segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Qual é o principal problema do país?

Vamos iniciar um debate sobre os 12 principais problemas do país. Existirão muitos mais, mas foram estes os mais votados pela equipa do Olhar Direito.

Com isto pretendemos lançar o debate sem quaisquer ideologias partidárias nem procuramos saber o que o governo X ou Y fez ou deveria ter feito. É uma análise geral das questões, procurando sempre chegar a uma solução.

Os 12 temas são os seguintes:

1- As mentalidades - por Expressodalinha dia 3 Setembro

2 - Segurança - por Francisco Oliveira dia 21 Setembro

3- Economia por António Nogueira Leite dia 9 Setembro

4 - A qualidade da democracia - por Francisco Castelo Branco dia 11 Setembro

5 - Desemprego por Francisco Castelo Branco dia 25 Setembro

6- Relações de Portugal com outros países - por Bruno Gonçalves Bernardes dia 14 Setembro

7 - A falta de democracia - por Marta Sousa dia 15 Setembro

8- Justiça por Cleopatra dia 16 Setembro

9- Cultura por Nuno Pascoal dia 17 Setembro

10- Saude por Sol a 22 Setembro

11 - Educação por Jorge Marques dia 23 Setembro

Boas discussões!

Vislumbres Vespertinos

Um universal liberalismo; uma base individual para a conduta; uma genética do egoísmo: será o individualismo uma abstracção com profundas raízes no egoísmo? Ou o egoísmo também pode ter um rosto altruísta? Será que sabemos o que é o egoísmo? A política do egoísmo: o liberalismo? E o socialismo não terá uma base no egoísmo? Como se pode conceber uma sociedade harmonizada para a actividade económica, para o comércio, onde duas correntes, o liberalismo e o estatismo social- individualismo e "socialismo"- , parecem estar em permanente conflito? Que respostas dará o futuro? Serão tão discordantes? A democracia como a concebemos, será a mais correcta resposta para esse antagonismo? O que é o Demos? Haverá um povo universal? O liberalismo criou o povo no sentido contemporâneo, o neoliberalismo criará o povo no sentido pós-contemporâneo? Ou provocará a falência de um mundo construído com tanto sangue, tanto sofrimento? Que base moral tem alguém em querer alargar um horário de trabalho, sem sabermos se existe uma vida para além da morte? Não é única a vida? Não teremos o direito, num período de abundância, a disfrutar de uma vida plena material e culturalmente? Não será a pobreza "moral" um mal da sociedade a que urge responder? Estará o novo liberalismo a criar um totalitarismo asfixiante sobre mundo? Defensores da democracia, da diversidade, impondo uma visão única da vida? Serão verdadeiramente democráticos? Não será a democracia o direito a escolher um determinado percurso de vida, com apoio do liberalismo no sentido de aceitação da escolha consciente feita pelo outro? Não será isso tudo confusão? Que direito terá uma minoria rica de impor o seu modelo de vida sobre os mais fracos economicamente? E será verdeiramente rica? Qual é o fundamento? A força? Se é a força, então justificamos a violência social, mas será que a justificamos? O que será a força? Não será polissignificativa? Uniformização? O que nos evoca? Globalização? Existente no globo ? Deixou a pobreza de significar a posse ou pripriedade ou meios para a obtenção de bens materiais? O fim último do homem- o fim da história-, o homem económico? Qual o fundamento do juro? Não será metafísica? A metafísica do mercado abstracto? Fala-se de lucro, produtividade, onde está a fundamentação? Os valores terão existência concreta? Ou são antes conceitos, reproduzidos, vazios, reforçados pela experiência de vida? Serão experiências? Porque se fala tão logicamente deles? Estará o verdadeiro jornalismo a morrer? Será a maior riqueza do homem a sua capacidade de questionamento? Viveremos sobre a metafísica do número? A dogmática do número? A inteligência visa simplificar, partir e reunir: não viveremos num mundo desnecessariamente complexo?- o mundo humano. Se vivemos sobre uma nova metafísica, o que difere esta sociedade do credo defendido pela antiga União Soviética? Ambas possuíam a sua metafísica- um conjunto de irrealidades? Há uma aproximação deveras? Partidário do liberalismo social, não será a resposta mais adequada à falência do modelo gerado por uma elite neoliberal ocidental ? Mas que liberalismo social falo eu? Qual a real noção dos nossos tempos da social-democracia? Duas utopias, uma de base, outra no topo, e um emaranhado de ideias? Não são assim todas as nossas ideologias? Ideologia e religião, o que as separa? Utopia quer dizer sem lugar, grande parte das nossas noções terão lugar? Não serão utopias? Qual a verdadeira natureza do complexo de ideias e noções que designamos por crise? Não estará na altura de, aproveitando o clima de falência, recriarmos o nosso mundo conceptual, dar-lhe outra justeza intelectual? Para vivermos socialmente, temos de aprender com os outros, não deveremos aprender a pensar o que os outros têm e assim alcançar soluções satisfatórias e não liberais? Quando é que deixaremos de defender ideias só porque fomos à catequese? Não será possível irmos à catequese e pensarmos nessa catequese e adaptá-la com verdadeira inteligência? Que quererei dizer neste contexto com inteligência? Não estaremos fartos da sociedade das promessas- não chegou a altura da sociedade da fundamentação? A política da fundamentação? Distinto da retórica? Não estará no momento de criarmos uma nova Democracia? Vivendo nós num Estado de Direito, onde é exigível a fundamentação, não estará na altura de generalizarmos esse procedimento educacionalmente, menosprezando verdadeiramente a retórica? Mais uma utopia. Somos todos utópicos. Mesmo que agora não sejamos, quando morrermos, seremos sem lugar.

