Etiquetas

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Tiririca sabe ler


Dilma foi eleita, mas a grande atração das Eleições Gerais de 2010 foi o palhaço Tiririca.

Com slogans como “Vote no Tiririca, pior que está não fica”, “Vote no abestado” ou “Você sabe o que um deputado faz? Eu também não sei, mas vote em mim que depois eu te conto”, Tiririca foi o candidato a Deputado Federal mais votado do Brasil, com 1,3 milhões de votos de eleitores paulistas.

Desde o início, o Promotor Maurício Antonio Ribeiro Lopes, indignado com a candidatura e o deboche de Tiririca, começou a buscar formas de impugnar a sua candidatura, até que achou um bom argumento: o que de Tiririca não sabia ler.

A Constituição Federal brasileira é clara ao dizer que analfabetos podem votar, mas não podem ser votados e, com base nisso, o Ministério Público entrou com ação alegando que Tiririca era analfabeto e que a declaração por ele apresentada era falsa, pois um estudo grafotécnico demonstrou que o documento havia sido escrito por outra pessoa.

Tiririca foi submetido a um teste de ditado e leitura pela Justiça Eleitoral, muito embora tenha se recusado a fazer perícia para avaliar a veracidade da declaração fornecida para registro de sua candidatura, pois ninguém é obrigado a produzir prova contra si mesmo, nos termos da Constituição Federal (caso fosse comprovada a falsidade do documento, Tiririca estaria incorrendo no crime de falsidade ideológica).

Ele leu dois trechos de reportagem de um jornal e fez um ditado de um trecho de um livro publicado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.

Muito embora o Ministério Público alegue que o desempenho de Tiririca foi terrível, pois não chegou a ler e escrever nem 30% dos textos, e um exame técnico tenha declarado Tiririca como analfabeto funcional, a Justiça Eleitoral se disse satisfeita com o desempenho do candidato, que deve ser diplomado e assumir seu lugar no Congresso Nacional.

O Promotor ainda tentou pedir novo teste de alfabetização, mas o Conselho Nacional do Ministério Público entrou com uma reclamação disciplinar contra ele, sob a alegação de que a forma como está conduzindo o caso não condiz com o papel que o Ministério Público deve desempenhar, pois declarações do Promotor na imprensa demonstram que a perseguição a Tiririca tornou-se algo pessoal.

Pessoalmente, acredito que, de fato, o Promotor apenas se desgasta quando segue nessa cruzada contra Tiririca, porque, querendo ou não, ele foi eleito com 1,3 milhões de votos, muito mais do que Plínio Arruda Sampaio, quarto lugar na corrida presidencial.

Se Tiririca era analfabeto, cabia à Justiça Eleitoral e o próprio Ministério Público haver averiguado isso quando do registro da sua candidatura, não depois de eleito.

Aliás, a eleição de Tiririca demonstra não somente como a classe política está com a imagem desgastada diante do eleitor brasileiro, mas também a falência do nosso sistema eleitoral, com votos proporcionais, uma vez que o pior de Tiririca não é ser analfabeto, mas sim a sua enxurrada de votos ter eleito pessoa como Valdemar Costa Neto, ex-deputado que perdeu o cargo em um escândalo de corrupção.

Larissa Bona

10 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Com tantas eleições é normal que haja casos desses

todos têm de apresentar uma declaração em como sabem ler?

então e a declaração de impostos? certificado registo criminal?

se calhar ha coisas mais importantes.!

Pior do que isso, quem vem confiar a tiririca os seus problemas?
Duvido que alguem.....

Eu vi naquele post dos videos da campanha que havia candidatos muito pior que tiririca...

Se ele foi eleito tem direito a exercer o cargo

Larissa Bona disse...

Sim, é preciso apresentar declaração de imposto de renda, certidão de antecedentes criminais e comprovante de escolaridade.

Como o Tiririca parece não ter comprovante de escolaridade, ele teve de dar uma declaração, escrita a próprio punho, de que sabia ler e escrever.

Ocorre que ele não sabe ler e foi a mulher dele quem escreveu a declaração. Pela lei, não poderia ter sido candidato, além dessa falsificação ser crime, mas isso não foi questionado na hora certa e Tiririca acabou eleito.

Acredito que a vontade do povo tem mais legitimidade que a letra da lei, pois isso foi falha da Justiça Eleitoral.

Tiririca continuará respondendo ao processo por falsidade ideológica, mas terá foro privilegiado por ser deputado.

