Etiquetas

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Assembleia de Pinguins - A casa futura VI

(...) Havia ano e meio que a situação se mantinha.

A previsão do aquecimento global era de dois anos, só que ninguém sabia dizer com precisão quanto tempo tinha passado. Todos estavam esgotados e numa situação de alarme pois a comida escasseava e água era muito pouca. Agora era necessário racionar os poucos alimentos que restavam.

Os Pinguins estavam em maioria. Sobreviveram 499 animais daquela espécie, sendo que todos pertenciam à mesma tribo, enquanto que restantes espécies se faziam representar por um casal. A excepção a esta regra, para além dos pinguins; eram os Ursos que tinham quatro sobreviventes.

Na comunidade pinguim todos se mantinham unidos,devido à acção de Zeguim o novo lider espiritual. Apesar do seu estatuto, mantinha uma relação de proximidade e amizade com os seus melhores amigos Franguim e Carolim, esta uma antiga namorada do novo heroi dos Penguzan.

Perante a proximidade do fim do aquecimento global, o lider teve necessidade de reunir os pinguins todos em Assembleia para discutir como seria o futuro da tribo. Foi no Norte de África que Zeguim reuniu pela primeira vez os seus companheiros. Estava aberto a Legislatura Zeguim.

- Meus amigos, o fim do aquecimento global está próximo. Primeiro queria regozijar-me com o facto não termos perdido nenhum irmão ou irmâ. Apesar do Mestre Minguim nos ter deixado, a nossa familia manteve-se unida e conseguimos sobreviver para que depois deste pesadelo podermos continuar a nossa história.

Ouviu-se uma enorme salva de palmas e gritos de “hurra” e “viva”. A comunidade estava satisfeita por se ter mantido toda viva. Porque se perdessem alguém o resto dos pinguins iriam seguir o mesmo caminho. A união fazia com que tudo se passasse desta forma. Era uma questão de honra de Pinguins. Se um morria em circunstâncias forçadas, os outros iriam atrás dele.

Zéguim continuou o seu discurso.

- Em segundo queria saber o que pretendem fazer quando este flagelo acabar. Voltamos a nossa casa sabendo que o local onde faziamos as nossas Assembleias já não existe ou procuramos outro local neste planeta para viver?.

O pequeno mestre fez uma proposta para o qual ninguém estava preparada para reflectir. Caiu que nem uma bomba entre a comunidade. Seria uma escolha dificil de fazer. Se por um lado, a casa na Antártida e o iceberg Crock tinham uma mistica e sentimento especial, por outro se calhar era preciso arranjar um novo lugar para esquecer a tragédia que se abateu sobre os pinguins.

- Por mim voltávamos para a Antartica. Lá seremos donos e senhores ,pois seremos a primeira tribo a chegar, e podemos ocupar o espaço que entendermos – sugeriu uma efusiva Carolim que se entusiasmava sempre que Zeguim brilhava. Ela estava muito orgulhosa pelo facto do seu ex se ter tornado lider espiritual.

- Penso que devemos experimentar uma nova casa. A Antártida já não é a mesma e se voltarmos para lá a readaptação será dificil pois iremos recordar durante muito tempo aquilo se passou recentemente - foi o que Diminuim disse á plateia.

O chorrilho de opiniões e sugestões durou quase meia hora. Uns queriam voltar para a casa de sempre, outros necessitavam de experimentar uma nova aventura num local completamente diferente.

Uma coisa era certa : independentemente do local onde se iriam instalar, nunca teriam oposição porque eram a unica tribo de pinguins que tinha sobrevivido ao aquecimento global.

(continua dia 29...)

Sem comentários:

Share Button