Carlos Vinagre

domingo, 30 de agosto de 2009

Diários de Campanha III

São Reentrés.....

Socrates fala em luta entre o "progresso" e "modernização" e o "atraso" e "conservadorismo". O secretário Geral do PS, dá como exemplo o casamento entre homossexuais e o TGV. Mais uma vez o TGV vem no discurso de Socrates. É de reparar que sempre que discursa, o PM tem que falar no comboio de alta velociadade. O PM continua a diferenciar-se do PSD em relação à modernidade. Coisa que MFL parece não querer.

Manuela Ferreira Leite, hoje no encerramento da Universidade de Verão falou de que estes quatro anos trataram-se de "uma oportunidade perdida". E que era necessário dar o salto para a modernidade e progresso. Coisa que não foi feito, segundo o entender dela. MFL insistiu muito na questão dos valores éticos e de falar verdade. Nunca como antes se falou em ética na politica como agora. Será que tem alguma coisa a ver com o caso freeport...??

O CDS-PP reentrou na politica apresentando o programa eleitoral do Partido. Nele se destaca a economia, combate ao desemprego e pobreza. Parece-me um discurso bastante social. Muito para quem é de Direita. Acentuou o discurso muito na questão do desemprego. Portas disse que Socrates é arrogante. Mais um ataque ao PM. E atacou o Bloco de Esquerda. E está pronto para governar.....

O BE acenta a sua linha pelo combate ao desemprego e desigualdades sociais. Louçâ disse que era uma escolha entre a "decência" e a "cornucópia dos negócios". BE fala num bloco central e alerta as pessoas para o perigo de voltarmos aos tempos de antigo PREC.

Jerónimo de Sousa acusa todos os partidos , "menos" o BE de maquilhagem politica. Diz que falta moral á Direita. Curioso isto vindo de um partico comunista..... O PCP volta tocar no desemprego, injustiça e endividamento. Mas não arranja soluções para combater isto tudo. Pois as empresas fazem parte do "capitalismo selvagem".

Foi um domingo em cheio.

E um pré arranque para a campanha

Algum comentário?

OLHAR A SEMANA - ESTOU DE VOLTA

1-Será que a gripe A é um bem ou um mal? Dantes as pestes e outras pandemias controlavam o crescimento da população. A par com guerras constantes e muita mortalidade infantil, a população lá se ia mantendo em níveis suportáveis. Os recursos, embora mal explorados, eram proporcionais. Passava-se um pouco de fome, mas a obesidade não era mórbida. Tudo mudou. A “civilização”, os economistas e os pesticidas mudaram o mundo em pouco mais de um século. Há gente a mais. Muita gente a mais. Imensa gente a mais. Claro que todos queremos cá estar. E estando cá temos direito a ter o melhor. A questão é se devemos cá estar? O planeta sofre um excesso de população incontrolável e insustentável. É a alimentação à base de pesticidas e antibióticos. Os solos esgotados à base de adubagem química. A indústria gananciosa que explore o nosso consume de colesterol. A medicina pervertida que nos garante “vida eterna”. Os mares poluídos. As espécies em extinção. A vida urbana transformada em caos neurótico da fila permanente e dos nervos à flor da pele. Esgotos. Coliformes fecais. Pretos. Brancos. Guetos. Árabes. Cristãos. Incompreensão. Atentados. Assaltos. Assassínios. Crise… A média etária nos países desenvolvidos vai nos 80 anos. No séc. XIX era de 45 anos. A medicina evoluiu para nos manter vivos, mas não para nos livrar do alzheimer e do envelhecimento. A vida torna-se uma obrigação penosa, cara e, muitas vezes, inútil. Os progressos da ciência não acompanharam a progressão geométrica do crescimento populacional. Vale a pena viver assim? Vem a este propósito falar da gripe A. Prudentemente, os países ricos equipam-se de vacinas. A gripe fará vítimas que darão para encher telejornais, mas não serão minimamente suficientes para limpar o planeta. Francamente não sei se não teremos de ler de novo Malthus.
2-Portugal está a 30 dias das eleições legislativas. O PS está no poder. Os outros partidos apostam em tirar-lhe a maioria absoluta. Se olharmos para os cartazes de rua ficamos chocados com a ausência de ideias, de mensagem, de perspectivas. Um gastar de dinheiro completamente vão. Num clima de total falta de ideologia, seja de quem for, a líder do PSD, principal partido da oposição, resolveu apresentar o programa eleitoral, cuja ausência vinha criando uma expectativa enorme. Como se sabe, ninguém lê os programas dos partidos. Mas este… Bom demorou tanto que se esperava a sétima maravilha. Afinal, banalidades, baseadas na suspensão, adiamento ou estudo de projectos. Uma ou duas ideias novas, cujo custo não é explicado e vão logo para a caixa da demagogia. Enfim, um saco cheio de nada. O erro político tacanho marca este partido que escolhe listas de deputados serôdios há muito escondidos em armários bafientos de onde não deviam sair mais ou de gente manchada com processos judiciais. O ingrato é que a expectativa criada artificialmente com a apresentação de um programa que, afinal se veio a privar ser bacoco, é que evitou que se falasse do programa do PS, coisa que teria muito mais interesse. Sócrates agradece. Nós não!
Jorge Pinheiro

