Etiquetas

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O Rei e o Príncipe

Como será a relação institucional e pessoal entre estes dois? Terá certamente traços de uma relação feudal, em que o Rei manda e o Principe obedece com a cabeça.
Passado o exagero, o melhor que podia ter acontecido a Passos Coelho foi ter a certeza que nós próximos quatro terá um Presidente da Republica silencioso. À imagem do que sucedeu no primeiro mandato de Socrates, o PR passará da magistratura activa falada em Janeiro deste para uma cooperação silenciosa.
O facto de Passos Coelho não fazer parte do seu "entourage" laranja não muda o cenário.
É o ultimo mandato de Cavaco com PR e por certo ele não quererá se incomodar, até porque o PM terá de responder perante a Troika e não a Belém.

Aliás, o que veremos é um Cavaco Silva bastante protector em relação ao Primeiro-Ministro. Quando este tiver que enfrentar a contestação social, o PR vai afirmar que " o PM está a ter coragem". Algo que nunca fez com Socrates.

Temo bem que Cavaco Silva funcionará para Passos Coelho como um pai quando o filho não sabe o que fazer da vida....ou da governação.

4 comentários:

expressodalinha disse...

É um raio de pai... mas, pai não se escolhe.

daga disse...

que cínico, Jorge... ;)

peço desculpa FCB (acho que é assim que se tratam aqui:)), não consegui resistir a uma palavrinha ali ao JP... Mas, em relação à sua análise, considero-a muito pertinente! e com certeza será assim que se passará.

Fatyly disse...

Como será a relação institucional e pessoal entre estes dois? A de sempre...e silencioso? não sei não, este PR é uma caixinha de surpresas, mas só se for por estar à beira de terminar mais "um acréscimo à sua choruda reforma".

Para já desejo boa sorte ao novo governo e que o mesmo seja mais credível e eficiente do anterior...e que não ponha(am) lá figuras dos seus partidos...há gente empenhada em todos os quadrantes políticos!

expressodalinha disse...

Sem dúvida. Espero que sim.

Share Button