um aquisição fundamental do post-industrialismo selvagem. Houve abusos? Sem dúvida. Cedências excessivas ao poder laboral? Sem dúvida. Mas em termos civilizacionais, é o sistema mais bondoso do mundo. A questão é outra. Será que podemos manter esse modelo numa época de globalização? Como se financiam todas as "conquistas"? Será que a especulação e manipulação dos mercados globais se compadecem com um excesso garantístico? A deslocalização da mão-de-obra permite manter padrões sociais tão elevados? Será que estas "conquistas" sociais se podem manter com o excesso demográfico actual? O mundo está a mudar. A mudar muito e depressa. Conseguirá a Europa acompanhar? O modelo português é o modelo europeu. Por isso, mais do que falar de Passso Coelho, importa falar da Europa. Da União Europeia. Dos impasses e desmandos. Da falta de vontade de Bruxelas. Da irrelevância da Comissão Europeia. Do eixo Paris-Berlim. Dos interessas alemães. Da falta de nível da Sra Merkel. Era para aí que gotava de levar a discussão...
Jorge Pinheiro

10 comentários:

Eduardo P.L disse...

O que me preocupa é o número enorme de perguntas e questões, e poucas ou nenhuma resposta, proposta ou solução!

Francisco Castelo Branco disse...

respondo mais profundamente no proximo post mas aqui deixo algumas opinioes....


É verdade que a Europa está a cair, o modelo social europeu faliu, daí que seja necessário implementar medidas mais liberalizantes, só que por outro lado isso pode levar a desigualdades.


Temos de fazer o nosso trabalho, felzimente jamais perderemos a nossa soberania, ao contrário do que a maioria augura e prevê.

Se Portugal cumprir o acordado, não devemos ter problema.
Se a Europa cair, cai como um todo e quem fica mais prejudicado podem ser os países como italia, espanha, frança, alemanha porque são essas economias que concorrem com os eua, china e os bric.

Francisco Castelo Branco disse...

Eduardo

não se percebe a razão da demora de tantas decisões. Baixar as taxas de juros e os pagamentos serem feitos a 15 anos já é alguma coisa

Francisco Castelo Branco disse...

Vem aí uma nova vaga de eleições na europa

França e Espanha em 2012 e Alemanha em 2013... a Bélgica continuará sem governo mas não interessa

Esperemos que a mudança tambem se faça a nivel eleitora. Temos de acreditar com novos lideres alguma coisa se resolva...

veremos

Em portugal as coisas estão a mudar

Francisco Castelo Branco disse...

Portugal, e sobretudo a Europa perderam oportunidade de se desenvolverem .

A entrada do EUro e a politica schengen não fizeram o velho continente mais unido e forte. Antes pelo contrário.....criaram-se mais problemas

expressodalinha disse...

Apenas porque os egoísmos se mantiveram. O grnde problema foi o alargamento. O muro caiu cedo demais.

Francisco Castelo Branco disse...

é uma coisa que venho a dizer há muito - o muro caiu mas o alargamento foi rapido demais..

Francisco Castelo Branco disse...

Amanh vou falar deste assunto mas não quero desvendar mais nada

Eduardo P.L disse...

Francisco e Jorge,

o curioso é como a opinião dos analistas internacionais divergem da percepção que, vocês Portugueses, tem sobre a crise, sobre seu país, e sobre o euro.

Francisco Castelo Branco disse...

eduardo

qual é então essa percepção?

Share Button