sábado, 29 de agosto de 2009

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Inimigos Publicos

Um verdadeiro épico e que certamente vai merecer honras de Oscar. Johnny Depp e Christian Bale são dois dos melhores actores de Hollywood do momento e neste filme protagonizam um autêntico duelo psicológico e de argumentos. John Dillinger um conhecido ladrão de bancos quer ficar famoso ao assaltar os maiores bancos do Estado de Chicago. Têm tudo a seu favor para fazê-lo até o Xerife da Cidade. Só que no momento em que o Governador do Estado de Chicago escolhe o famoso detective Melvin Curtis para apanhar Dillinger. A partir daí é um verdadeiro jogo do rato e do gato. Curtis e a sua equipa de especialistas conseguem matar a quadrilha de Dillinger. Menos o próprio. Só que Dillinger ainda tem que ir buscar a sua "amada" para sair de Chicago. E é aí que tudo se complica..........

Com uma musica de fundo à Western, duas excelentes personagens principais e uma história de suspense, Inimigos Publicos é um filme a não perder. Mais um neste excelente ano de 2009 em grande para a Sétima Arte

Avaliado com 5 Fitas de Cinema

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Ruptura?

Hoje ficámos a conhecer algumas das linhas gerais do programa eleitoral do PSD. Manuela Ferreira Leite usou três expressões para marcar o seu estado de espírito: Ambição, confiança e esperança. Mas tudo sem euforias "à Sócrates". Parece que estas três palavras irão marcar a campanha do PSD. E também o estilo do "Novo PSD". É novo porque apresenta alternativas, tem um discurso virado para fora e não se deixa embandeirar em arco. Parece que estamos perante um novo período da vida política portuguesa.

Ferreira Leite começou por meter as politicas do PS em causa. E chamou ao seu programa "compromisso de verdade". Também deve ser a primeira vez que existe a palavra verdade num programa eleitoral. E que não serão usadas palavras mágicas nem slogans no seu programa. Também é novidade. Disse Ferreira Leite que o PS mete a credibilidade da politica em causa.

Para Ferreira Leite as principais prioridades do país são : Justiça, Segurança, Educação, Questões sociais e Economia. São os sectores em que o país está mesmo mal?

Parece que o velhinho PSD de Direita está de volta. Ora senão vejamos : - Minima intervenção do Estado, um politica económica virada para a iniciativa privada e exportações. E voltou a prometer pagar as dividas do Estado às PME´S. Veremos se cumpre isto.

De resto, assumiu a posição radical de suspender o TGV. E quanto ao novo aeroporto não sabemos. Com Manuela Ferreira Leite voltamos ao país do adiamento. Da falta de ambição e de voltar a discutir o novo aeroporto e outros projectos. É nisto que MFL perde. E lá vai o país voltar a discutir projectos e nada a fazer. Lembre-se que foi o governo de Durão, onde Manuela estava que iniciou o projecto do TGV. Mais adiamentos não.

Dois aspectos confirmam esta posição : A primeira é que MFL quer a familia como eixo das questões sociais. Voltamos ao conservadorismo? E que promete suspender o modelo de avaliação. Pelos vistos após 30 anos sem avaliação de professores, vamos voltar a essa realidade. Esta parece uma medida para agradar a sindicatos. Uma forma eleitoralista. De agradar a professores e sindicatos.

