Etiquetas

quarta-feira, 22 de junho de 2011

"Essa cambada de medíocres não entra na Ordem"

Foi assim que Marinho Pinto, bastonário da Ordem dos Advogados reagiu à Acção intentada em Tribunal pelos advogados estagiários que pretendem não pagar 700 euros para realizar o exame da 1ª fase do Estágio.
Existe rumores para que os examinadores chumbem a maioria dos estagiários.
Tudo por causa de Bolonha. Processo que Marinho Pinto não reconhece legitimidade.
Aqui está um trabalho para a nova Ministra da Justiça. É urgente que o Estado intervenha nesta questão mas também noutras, e que não deixe os mais fracos sozinhos.
É tempo dos agentes da justiça comportarem-se como homenzinhos, porque as pessoas lá fora começam a duvidar cada vez mais do sistema judicial.
Não me lembro de em Portugal, alguma Ordem atacar tanto quem a quer representar. O problema é que é apenas uma personagem, por sinal o seu máximo representante.
Cá está um sinal de uso do poder absoluto.
Tem que se por fim a isto, e Paula Teixeira da Cruz tem de intervir imediatamente. Começando por dar alguns calmantes ao Bastonário

21 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

por favor, alguém que faça alguma coisa!!!!

Fatyly disse...

Sinceramente não estou por dentro da questão que referes dos advogados estagiários, daí não saber se Marinho Pinto tem ou não razão, porque doa a quem doer...este homem tem o que muitos não têm - frontalidade, honesto e uma carreira profissional de se lhe tirar o chapeú, porque ele FAZ em vez de mandar FAZER, ele DIZ o que muitos tentam ESCONDER debaixo do tapete.
Depois fala para o povo de forma entendível, e nos inúmeros casos em que ele derrubou "o faz de conta" venceu sempre!

Não é sinal nenhum de "uso do poder absoluto", é pegar o touro pelos cornos, porque se assim não fosse teriam feito o que Nuno Júdice (quem te viu e quem te vê) e outros canatrões bem queriam...a não reeleição como bastonário.

Francisco Castelo Branco disse...

Ele quer que os estagiários paguem 700 euros para fazer o exame de 1ª fase que dá acesso à 2ª do Estágio, quando nós já pagámos 250 de inscrição e exame no inicio do ano.

Ele fez um despacho no meio do jogo a mudar as regras, para que os estagiários desistissem de fazer o exame. Como vai acontecer se o Tribunal Administrativo não nos der razão.

Além de que ele está a pressionar os examinadores para que cortem o mais possivel.

Eu acho que essa de pegar o touro pelos cornos nem sempre tem bons efeitos. mas fica para depois

Fatyly disse...

Lidei com centenas de estagiários e o que vocês se esfalfavam para obter "presenças em julgamentos".

Se for assim, "fazer um despacho no meio do jogo a mudar as regras para que desistam" é mau, mas há que aguardar a decisão do Tribunal Administrativo. Irei às minhas fontes saber mais pormenores:):):)

Oxalá que surjam bons advogados num "jogo limpo" e que tu sejas um deles, força aí porque precisamos de gente com garra!

Fatyly disse...

Atenção que "as minhas fontes" não tem nada a haver com quem decide, mas com quem ainda se encontra no activo como advogado e dois pelo menos com estagiários, neste estagiárias!

Anónimo disse...

Cara Ftyly,

Afirma já ter lidado com centenas de estagiários e, segundo as suas palavras, os mesmos esfalfavam-se para obter presenças em julgamentos. Pergunto-me se nunca terá sido advogada estagiária e se, ao invés, acedeu à profissão mediante o regime especial para docentes universitários e juristas de reconhecido mérito. Ou isso ou tinha estágio remunerado ou pais ricos para financiar o mesmo.

PS: O termo correcto não é "não tem nada a haver" - como escreveu no seu comentário - mas antes, porém, "não tem nada a ver". Aconselho-a a estudar gramática portuguesa.