Francisco Castelo Branco disse...

aí como cá...

e ele vai assim vestido para a Câmara?

Papagaio Mudo disse...

Oi Larissa,

Qual será o percentual de "analfabetos funcionais" em todo território brasileiro?
Eu, conversando com um amigo, cheguei à conclusão que um país de dimensões comtinentais tem enorme diversidade sociolinguistica e respostas socioculturais também (ao sistema), mas nenhuma formalidade. Esse Tiririca é um trovador. Veja,
"O que faz um deputado..." é um verso obtuso, falando em termos literários. A frase do Einstein, no cabeçalho do blog, diz o que estou tentando dizer.
Abçs

Gustavo

Larissa Bona disse...

Gustavo, para ser honesta, a qualidade do ensino público no Brasil é péssima! As pessoas se graduam no ensino fundamental e continuam ser saber ler.

Eles podem assinar o nome, mas são incapazes de interpretar um texto ou entender até mesmo uma notícia de fofoca em coluna social.

O Brasil, por incrível que pareça, tem uma unidade linguística enorme.

Por exemplo, você vai à Espanha ou Itália, que são países pequenos comparados com o Brasil, e encontra centenas de dialetos. Isso não acontece no Brasil, há expressões regionais, mas não há dialetos. Então o analfabetismo é uma questão de falta investimento em educação mesmo.

O Tiririca é uma representação do brasileiro pobre, pois não sabe ler, mas isso não o impede de usar a criatividade e trabalhar.

Há muito tempo que ele faz shows de humor, participa de programas de televisão, nos quais se tem que decorar textos, sem saber ler. A esposa lê os textos para ele, que decora tudo o que ouve para falar na TV.

Larissa Bona disse...

Francisco, o Tiririca disse que não vai vestido assim. Na câmara, ele será o Dep. Everardo da Silva, de terno e gravata.

Francisco Castelo Branco disse...

entao isto foi uma forma de conquistar votos....

Larissa Bona disse...

Na verdade Francisco, Tiririca foi usado como uma estratégia de marketing para eleger outras pessoas.

Aqui no Brasil, as eleições para a Câmara Federal são proporcionais e os eleitos nem sempre são os mais votados, porque é feito um cálculo baseado do quociente eleitoral e partidário.

Acontece assim, primeiro divide-se o número total de votos válidos de uma eleição pelo número de vagas.

Por exemplo, vamos supor que houve 10 milhões votos em todos os partidos e havia 50 vagas, então divide-se 10 milhões por 50, que é igual a 200.000. Este número é quociente eleitoral.

Depois, soma-se o número de votos que um determinado partido teve, por exemplo, 1 milhão de votos e divide-se pelo quociente eleitoral (200.000), que dá 5. Então este partido terá direito a 5 vagas na Câmara.

Os cinco mais votados do partido serão eleitos.

Então, o Tiririca, por ter conseguido 1,3 milhões para o seu partido, não só se elegeu, mas também elegeu a outros 4 candidatos (muito embora alguns deles tenham tido apenas 90 mil votos, pot exemplo).

Na verdade, Tiririca é apenas um fantoche para fazer com que políticos profissionais, mas sem credibilidade, voltassem ao poder.

Anónimo disse...

Larissa
minha amiga,este caso Tiririca é complexo,como se costuma dizer, "daria pano para mangas". Já aqui frizei que mesmo o senado romano de há dois mil anos requeria que senadores soubessem ler mas, depois da tal derrapagem que deixou passar a candidatura do Tiririca,ele foi eleito e a meu ver deve cumprir o seu mandato... a democracia a funcionar no seu melhor!...e vou mais longe,ao longo da minha vida encontrei analfabetos inteligentes,com poder de julgar e de decisão correcto e gente formada sem capacidade alguma além de mostrar o seu diploma e seguir ordens.
Temho amigos brasileiros que se sentem incomodados com Tiririca mas muito mais com a senhora Presidente à qual chamam um nome que não ouso escrever aqui....seria politicamente incorrecto !
Abraço

DCS (atp)

Larissa Bona disse...

Hahahahah DCS, passei meia hora rindo do seu comentário! Eu sei do que as pessoas chamam a Dilma! Hahahahahaha!

O Lula também é analfabeto funcional e nem por isso deixou de ser presidente.

Concordo com você, se era analfabeto que o tivessem impedido de se candidatar, depois de eleito não há mais o que se fazer, porque a voz do povo é a voz de Deus!

Share Button