segunda-feira, 30 de agosto de 2010

6.2 - O feudo - Importancia e caracteristicas

O feudalismo acentou sobretudo nas relações entre o senhor e o servo. Era essencialmente uma relação de submissão, trabalho, dependência do servo em relação ao senhor. Em troca este dava-lhe trabalho, abrigo e comida. As classes sociais estavam muito bem delineadas. Quem nascia senhor, sê-lo-ia para o resto da vida, enquanto que os servos nunca poderiam sonhar em ser Senhor um dia. Todos sabiam o papel que representavam na Sociedade, nunca havendo dúvidas de quem mandava e obedecia. Não havia mínima possibilidade de um servo conseguir almejar o estatuto de senhor, mesmo que a sua dedicação ao trabalho fosse excelente. A época não era de promoções nem recompensas a nivel de estatuto. Para o mais exemplar dos servos, havia a garantia de comida e trabalho, nada mais. E infelizmente, os servos tinham que pagar certos impostos aos Senhores como vimos no subtema anterior. Os Senhores Feudais tinham um poder imenso sobre o seu Feudo. Para além de serem Administradores, eram também Juizes e Chefes Militares. Quer isto dizer, que quem decidia o destino de um servo era o Senhor Feudal bem como assumia a liderança do exército em caso de conflito. Ainda de referir, o facto de o servo ao aceitar trabalhar para o Senhor, estava a dar a vida por ele. A relação de submissão era eterna. Os servos tinham de dar a sua fidelidade ao Senhor ad eternum.......

continua dia 13 de Setembro............

5 comentários:

expressodalinha disse...

Sem dúvida esta era a base dessa relação jurídica medieval, com tradição visigótica, através das castas trazidas pelos arianos da Índia e Norte do Irão. De qq forma, a partir do séc. XII, começou a surgir uma classe livre nas cidades, que viria a dar na buerguesia comercial e empreendedora e nas corporações de ofícios, em especial nos pedreiros construtores de catedais que, inclusivamente, tinham liberdade de circulação europeia. Acresce que o rei não gostava de concorrência... Mas esta é já a queda do feudalismo.

Francisco Castelo Branco disse...

A concorrência era essencialmente feita pela Igreja. Os nobre ou os senhores destacavam-se essencialmente por mandarem nas suas terras.
Era esse o seu unico desejo.

O Senhor teve imenso poder durante este período. Bastava ter um pedaço de terra grande.
Ja agora existem relatos históricos de guerras entre Senhores?

Sim, o feudalismo caiu porque os servos e senhores começaram a deslocar para os centros urbanos.
Estavam-se a criar as primeiras grandes cidades na Europa

expressodalinha disse...

Em Portugal não houve guerras, mas tb não houve verdaeiro feudalismo. Houve um regime jurídico de tipo feudal. Só isso. O resto é residual. Aliás, apenas houve disputas com a Casa de Bragança,que tentou usurpar o poder. Mas o contexto não era feudal. Guerras e muitas houve na Alemanha e França. Constantes guerras entre senhores feudais. A Alemanha ainda tem estados derivados dessas disputas. Os bispos eram exactamente senhores feudais, de armadura, exército e filhos. Tinham ainda o "poder espiritual" e a possibilidade de fazer queixa ao Papa e de excomungar. Não esqueças que as castas arianas eram quatro e a principal eram os sacerdotes (na Índia continuam a ser os Bramanes).

Francisco Castelo Branco disse...

Pensava que os sacerdotes viviam nos templos religiosos e nas casas dos Reis lol.

Nunca pensei que possuissem a própria terra.

expressodalinha disse...

Se possuiam... A igreja é deste Mundo!

Share Button