Por fim, algo de positivo. Promete um combate sem "quartel" à Corrupção. Veremos se isso vai acontecer.

Hoje desafio-vos a escrever uma carta

Há tempos que tento escrever-te, ou dizer-te ou, atirar-te acima tudo o que tenho vontade de atirar ao lixo.
A culpa é deste tempo que corre em crise e não nos larga as canelas.
A culpa não é tua que não notas nada, e continuas nesse rodopio de acreditar que a globalização te leva a uma meta.
Tudo o que é global é redondo e não nos tira do sítio. Só nos tira do sério.
Escrevo-te azeda?!
É que o final de férias aproxima-se e eu tenho de atirar a alguém a culpa destes dias curtos que se evaporam num instante.
Acreditas em frases feitas e não fazes as tuas.
És um líder e de repente ficaste miope!!
Os líderes criam as suas próprias frases e só acreditam em si mesmos!
Não te leves a reboque de patetas que ganham dinheiro a convencer os outros de que, convencidos chegam a algum lado.
As ideias são para ser discutidas, mastigadas, digeridas e poucas são as que merecem ser engolidas.
Ai estou azeda sim! Nessa vontade de não parar com medo de desistir, entregas-te a idéias sem ideais.
-
ACCB
E pronto aqui vos deixo um desabafo...uma carta...Venham de lá as vossas!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Diários de Campanha II

Socrates adiou a entrevista que tinha marcada para a RTP para estar presente na Festa de Verão do PS(Uma espécie de Universidade de Verão PSD..).

O Primeiro-Ministro vai estar a discursar ao mesmo tempo que Manuela Ferreira Leite apresentará o tão esperado Programa Eleitoral do PSD.

Acham bem? Esta atitude representa um receio de Socrates?

praias portuguesas III

Praia do Malhão!
Uma das praias mais bonitas de Portugal, em Vila Nova Mil Fontes

Quase um mês para as eleições e...

27 de Setembro será a data das próximas eleições legislativas. Os portugueses estão descontentes com a política e com os seus políticos, é uma afirmação tão visível que, julgo eu nem ser passível de discussão. Como muitas vezes costumo dizer, não tive culpa de nascer em Portugal e o país tem a obrigação de ir de acordo com as expectativas de todos os seus membros (ou pelo menos aqueles que se esforçam por fazer crescer Portugal). Estudar e viver no estrangeiro foram opções que eu tive que tomar não por gosto mas sim porque este belo rectângulo à beira-mar plantado deixou de corresponder às minhas expectativas quer do ponto de vista académico quer do ponto de vista profissional.

O dia das eleições está aí à porta. Sócrates ou Ferreira Leite, uma destas duas personagens governará (aparentemente) o país nos próximos quatro anos. A questão que coloco é...em quem votar?

PS - não tão mau como Santana Lopes e Guterres mas igualmente mau. Promessas ficaram só nos cartazes e panfletos eleitorais. A arrogância do primeiro-ministro é absolutamente intolerável assim como o recente escândalo que veio a público (Freeport). Para além disto Sócrates consegue manter no seu governo dois dos piores ministros de sempre: Mário Lino e Maria de Lurdes Rodrigues. O ponto positivo desta governação foi mesmo o excelente trabalho que o ministro Teixeira dos Santos tem vindo a fazer na pasta das finanças (na da economia ainda não consegui ter uma precessão clara).

PSD - O partido tem um grande problema: Manuela Ferreira Leite. Toda a gente sabe que esta senhora não é talhada para estar a liderar um partido. Ferreira Leite não tem perfil para dar a cara mas sim para estar logo atrás de quem a dá. Os portugueses não se esquecem da assustadora governação que Ferreira Leite teve enquanto ministra das finanças. A juntar a tudo isto as listas dos sociais democratas são paupérrimas e como se não bastasse com um teor algo "vingativo" e de "eliminação de adversários" bem à maneira do Estado Novo.

CDU - Acho que é escusado falar muito. Um partido em democracia que não é democrático está a jogar no campeonato errado. Políticas ultrapassadas, sem nexo e uma utopia que só alimenta mesmo os utópicos.

BE - Existe um problema de fundo no Bloco de Esquerda. O Bloco está reduzido à figura de Louça. Não existe um grupo de membros capazes de fazer com que o bloco se afirme como força política. Há ainda o facto do bloco continuar a seguir uma política de esquerda radical que a mim pessoalmente me causa alguma desconfiança.

CDS/PP - Conservadorismo a mais e uma política sem uma orientação própria. À semelhança do que acontece com o BE só existe um rosto: Paulo Portas. O restante partido parece não ter a coesão que se exige cada vez mais em política.