Atentamente,

Um dos medíocres advogados estagiários

Anónimo disse...

Cara Ftyly,

Falou na carreira do Sr.º Bastonário? Qual? O 32 para a Ajuda, ous dez anos para acabar o curso com uma média idiota, ou a carreira de jornalista? hum? qual delas?

Atenciosamente,

Medíocre advogado estagiário
(licenciado com média final de 15 valores, em 4 anos, sem chumbar qualquer cadeira no curso, ensino diurno, na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Se quiser, coloco o diploma on line...emitido a uma terça-feira).

Anónimo disse...

Medíocre advogado estagiário 2,

À sua semelhança, eu também me licenciei numa faculdade de direito "clássica", mas somos rivais - eu estudei na FDUC ehehe :D

Colega, sabe o que me choca? Ver advogados e advogadas com supostos anos de experiência a escrever "á" ou "ás" em vez de "à" ou "às", a confundirem termos científicos básicos ( coisas que se aprendem no primeiro ano de faculdade e nunca mais se esquecem), a dizerem "alugar casas" em vez de ser, como é correcto, "dar de arrendamento", etc,etc.

É que muitos não conhecem a dureza que é tirar um curso de Direito com bastante esforço e dedicação. Muitos não passaram por uma FDUC ou FDL mas, ao invés, por faculdades de direito com metodologias de ensino e métodos de avaliação duvidosos. No fundo, muitos não são verdadeiros juristas coisíssima nenhuma.

Atentamente,

Medíocre advogado estagiário 1

Francisco Castelo Branco disse...

Caro Advogado estagiário 1

Acho que não é por ser da FDL, nova, FDUC, Catolica ou Lusiada ( como eu...) que se deve fazer a selecção.

E também não acho que o escrever "às" ou "ás" tenha relevância.
Essa do alugar em vez de dar de arrendamento é problemático.

O mercado é que deve ditar as leis. Quem é bom tem sucesso, os maus desaparecem.
Não deve a Ordem impedir que alguém se candidate, porque o bastonário acordou mal disposto.
A OA deve funcionar como o Estado. Regular a actividade e deixá-la funcionar.

O problema começa nas faculdades, porque Bolonha foi mal implementado e interpretado, como acontece na maioria das politicas deste país.

Felizmente há mais escolhas do que apenas a clássica.

Fatyly disse...

Jasusssss como é que eu vou responder a esta bagunça toda?

Caro Anónimo nº.1
Começo por te dizer que não sou Ftyly, mas Fatyly apelido ou alcunha que o meu pai me deu mal nasci.
Segundo, não sou advogada, daí nunca ter sido estagiária, mas trabalhei com vários advogados(as), centenas ou milhares de processos de toda a espécie, centenas de idas a tribunais, estagiários que por lá passavam e outros que passaram por onde eu trabalhava...etc. etc. e nas centenas "oficiosas" que todos eles tinham, quer nos cinco últimos 5 anos no país que me viu nascer, quer nos trinta e dois em Portugal! Portanto todo o meu aprendizado foi diferente e sabia bem o que era um curso de direito e o exercício do mesmo, de cor e salteado os "canhanhos" que serviam de base. Pais ricos? não, aprendi muito à minha custa e ficaria aqui a noite toda, mas não me apetece. Parabéns pela tua licenciatura e vai em frente!
O termo que usei "haver" está correcto sim senhor, ora lê de novo sfv...as minhas fontes (amigos que deixei e de longa data) não tem nada a haver (não devem nada, não há ligação, são melhores) com quem decide! Correcto? Já agora ainda não adoptei o acordo ortográfico! Gramática? Se me dessem 1 euro por cada erro que alertei com quem trabalhava, hoje não estaria aqui, certo?
Caso nunca tenhas dado um "erro" deves ir para o museu, porque se aprende muito com os erros e o teclado por vezes falha.

