segunda-feira, 22 de novembro de 2010

7.3 - A Conquista Arabe e a Reconquista

Foi por volta do ano de 711 que os Arabes invadiram a Peninsula Ibérica, vindo do Norte de África expulsando os Visigodos que já se tinham implementado na região.
Devido à questão da sucessão do Rei visigodo Vitiza é que os muçulmanos tiveram bilhete de entrada para a Peninsula.
Após a morte do rei, havia dois candidatos à sua sucessão : Ágila II e Rodrigo. O primeiro teve necessidade de pedir ajuda a Tarik Ibn Ziad, governador muçulmano de África e assim deu-lhe uma porta de entrada na Europa.
O dominio Muçulmano começou por se efectuar na Lusitânia e na Cartaginense. A unica provincia que resistiu às invasões foi o Reino das Asturias.

Em baixo um quadro com o dominio muçulmano na Peninsula :

A partir daqui deu-se aquilo a que se chama a Reconquista Cristâ:

No Século VIII começou a reconquista por parte dos visigodos cristãos das terras ocupadas pelos muçulmanos. Como já foi dito, as Asturias resistiram aos arabes e foi a partir daquele local que se começou a organizar a guerra. Pelágio foi o grande obreiro deste movimento. Ele e outros guerreiros esconderam-se nas montanhas das Asturias e sobreviveram ao dominio arabe.

A primeira grande vitória do exército de Pelágio foi na batalha de Covadonga em 722. Mas foi a batalha de Cangas de Onis que deu o impulso definitivo para que os Arabes saissem da Peninsula e regressassem a África.

Com os mouros fora da Península começaram-se a criar os primeiros Reinos Cristãos. O primeiro a nascer foi o das Asturias cujo fundador seria naturalmente Pelágio, depois veio o Reino de Leão e Navarra. Como já dissemos, Sancho de Navarra no século XI anexou o condado de Castela e quando morreu os seus estados foram divididos pelos seus três filhos.

A Reconquista cristâ, só fica concluída em 1492 com a conquista de Granada e em Portugal apenas com a ocupação de Silves por D.Afonso III em 1253.

Em baixo um quadro com a evolução da Reconquista cristâ:

Sem comentários:

Share Button