sexta-feira, 15 de julho de 2011

Anedotas : o gato (II)

Um dia frio de inverno, chega o Joaquim na loja do Manuel.

- Manuel, quero uma dessas bolsas de borracha em que a gente coloca água quente e que serve para aquecer a cama e manter os pés quentinhos. - Que azar, Joaquim ; hoje de manhã vendi a última à Dona Maria.

- E o que é que eu faço com este frio do diabo que faz à noite?

- Fique tran...quilo, eu posso emprestar-lhe o meu gato.

- O teu gato?

- Meu gato é gordinho, podes colocá-lo nos pés na hora de deitar, e vais ver como ele vai te aquecer a noite toda. Na próxima terça-feira chegam as bolsas, vens cá, devolves-me o gato e levas uma bolsa.

- Tudo bem. Obrigado.Joaquim pega no gato e vai-se embora para casa. No dia seguinte, volta com a cara toda desfigurada, arranhada pelo gato.

- Manuel, vim devolver o gato de merda, ele não vale nada! Olha como me deixou, o filho da puta!

- Mas como! O que aconteceu? Ele é tão manso!

- Manso? Uma ova! O funil no cú, até aguentou bem, mas quando comecei a deitar a água a ferver, aí ficou uma fera

3 comentários:

Sakana disse...

SONHOS QUENTES E DELIRANTES DE UM CORRUPTALHO

www.sakanagem.blogspot.com

Fatyly disse...

A Moody´s retirou o meu comentário e o post que tinhas depois deste? hehehehehehehehe:)

Ou terá sido o pobre gato? gargalhadas:)

Francisco Castelo Branco disse...

estava mal formatado.

Aqui ninguem baixa o rating a ninguem

Share Button