Um abraço e amigos na mesma:)

Fatyly disse...

Desculpa Anónimo nº2, que deves ser o mesmo...amanhã prometo vir responder, porque agora vou dormir, já que jamais deixo alguém sem uma resposta cordial.

Aviso-te já que ao reler há um "5" a mais e até vou dormir melhor com o erro:):):):)

Mi aguardi e inté

Fatyly disse...

Anónimo nº.2 - 15 valores:)

Conheço a carreira de Marinho Pinto apenas e tão só por notícias na imprensa escrita, embora o tenha visto várias vezes nos corredores dos tribunais, mas nunca falei com ele, nem nunca calhou ser advogado de defesa ou acusação. Para mim é um homem imensamente directo, sem pápas na língua e põe o dedo na ferida sem mas, nem meio mas. Erros e defeitos claro que os tem, como tu e eu...mas depois do que Nuno Júdice e outros disseram a seu respeito, eis que foi de novo eleito Bastonário da Ordem dos Advogados. És contra? eu não e se o elegeram é porque merecia, assim como respeito quem elegeu PPC, porque a minha liberdade termina quando começa a tua.
Se MP demorou dez anos a tirar o curso já lhe perguntaste se trabalhava enquanto tirava o mesmo? Olha que talvez seja por aí e muitos com "médias idiotas" metem num chinelo outros "com médias de 15 ou mais". Não tomes isto como agressão, mas é no "batente ou com a mão na massa" que se tira as provas dos nove e quem pensar o contrário, o melhor é partir para outra.
Mais te digo: para se ser advogado e ou prosseguindo a carreira para se ser juiz é preciso GOSTAR, mas GOSTAR MUITO. Conheci advogados 5*****, tive colegas que trabalhavam comigo e que tiraram cursos superiores após horário laboral, porque não tinham papás que os ajudassem e a esses tiro o meu chapeú. Agora quem tinha oportunidade para tirar, como uma das minhas que tirou (a outra não quis) (nem te digo o que tirou e a nota quer do curso quer do doutoramento, porque aí é outro campo que preservo), a minha regra era: eu trabalho para vós e ai de andarem a brincar ou passear os livros, porque só havia o meu ordenado e mais nada.
Voltando a Marinho PInto, não retirouma vírgula do que disse e deveria haver mais Marinhos Pintos para dizerem da sua justiça em vez de porem debaixo do tapete numa de parece bem!

Respondido?

Amigos na mesma:) e acho que não dei erros (gargalhadas)

Fatyly disse...

Li, como sempre leio os comentários e os restantes já é um debate...gostei, mas não me meto nem opino. Erros ortográficos todos damos e até nos post que aqui são apresentados vejo alguns, mas escreve-se à velocidade do pensamento...bem ao contrário quando se faz manualmente, e os que referem já são termos judiciais ou jurídicos e sinceramente...enfim!

Há dias peguei no Código Civil e Penal, estive quase para os comprar para reler "as alterações infindáveis que foram feitas" pelos anteriores executivos (desde os que prevaleciam com o cunho de outro grande senhor, Laborinho Lúcio)...mas não me interessa e optei por guardar o dinheiro para uns gelados extras e aqui e noutros, vou aprendendo e tentando não perder o comboio de rodas quadradas em que se tornou a nossa JUSTIÇA!

O futuro está nas vossas mãos e força que atrás vem gente...JULGO EU DE QUE...

Huno disse...

