Etiquetas

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Olhar a Semana - Deolindologia

Muito se tem falado da nova musica não editada dos Deolinda. Um movimento geracional está agora nas redes sociais, blogues e nas câmeras de telemoveis de certos privilegiados.
Ao ouvir aquela musica, pensei que estava perante uma nova revolução iniciada por um grupo musical. Quando ouvi a frase "não vale a pena estudar", seguido de um bater de palmas fiquei preocupado porque pensei que com os meus 24 anos de estudo não iria a lado nenhum. De facto, no nosso país dá-se cada vez mais menos relevância ao diploma e o mais importante é ter o chamado "curso da vida". Nada mais errado.

Não podemos ensinar aos nossos filhos e netos que não vale a pena estudar porque não vamos ter futuro nenhum. É precisamente o contrário, cada vez as oportunidades são menores e se não tivermos um bom pedigree, como quem diz uma boa formação, aí sim corremos o risco de trabalharmos a vida inteira naquilo que não queremos.

Infelizmente nos dias que correm, até uma simples musica consegue mexer com o actual estado das coisas, mas nesta situação o exemplo dado pelos Deolinda não foi o melhor. O pior é que existem cada vez mais pessoas descontentes mas que acham que esta é a melhor solução, daí que já esteja marcada uma mega manifestação para o dia 15 em Lisboa e Porto sob o lema "Geração à Rasca". Veremos quais são as reinvidicações e motivações daqueles que vão protestar, porque nem sempre o Estado pode ser a fuga para a frente. O esforço individual tem de ser sempre a prioridade. E em Portugal ainda não existe esta noção.

Não sei porque é mas se uma musica revolucionária consegue mexer com tantas pessoas é porque algo está mal.

Resta saber se é a mentalidade ou a politica

11 comentários:

Giuseppe Pietrini disse...

Nem a mentalidade e nem a politica. É a economia.

http://cidadaniarasca.blogspot.com/2010/02/daaaaaah-e-economia-meu-povo.html

Cumps,
Giuseppe

daga disse...

não conheço essa música nem esses Deolinda, mas pelos vistos também não faz diferença ;)
se alguém canta que "não vale a pena estudar" é porque nunca aprendeu nada - o que é triste! pois quem já aprendeu, vai querer aprender cada vez mais...
talvez seja um ptotesto contra os programas de ensino que obrigam a decorar sem se perceber, sem se aprender, sem se ficar a saber nada de novo.

Francisco Castelo Branco disse...

daga

não concordo, acho que é mesmo um grito revolucionário.

mas infelizmente não um positivo mas negativo

expressodalinha disse...

Acho que a letra toca em vários pontos relevantes do actual estado negativo das coisas. Mas não acho uma canção de protesto. Acho um hino comercial À AUTO-COMISERAÇÃO DE UMA GERAÇÃO QUE NÃO SABE LUTAR E FICA NA CASINHA DOS PAÍS. No meu tempo partia-se tudo.

Francisco Castelo Branco disse...

mas parece que isso é culpa do Estado e da sociedade.
Porque de facto as pessoas não se esforçam e cada vez mais dependem dos paizinhos

Dylan disse...

Concordo consigo. Deixe-me só dizer-lhe que é bastante ridiculo comparar esta música com Zeca Afonso e outras da época como tanta gente já fez...

Francisco Castelo Branco disse...

isto já se fala hà seculos...

não foram os deolinda que inventaram este situacionistmo todo

expressodalinha disse...

Não está em questão. A canção é acomotacía como a geração. é isso que ela faz: mostrar ao espelho os que a ouvem Esse é o seu "único" mérito (e não é pequeno).

Anónimo disse...

FCB
Só ontem encontrei toda a letra num outro blog.É paupérrima embora traga a mensagem bem clara. Antes porém na " Quadratura do circulo" ouvi Pacheco Pereira dissertando sobre o tema. Nada desta situação é nova a não ser no nosso país. Não vou repetir que as nossas universidades ( e não só!) "despejaram" no mercado de trabalho muitos mais licenciados que os necessários e o resultado está à vista. Um "canudo" já não é um passaporte de garantia para uma boa vida ou emprego certo.Aliás, nunca o foi.Quando saí da Força Aerea (em 72) com 3875 horas de voo(Quase 2500 em Nord Atlas) não tive lugar na TAP.... a oferta era maior que a prócura.Emigrei e não estou arrependido.


Abraço

DCS (atp)

Anónimo disse...

Nota de correcção
no comentário anterior óbviamente queria dizer que " a prócura era maior que a oferta".

DCS (atp)

Francisco Castelo Branco disse...

O problema é que neste país ainda se vive muito nisto.
De cantigas e orações revolucionárias que procuram alertar a população ou então incentivar a juventude a procurar outros caminhos que não o estudar e trabalhar.
bEM SEi que não é obrigatorio cumprir estes ditames, mas uma boa formação nunca fez mal a ninguém.

O que eu acho é que cada vez mais se incentiva os mais novos a não fazerem nada

Share Button