Etiquetas

terça-feira, 28 de junho de 2011

O primeiro excluído

Bernardo Bairrão, Administrador da Media Capital e o homem que levantou o caneco quando uma novela da TVI ganhou um Emmy, foi convidado para ser secretário de Estado adjunto do Ministro da Administração Interna, só que uma opinião contrária relativamente à privatização da RTP foi fatal.

Passos Coelho não terá gostado e vetou o nome. Não me parece que tenha sido uma boa opção, porque antes de mais está a competência técnica e humana e só depois as opiniões. E ainda por cima a pasta da Administração Interna nada tem a ver com o sector das comunicações. Até porque a sua "opinião" pessoal não iria afectar a restante governação.

Foi um mau começo para o novo governo que na semana tinha dado excelentes exemplos. Se foi por causa da privatização da RTP, então Passos Coelho não podia nunca ter feito uma coligação com o CDS, já que estes são completamente contra.

Não se compreende este caso, tanto mais que não vai ser uma prioridade deste governo nesta legislatura vender a RTP ao capital privado.

3 comentários:

Fatyly disse...

Não sei...mas se de facto foi apenas pela sua opinião...lá está a tal direita que falei noutro post, a funcionar, o que é mau! A venda da RTP e outras vai ser mais rápida do que pensas...e só não me vendem a mim porque estou fora da validade:):):)

Mas já agora o que faria Bairrão na Administração Interna? Não o vejo com perfil para "o barulho e confusão"!

O meu voto de confiança continua...a ver vamos!

Anónimo disse...

Venda da RTP? Mas qual venda? Acha que isto é a praça onde se vendam batatas? A RTP não vai ser vendida porcaria nenhuma. Pode é ser privatizada, que é coisa diferente.

Não faço ideia onde tiraram esses cursos de Direito...

Anónimo disse...

Eiii. Bai dar uma ganda bolta...

Share Button