quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Factos da Década(12) : Desaparecimento Sérgio Vieira de Mello

Era tido como um homem de consensos, um pacifista.
Foi por causa desses consensos e da sua vontade em ajudar que morreu. A 19 de Agosto de 2003, um atentado contra a sede das Nações Unidas em Bagdad vitimou um dos mais importantes diplomatas mundiais.
Antes de ter ido em missão para o Iraque, foi o responsavel pela ONU na transição em Timor Leste, tendo tido igualmente as mesmas funções no Kosovo.
A sua missão mais complicada e heróica foi no Cambodja onde entre 1991 e 1996 foi o primeiro diplomata a manter conversações com o Khmer Vermelho.
A sua morte foi trágica porque se tratava de um grande homem e em quem a ONU confiava o reestabelecimento da paz no Iraque devido ao seu trabalho passado.
Não foi o unico a falecer, mas certamente aquele que mais falta fazia. E faz à diplomacia mundial.

2 comentários:

Alexandre Valêntulus disse...

O trabalho mais desafiador do senhor Sergio não foi no Cambojar, embora ali, naquela ocasião, negociar com o Khmer Vermelho apontasse, então, a grande habilidade de negociação do brasileiro. De fato, foi um enorme esforço. Todavia, o mais desafiador trabalho do diplomata foi no Timor Leste, como ele próprio afirmou. Ali, além de representar a ONU, como seu máximo representante na região, desempenhou ainda um papel de "presidente interino". Além de negociar com os pontos de tensão, teve que administrar aspectos deum país como a economia, segurança, estradas, saúde etc. Imagina isso.



Parabéns pelo post.

Francisco Castelo Branco disse...

Obrigado Alexandre e bem vindo.

sem duvida que Sergio Vieira de Mello foi um pacificador.
Pena ter morrido naquelas circunstancias

Share Button