terça-feira, 16 de março de 2010

Brasil x Israel: A guerra dos túmulos?

A notícia que estampa as manchetes dos cadernos internacionais dos jornais e portais da internet esta manhã é uma polêmica causada pela visita de Lula a Israel, a primeira de um presidente brasileiro ao Oriente Médio nos últimos 100 anos.

E o imbróglio da vez foi a recusa, do presidente, à proposta israelense de visita ao túmulo de Theodore Herzl, fundador do movimento Sionista. A princípio, a agenda Lula previa apenas uma visita ao Museu do Holocausto e ao túmulo de Yitzhak Rabin.

Então, o governo de Israel sugeriu que o presidente do Brasil também visitasse o túmulo de Herzl, porque este ano se comemora o seu sesquicentenário.

O Itamaraty (Ministério das Relações Internacionais do Brasil) recusou a proposta, alegando que os dois últimos chefes de Estado, que passaram por Israel – Sarkozy e Berlusconi, não visitaram o local e, ainda, pediu esclarecimentos, uma vez que pareceu muito inoportuna tal sugestão, já que, em seguida, Lula visita a Palestina.

Em boicote à recusa brasileira, o Ministro de Assuntos Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman não compareceu à sessão especial do Parlamento israelita na qual Lula discursou e defendeu a coexistência pacífica do Estado de Israel e da Palestina, diga-se de passagem, e o fim das armas nucleares (que os judeus fabricam).

Em Israel, a atitude de Lula está a ser vista como um insulto, pois nenhum outro chefe de Estado havia recusado prestar tal homenagem, e muitos entendem que isto sabota as intenções do Brasil de atuar como mediador no conflito com os palestinos.

E para piorar, o presidente brasileiro, ao chegar à Palestina, visitará o túmulo de Arafat! Eu nunca tinha visto uma briga tão grande por conta de defuntos!

Muito embora não seja simpatizante de Lula, acredito que Israel não foi muito legal com nosso presidente, pois este, quando sair de Israel, vai à Palestina e uma visita ao túmulo de Herzl lhe criaria um mal-estar por lá, antes mesmo de chegar.

A meu ver, essa visita nunca seria proposta a Lula se, em vez de ir à Palestina, ele voltasse imediatamente para casa, depois da visita em Israel.

E acredito também, que a visita de Ahmadinejad ao Brasil, no ano passado, e a de Lula ao Irã, que está marcada para este ano, também contribuiu para tal postura de Israel.

E vocês caros leitores? O que acham? O Brasil foi mal-educado ou Israel estava mal-intencionado?

Larissa Bona

3 comentários:

Para que Serve? disse...

Estimado,
É um prazer contactá-lo e em primeiro lugar elogiar pelo bom blog que expõe a todos nós, leitores.
Envio este coment para anunciar a abertura de um novo blog, o "Macaquinhos no Sótão". http://osmacacosdosotao.blogspot.com/
Um blog pensado há muito, mas que só agora decidi abrir.
Gostaria muito de contar com a sua ajuda na promoção deste blog, colocando o link se possivel.
Como é claro, retribuirei sem piscar os olhos em colocar o seu link na minha página!
Espero uma resposta sua.

Anónimo disse...

Ja',aqui neste espaco havia focado a influencia do sionismo internacional em Israel !
Pobre de Lula na sua ignorancia esta' sendo usado como arma de arremesso!
O citado movimento vai fazer tudo o que poder para nao haja paz na regiao enquanto " a grande Israel" nao for uma realidade!
DCS

expressodalinha disse...

NÃO SE METAM COM JUDEUS...SABEM MUITO!

Share Button