Perante tudo isto que fazer? Os portugueses estão descontes, os partidos estão gastos e sem ideias, não há propostas coerentes. Será melhor votar numa alternativa frágil como são todas as que eu enumerei? Ou, por outro lado será melhor um voto diferente? Peço encarecidamente para não se absterem mas se têm a mesma sensação que eu em relação ao panorama político do país votem em branco. É sem dúvida a melhor solução e uma demonstração de desagrado para com o que está. A abstenção é que nunca leva a lado algum.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Diários de Campanha I

Começam hoje os diários de campanha. Uma análise curta e sucinta sobre o que se vai passando na campanha eleitoral para as legislativas.

E nada melhor para começar do que a divulgação dos numeros que os partidos vão gastar na campanha. Segundo as notícias perto de 65milhões. Uma verdadeira e anormal soma de dinheiro em tempos de crise. Curioso verificar que o futebol e a politica vivem "fora" da realidade do país. Porque será?. Quem vai gastar mais é o PS. Nada de anormal. Visto que um cartaz para cada promessa deve custar um dinheirão. E são tantas promessas......O CDS-PP cumpriu a promessa de fazer uma campanha poupada. Começa bem os populares....

Enquanto Paulo Portas continua de feira em feira. Uma imagem já conhecido do lider dos populares, Socrates continua a fazer campanha de comicio. Ontem foi em Leiria onde mais uma vez( deve ter sido a milésima..) reafirmou a necessidade de Portugal ter o TGV. O Primeiro-Ministro vai a alta velocidade. Até Soares Franco já veio defender o investimento.

Manuela Ferreira Leite aposta esta semana na Universidade de Verão e na apresentação do programa eleitoral. Veremos se coincide ou não com o seu discurso. O Bloco por sua vez, vai alertando para a necessidade de não trazer o BPN novamente para o governo.

Uma ultima nota : A RTPN está a promover entrevistas com os candidatos dos partidos sem assento parlamentar. Começa a haver maior interesse e adesão aos partidos não tradicionais. Sinais dos tempos? Vontade de mudança?

Hastear de Bandeira

Depois de bandeiras monárquicas hasteadas e dos soundbytes por elas provocados, continua a não fazer-se um debate verdadeiro mas simples sobre a definição e função dos regimes políticos. Um debate sem os tais fantasmas que assolam as duas faces da moeda. É que no decorrer da nossa história e, principalmente, da história da nossa cultura política os republicanos sempre introduziram a ideia falaciosa de que o fim da monarquia seria um processo natural da história dos Estados, de que uma vez introduzida a república seria impossível um retorno à monarquia (o que os casos inglês e francês já tinham provado errado e que o espanhol em pleno século XX também provaria); que a monarquia era identificável com os erros do Ancièn Regime e que contrariava os anseios dos primeiros processos democráticos (como seria a introdução do sufrágio universal completo ou restrito). A falácia estaria cimentada nas ideias positivistas de que tudo o que o futuro traria seria sinal de progresso e não o contrário, logo a república seria resposta aos anseios de uma nação em face de uma crise económica (que eclodira numa versão financeira em 1891 - em paralelo com o que os republicanos brasileiros em 1889 tiveram de lidar ao chegar ao poder) e de uma identidade nacional manchada não apenas pelo orgulho (caso do ultimatum inglês) como por um sistema bipartidário com origem no executivo, corruptível e alimentado pelos influentes locais ou caciques do partido comandados a partir de um paradigma de partido de governo.
Os republicanos sempre se esquecem dos erros que continuaram pela I República fora, aclamando esse regime como génese da introdução da democracia em Portugal; ora temos de nos lembrar do seguinte: o caciquismo eleitoral que se manteve, a crise económica, a manutenção de um regime de quase partido único, a manutenção de certos vícios e comportamentos políticos vindos do período da monarquia constitucional; erros que conduziriam ao 28 de Maio de 1926 e à legitimação em 1933 do Estado corporativista.
Quanto ao "outro lado da barricada", apesar das críticas - que mais não são do que apontamentos históricos -, os monárquicos continuam sem perceber que a mudança de regime de pouco ou nada alteraria o rumo de Portugal. Defendem que a família real e a Coroa seriam elementos viáveis para o respeito perante a política, o Estado e as instituições e seriam um canal perfeito para a re-legitimação da democracia através de um carisma atribuído à figura do chefe não eleito. Ora reconhecendo que a questão da re-legitimação da democracia portuguesa é um factor preponderante na busca de uma comunidade melhor e mais saudável, reconheço também que esse é um problema actual das democracias ocidentais. Por outro lado não penso que seria a monarquia a resposta a todos os males nacionais; basta recordarmos alguns episódios da nossa história como a "ignóbil porcaria" de Hintze Ribeiro ou o bipartidarismo doentio que mais se parecia com o actual bloco central.
O que me preocupa não é a escolha do regime, mas sim do sistema que nos continue a conduzir por mares do futuro; de termos pessoas capazes, formadas sob a égide de uma ética (chame-se-lhe republicana ou não) e de uma nova cultura política verdadeiramente democrática - a democracia na mente de todos, sejam eles republicanos ou monárquicos.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

