segunda-feira, 1 de março de 2010

Obama "ignora" a Europa

Em Maio vai-se realizar em Madrid mais uma Cimeira UE-EUA. A convite do Primeiro-Ministro Espanhol, vai ser a capital espanhola palco da discussão dos temas que estão mais em voga. O armamento nuclear do Irão, a situação no Chile entre outros assuntos.
Desta vez, os lideres europeus não vão ter a companhia do seu homologo norte-americano.
Barack Obama não vem à cimeira que se realizará em Madrid no próximo mês de Maio. Por questões internas, diz o Presidente Norte-Americano. Obama tem eleições intercalares e não quer "perder" tempo com a Europa.
Ou será por outro motivo?

Com esta atitude, Barack Obama parece querer estar a desvalorizar e a se interessar pouco pela Europa. Não a considerando importante, preferindo outras paragens como a Russia ou mesmo a China. Estrategicamente, parece que a União Europeia não faz parte dos planos de Obama. Porque o crescimento económico e as alianças militares já não são com os europeus. Mas sim com os russos e chineses. Porque é destes que vem o capital. E também a maior ameaça à estabilidade mundial.

Penso que numa cimeira EUA-Russia, Obama não faltaria. Até porque se tem dado muito bem com Medvedev e Putin. E é preciso o apoio destes para travar o Irão.

Barack Obama já não parece interessado numa aliança com o velho continente. Porque já não interessa. E a Europa parece estar a perder força em comparação com outras potências. A Europa assim vai ter que contar com os seus membros e talvez "construir" um governo federal.

Com este "desprezo" de Obama, pergunta-se....

A Europa está cada vez mais só?

4 comentários:

expressodalinha disse...

Obama é que está cada vez mais s+o. Obama prcisa dar aos USA uma legitimidade moral que não tem. Só a Europa o pode ajudar.

Francisco Castelo Branco disse...

mas como se a UE ja passou a quase quarta ou quinta potencia?

Uma Europa Federal torna-la-ia mais forte?

O Australopithecus disse...

O Obama tem menosprezado a Europa desde o início do seu mandato, não é a primeira vez e o presidente que caiu nas graças de tantos europeus já foi autor de situações bastante embaraçosas. Contudo acho que o presidente americano não devia esquecer quem são os seus verdadeiros aliados. Quando (se) ele precisar, não é com a Rússia e muito menos com a China que irá contar.

Quanto à Europa federal anda cada vez mais na moda falar nela mas sinceramente acho uma ideia bastante difícil, impossível até. Pela sua riqueza histórica e cultural e até por algumas rivalidades que ainda subsistem, ninguém pode estar mesmo à espera que se peguem em nações milenares e se faça algo do género "Estados Unidos da Europa". Acredito que se se perguntar a qualquer europeu se gosta da UE, a maioria dirá que sim, mas perguntando se é a favor de uns "EUE" a esmagadora maioria dirá um não redondo.

Francisco Castelo Branco disse...

Austrolopithecus

Não é essa sensação que tenho. E aqui no blogue já falámos disso variadissimas vezes

mas concordo. Obama tem-se chegado muito mais para a Russia e tentado amizades com a China.
Esquecendoa a velha aliança atlantica.

Share Button