Cara Fatyly,

As minhas desculpas. O meu comentário foi curo, e com algunms erros. Mas, reparando na resposta, não me posso silenciar (aliás, não devo!).
Ora, a minha licenciatura (sumariada acima) foi tirada enquanto eu trabalhava como operacional da PSP, 10 horas por dia, em regime de trunos, À chuva, ao sol e ao vento (nas ruas, portanto). Muita svezes saí da Esquadra do Campo Grande depois de trabalhar (não dormir) das 01H00 às 07H00 e às 09H00, lá estava, nas aulas.
No terceiro ano da licenciatura(2008) nasceu a minha linda filha. Muitas noites a estudar para os exames e, quando era precisao e não era preciso, tratar da menina, ajudar a minha mulher, etc. Coisa de Pai dedicado.
Portanto, medíocre é coisa que o Sr. Marinho e Pinto a mim não me chama. Não lho admito. A minha licenciatura ao pé da dele é uma obra de arte, de esforço, mérito e sacrificio, comparada com uma passagem de 10 anos(!!!) para tirar um curso de Direito com um média idiota, o que, por comparação, equivale a um rabisco feito pelo aluno baldas na aula de desenho.
Minha cara, o Sr. bastonário foi jornalista profissional mais tempo que foi advogado, lembro-me bem do seu ar nos programas matinais da TVI. Qual carreira? o 32? Eu, e digo-o com orgulho, construí uma carreira de 10 anos da qual saí com distinção e louvoures. E, pela segunda vez, irei construir outra que terá o mesmo desfecho: distinção e louvoures. O Bastonário, ao contrário do que diz, não tem categoria, sequer, par ser bastonário dele próprio. É insano.
Mas, são opiniões. Eu, confesso, admiro Salazar (finanças, organização administrativa) e Marcelo Caetano (organização administrativa). Folgo em saber que admira Marinho e Pinto. Salazar ganhou o prémio do grande português..mas era um concurso..

Amigos na mesma..

Anónimo 2 (licenciatura na FDL com média de 15 valores em 4 anos).

Huno disse...

Desculpe os erros..é a pressa.

anónimo 2 (o tal).

Huno disse...

Esqueci-me de uma coisa (até para ser justo com a minha mulher). Não houve papás a pagar curso, nem livros, nem nada. Não houve papás nem empregados a tratar da casa nem da nossa filha. Batente? Mão na massa? Como disse um enorme professor de direito, depois de uma excelente prova oral de melhoria de nota: "O sr.º sim! Um exemplo de aluno que esta casa tanto precisa e, aos poucos, vai deixando de ter".
Em suma: se mais Marinhos e Pintos houvesse, como Judice (José Miguel disse, no programa que tinha com Álvaro Barreto), o PCP era governo.
E isso, era mau, muito mau. Já viu a liberdade na China?

Amigos na mesma.

Anónimo 2

Francisco Castelo Branco disse...

Este bastonário, acho que nem noção do que é ser advogado, quanto mais bastonário...

Fatyly disse...

Hugo-Anónimo 2 -o tal

Deixa para lá os erros, mas rapaz tiro-te o meu chapeú e Marinho Pinto chama mediocre de um modo geral e tu sabes bem, melhor do que eu porque já estou longe disso (e lidei com alguns mediocres para não dizer outra coisa pior), que de facto e infelizmente há mediocres.
Mas continuo a dizer, que não conheço a carreira dele, apenas do que leio e oiço e se o elegeram, sobretudo quem disse tão mal dele, sinceramente então anda tudo doido. Gosto do ouvir e da forma como o faz e quase sempre acerta, mas a minha opinião vale o que vale.

Obrigado pela tua resposta, és um pai babadão, empenhado no teu objectivo e como é óbvio com a ajuda da tua cara metade e conseguiste.

Eu pensei também em tirar um curso enquanto trabalhava, mas Direito jamais...e infelizmente, porque também não tinha papás ricos e reformados de modo a darem uma ajudinha, e como fui pai e mãe, não dava e trabalhei que me fartei, sem empregadas em casa etc e tal.

Claro meu amigo, apesar dos pesares prefiro a nossa LIBERDADE do que a ditadura em que cresci e Salazar...que deus mi guarde siô:)

Quando te falei "batente e mão na massa" é após o curso, porque muitos advogados mal acabam o curso, julgam que tudo podem e depois no exercício das suas funções são mediocres.