1.3 - INVASÕES CELTAS

O trabalho da pedra acabou por isolar os metais nele ocultos. O cobre começou a ser trabalhado no final do IV milénio a.C. no Irão. Inicialmente era martelado. No III milénio a técnica de fundir o cobre está já difundida por todo o Médio Oriente. Estamos no período Calcolítico, em que se usa em simultâneo a pedra (lithos) e o cobre (chalkos). Em breve assistiremos a missões exploratórios desses povos para ocidente em busca do precioso cobre. A metalurgia em Portugal está associada à “teoria do colonialismo egeu”, segundo a qual os povos do levante viriam explorar metais à Península. Esses povos orientais, que estariam já na Idade do Bronze, precisavam desesperadamente de cobre, metal que sendo raro no Médio Oriente é, comparativamente, abundante em Portugal, tal como o estanho. Assim, assistimos a explorações de matérias-primas, tal como muito mais tarde o ocidente fez em sentido contrário, na busca dos hidrocarbonetos. Esses povos orientais deixaram em Portugal vestígios nas muralhas defensivas concêntricas. São os primeiros “Castros” que datam dos finais do III milénio a.C. e que aparecem na Estremadura Portuguesa (Azambuja, Alenquer, Ota, Torres Vedras). São as primeiras cidades. Locais defensivos contra os ataques das populações indígenas, mas também locais de trocas comerciais. Os Iberos voltam a misturar-se. Uma verdadeira”anti-raça”. Por volta de 1800 a.C. a Idade do Bronze está no seu apogeu. No entanto, o cobre e o estanho necessários para concretizar a liga são raros. Mais abundante é o ferro que tem, ainda, a vantagem de maior resistência. O problema é que a temperatura de fusão do ferro é de 2000 graus. O cobre só precisa de metade. Terão sido os Hititas (Anatólia) a primeiro fundir o ferro. Rapidamente se expande a tecnologia e segue pelas margens do Danúbio até ao Mar Negro. Aí encontra os CELTAS. São eles que desenvolvem os processos de fabricação de instrumentos de ferro. A I Idade do Ferro começa em 900 a.C. e é denominada de Hallstat (pequena povoação perto de Salzburgo). A II Idade do Ferro vai de 700 a.C. a 500 a.C. e é chamada de La Tène. O Celtas não são um povo. São um conjunto de tribos e clãs aparentados, com costumes e religião comuns e língua semelhante. Originários do grande “caldeirão indo-europeu”, algures na Ásia Central, fixaram-se nas margens do Mar Negro. O ferro deu-lhes melhores alfaias agrícolas, logo maior abundância de alimentos, logo mais população, consequentemente, necessidade de conquistar novas terras. O mesmo ferro deu-lhes armas mais poderosas para essa expansão. E foi assim que chegaram a todos os cantos da Europa, em vagas sucessivas que duraram pelo menos quatro séculos. São os gauleses na França; os galegos no norte de Espanha e Portugal; os gaélicos nas Ilhas Britânicas; os gálatas na Anatólia… A Península Ibérica é atingida por três grandes vagas a partir do século VII a.C. (na II Idade do Ferro), que continuam por mais dois séculos até à total micigenação com as populações locais, os famosos Iberos. A partir daí apenas podemos falar de Celtiberos como base da população portuguesa pré-romana. Os Lusitanos, que são Iberos, foram expulsos pelos Celtas das suas regiões de origem (Meseta Ibérica) e refugiam-se nos Montes Hermínios (Serra da Estrela) e terras montanhosas da Beira. Só com o enfraquecimento do poderio Celta, no séc. III a.C., os Lusitanos se derramam pelas terras baixas entre Douro e Tejo e pelas planícies estremenhas espanholas. Mas isso é matéria para o próximo episódio…
Jorge Pinheiro
(continua a 7/9)

domingo, 23 de agosto de 2009

Cartazes Legislativas (2)

Manuela Ferreira Leite promete fazer uma campanha fazendo chegar ás pessoas uma mensagem de verdade. Contrariando o que deverá ser uma campanha do PS baseada em promessas e objectivos, O PSD e a sua Presidente pretende fazer uma politica de verdade.

o slogan "Ouvimos os portugueses" distingue claramente o modo como Ferreira Leite vai encarar estas eleições. Sem prometer Auto Estradas, TGV´s, mais praias ou até mesmo a Lua; o PSD quer uma politica de aproximação. Mais Social-Democrata. No fundo foi aquilo que deu origem ao velho PPD de Sá Carneiro e que com Durão e Santana Lopes ficou mais "elitista". Mais de Direita.

