segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

PARADOXO ELEITORAL

Num dia de boicote electrónico, cerca de quatro milhões de portugueses (menos de metade da população com direito a voto) elegeram o Presidente da República para os próximos cinco anos. Cavaco Sillva foi eleito à primeira volta, como se esperava, numas eleições desinteressantes e cansativas que se arrastam penosamente há mais de dois meses. Já aqui foram destacados vários aspectos relevantes: o aparecimento de um espaço para os candidatos independentes; o voto de protesto no epifenómeno Coelho; a aberração da candidatura de Alegre, para quem se anuncia um fim político; o maior número de sempre de votos nulos e brancos (6%). Cavaco Silva foi reeleito com menos 500 000 votos do que aquando da primeira eleição em 2006. Mas há um paradoxo nestas eleições. Algo que ainda não vi tratado frontalmente. Muita gente votou em Cavaco por oposição a Sócrates. Muita gente votou Cavaco perspectivando um derrube de Governo e a subida do PSD ao poder. Enganaram-se. redondamente.Tenho para mim que o voto em Cavaco foi o voto na estabilidade. No compromisso político. Toda a política dos últimos anos envolve os dois actores: Sócrates e Cavaco. Tudo o que Cavaco menos deseja é a queda de Sócrates. Tudo o que o PSD menos quer é subir ao poder nas actuais circunstâncias. Votar em Cavaco foi votar em Sócrates, como ele aliás muito bem sabe e deu a entender. O (pouco) apoio a Alegre foi para "inglês ver". Sócrates só cairá se fizer asneiras monumentais. Se Cavaco derrubar o governo sem motivos óbvios, o PS arrisca-se a ganhar novas eleições. E Cavaco sabe isso. Quem não gosta de Sócrates devia ter votado Manuel Alegre. Arriscava-se era a ter o BE no poder. Paradoxos!
Jorge Pinheiro

7 comentários:

Mena G disse...

Boicote electrónico mesmo... Devia ter tirado umas fotos cá da cidade...
Quase ninguém conseguiu votar antes das 5 da tarde!

João Menéres disse...

Pegando nas palavras da MENA, diria que o boicote saiu furado a quem tentou utilizá-lo como meio.

expressodalinha disse...

Meio para quê?!

Francisco Castelo Branco disse...

excelente analise.

O mais certo é o PSD ficar quietinho enquanto o PS faz asneiras.
Só assim terão mais legitimidade democrática.

Cavaco tem o dom de ter boas analises e conseguir ajudar na resolução dos problemas. e o que ele vai fazer com Jose Socrates

acho uma vergonha a questão do cartão de cidadão. Muito mau mesmo

Francisco Castelo Branco disse...

e mais ainda livrou-se do Alegre!

daga disse...

A maioria dos portugueses não tem a menor consciência dessas subtilezas políticas...mas é completamente verdade aquilo que dizes!

expressodalinha disse...

MAS VÃO TER :(

Share Button