Força e tudo de bom para a tua filhota e mulher, bens mais preciosos e nunca abras mão dos teus sonhos...e quem sabe se um dia não irei assistir a um julgamento teu:):)

Há dias fui ao tribunal de Sintra e assisti a 3 sobre assuntos distintos...e matei um certa curiosidade em ver a "nova forma das tecnologias modernas", mas não atino com as togas que parecem urubus:)

Adorei ter falado contigo e deixo aqui também um abraço a FCB que contra-atacou o MP :)

Fica bem e amgiso na boa!

Anónimo disse...

Acho que está uma bela troca de argumentos.

Da minha parte, a afirmação do BOA merece duas observações:

1) Não percebo a exarcebada preocupação do BOA com aqueles que pretendem exercer a profissão e que ainda não entraram na Ordem, pois parece que o problema está nos advogados estagiários, e que limitando o acesso à profissão, a qualidade da advocacia vai aumentar... Acho que devia estar mais preocupado com os que já lá estão, pois, ao menos,os licenciados em Direito, quando acabam o curso, renovam o "sistema"..

2)Essa afirmação, implicitamente, parece querer dizer que foram os alunos que pretendem licenciar-se em Direito que escolheram uma licenciatura pós-Bolonha. Pode ter sido uma má opção, mas foi a tomada, e agora, há que aceita-la. Independentemente das faculdades, temos que acreditar que os programas estão a ser feitos para que se tenha uma licenciatura "razoável" em Direito. Não é um exercício muito díficil (basta consultar os sites das faculdades), e chega-se a conclusão que há qualidade na docência. Pelo contrário, já ouvi dizer que na Ordem essa qualidade deixa muito a desejar...

Para aqueles que se gabam da média e da faculdade, apenas digo o seguinte: acho que não é preciso esse tipo de argumentação para se mostrar que se têm razão. Se estamos a falar em liberdade de escolha de profissão, não se esqueçam que cada um é livre de escolher onde quer fazer o curso, em quanto tempo, etc. Acho que esse tipo de argumentação, coloca-nos ao nível do BOA. Por mim, pode chamar mediocre a quem quiser, basta estar ciente das minhas capacidades e prová-las.

Apenas digo que sou uma tosta-mista de licenciado em Direito (dois anos em pré e outros dois em pós-Bolonha).

Francisco Castelo Branco disse...

Caro Anonimo , mais um.


1- O BOA é contra o sistemas e as grandes sociedades, mas foi eleito por elas. O que o BOA não quer é incompetentes, mas deve ser o mercado a ditar quem são os bons e maus, como o colega anónimo diz atrás.
Hoje o BOA diz que vai reduzir o tempo de estágio, instalar o exame de acesso.... mais contradições.
O que eu acho é que o BOA não sabe o que há-de fazer com o estágio. Porquê? não faço a minima ideia.

Se calhar quer reformula a Ordem e está a começar por baixo.

2- Eu sinceramente acho que o BOA está contra o Sistema das faculdades e não propriamente contra os estagiários. Nós apanhamos por tabela, porque o que o BOA quer atingir é esta malta que fez Bolonha assim sem mais nem menos.
É não é menos verdade,que Bolonha foi feito do pé para o ar. Não só em Direito, mas nos outros cursos.
Como se é tipioc em Portugal, as reformas são implementadas ao copianço e sem serem aprofundadas.
Ora, Bolonha é o maior disparate da história do ensino português.

Francisco Castelo Branco disse...

finalizo com um boa sorte para os exames que se avizinham

eu também sou tosta mista.

E na minha cadeira, havia disciplinas que não faziam lembrar a ninguém

porque é que as faculdades de Direito não têm um curriculo igual? assim diminuiam-se as diferenças

Share Button