Resta saber se esta política de aproximação se manterá caso os portugueses chamarem o PSD a governarem..

Laranjas

Pintura de Liliana Oliveira

Laranjas, quem gosta delas?

sábado, 22 de agosto de 2009

Destes valores com qual não conseguias viver?

Os resultados desta Sondagem demonstram que vivemos numa sociedade com valores. Mais morais do que materiais. O facto de apenas duas pessoas darem importância ao Telemovel revela bem que ainda vivemos numa sociedade onde os afectos prevalecem sobre bens materiais como casas, dinheiro, carros e coisas tão insignificantes como o telemovel. Mas o Telemovel é muito importante, pois é nele que reside os nossos contactos.

Significativo e de realçar que a AMIZADE e a CARA METADE são as coisas mais importantes para quem respondeu. Ou seja, apesar de vivermos numa sociedade um pouco materialista, os valores da amizade e do amor ainda se mantêm como prioritários em relação a tudo o resto.

O que serão os Pequenos Prazeres?

Amizade 21 (48%)

Cara Metade 13 (30%)

Pequenos prazeres 7 (16%)

Telemovel 2 (4%)

Carros 0 (0%)

Votos : 43

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

G.I Joe - O ataque dos Cobras

Excelente filme para quem gosta de aventura e efeitos especiais............

E para quem apreciava as aventuras do GI Joe aquando da sua passagem em desenhos animados

Mais uma adaptação de um desenho animado para cinema........ Parece que pegou moda.....

Uma chamada de atenção para Sienna Miller e para a interpretação dos Ninjas de serviço....

E a saga terá continuação....

Fitas de Cinema: 3 fitas dada pelo Olhar Direito ( de 0 a 5)

Uma Manuela sem medo chegará?

Na entrevista que Manuela Ferreira Leite concedeu ontem à RTP , ficou uma imagem de confiança, serenidade e de que após 27 de Setembro será ela a ganhar as eleições. Se Manuela está assim é porque tem razões. Apesar de tudo, Manuela sente que os portugueses estão descontentes. Socrates parece não querer ligar a estes indicadores.

Então que disse Manuela de relevante para se sentir confiante?

Apontou como áreas de maior cuidado a elaborar no próximo programa : A justiça, Educação e Segurança. São três áreas em que existe contestação ao governo e Manuela vai pegar por aí na próxima campanha eleitoral. Ao contrário dos seus adversários politicos, Manuela ainda não apresentou programa eleitoral. Porque este tem de ser lido pelas pessoas, e nas férias ninguem vai ler programas eleitorais, confessou ela. Mas Dona Manuela, há alguém neste país que lê programas eleitorais?

Disse também que tudo o que estiver no programa é para ser executado. Vamos contratar o Bruno Paixão para daqui a 4 anos dizer se efectivamente ela cumpriu tudo o que disse.

Em matéria de decisões, Manuela Ferreira Leite diz que não vai fazer nem o TGV nem a terceira Auto Estrada para o Porto. Óptimo. Continuamos na senda do "não se faz nada". Curioso que não propõe nada de especifico áqueles que não têm subsidio de desemprego. Apenas mais desenvolvimento, emprego e mais investimento nas empresas. Parece-me um discurso muito de Direita.

A falta de subsidio de desemprego para quem não trabalha parece ser um problema "grave". Mas que os nossos candidatos não arranjam solução. Nem parecem preocupados. Apenas o CDS-PP tem um cartaz em que compara os ditos desempregados com aqueles que não trabalham e recebem!

MFL das poucas promessas que faz ressalva-se o facto de querer rever o código do IMT e pagar as dividas de Estado ás empresas. Agora vamos "finalmente" ter um Estado bom?

De realçar ainda que Manuela distingue-se de Socrates porque ela vai fazer tudo o que disse que iria fazer. Venha de lá o programa eleitoral. E o Bruno Paixão também.

Apesar de não ser exuberante como o PM, Manuela Ferreira Leite parece ser uma pessoa honesta e com principios. Ela própria diz que "em politica não vale tudo...".

Só que a mim parece que para ser Primeira-Ministra necessita de algo mais. De uma visão futura e energia. Ser mais decidida e olhar mais além. Não se queixar de que não podemos fazer mas encontrar soluções. Parece-me que tem um discurso muito negativista e pouco audaz. Que não gosta de correr riscos.

Foi uma excelente numero 2 de Durão Barroso, mas Carlos Queiroz também o foi de Ferguson......

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Brasileiros na América


Hoje falarei sobre o livro "Brasileiros na América" do cientista político Alvaro Lima. Neste trabalho, ele traça o perfil do imigrante brasileiro que vive nos Estados Unidos.

Dos dados que ele listou no livro, alguns me surpreenderam:

1. Os imigrantes brasileiros contribuem com US$ 58 bilhões ao PIB Americano;
2. Geram cerca de 628 mil empregos e pagam US$ 7,5 bilhões de impostos;
3. O imigrante brasileiro tem o nível cultural mais alto dentre todos os imigrantes, pois geralmente são pessoas de classe média que vivem em cidades grandes ou de médio porte, ao contrário dos mexicanos que migram da zona rural;
4. Há cerca de 1,24 milhões de imigrantes brasileiros morando nos Estados Unidos, o que se trata de uma quantidade considerável de pessoas, levando em consideração que muitas capitais brasileiras sequer tem este número de habitantes;
5. A média de idade dos imigrantes é de 35,8 anos;
6. A maioria são mulheres: 51%;
7. Mais de 1/4 dos brasileiros que lá vivem são naturalizados americanos;
8. Em geral ganham US$ 30.000 por ano;
9. Apenas 11% dos imigrantes brasileiros encontram-se em situação de pobreza;
10. Quase 50% deles falam inglês fluentemente e 25% falam bem o inglês, sendo que apenas 8% não falam inglês;
11. Quanto a escolaridade: 10% tem diploma de pós-graduação, 19% tem diploma universitário e 49% tem o ensino médio completo.
12. A grande maioria dos imigrantes são originários do Estado de Minas Gerais;
13. E estes imigrantes remetem cerca de US$ 2,7 bilhões anuais para o Brasil.

Fora estes dados, achei bastante interessante o seguinte comentário do autor sobre o papel do imigrante brasileiro, respondendo a uma discussão, classificada pelo próprio como boba, que alega que os imigrantes tiram mais do país do que produzem, pelo simples fato que seus filhos se beneficiam dos serviços fornecidos pelo Estado (Saúde, Educação e etc):

“Como a mão de obra dos Estados Unidos atualmente é formada em grande parte de imigrantes, o país não tem um custo de criar e aposentar tantos trabalhadores. Quando o imigrante chega com a escola secundária completa, a capacidade que a escola secundária deu para a força de trabalho foi paga pela sociedade brasileira. É uma transferência direta de recursos do país mais pobre para o mais rico”, disse.

Ou seja, para o autor, o papel do imigrante brasileiro nos Estados Unidos é extremamente positivo.

Larissa Bona

PS: Semana que vem vou a São Paulo, acompanhar o 7º Congresso Brasileiro de Direito Internacional. Quando voltar, trago-lhes uma resenha do evento. Mais informações sobre o evento no site da ABDI - Academia Brasileira de Direito Internacional: AQUI.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Tema do dia VIII

" Eu gosto de ler coisas compridas que deram trabalho a descobri, pensar e escrever. Se compro um jornal diário exijo que ele me entretenha pelo menos durante uma hora e meia de leitura. Não que me faça virar páginas ou (...) ler na diagonal. (....) É uma questão de lazer. Jornal, mesa, bebida" -

Miguel Esteves Cardoso in Publico 22 Junho 2009

Pergunto : O Jornal ainda é uma boa companhia?

8º evento

Agosto 2009

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Madrid : Una Ciudad distinta

Que se puede decir de Madrid, que no solo no es la capital de España. También es esa ciudad en la que muchas personas han decidido habitar para que resulte más humana. Es un lugar de encuentro entre las personas, porque éstas son la esencia, la chispa que da vida a la ciudad.

La historia ha pasado y se ha posado en esta ciudad que desde hace muchos siglos es el punto central de la vida y el poder de todo el país. Siglo a siglo, la majestuosidad de los centros del poder en España se han construido en los claros ejemplos de los grandes edificios que se ubican en esta ciudad. Son tesoros que guardan nuestra historia pero también nuestro presente. Por ello la arquitectura de Madrid no son los grandes ejemplos sino cada rincón, cada calle, cada edificio, cada barrio sin dejar de lado al Palacio Real de Madrid, a la Casa de la Villa, Real Casa de Correos y demás ejemplos.

Madrid os ofrece no solo su historia, también se presenta como una ciudad cultural, con una amplia oferta al gusto de todos (tres grandes museos, teatros y cines), deportiva (adaptada cada vez más al uso de medios saludables), ecológica (cuidamos del Medio Ambiente), abierta (por el numero de parques que están ubicados en el Centro como es el Retiro), joven (oferta para los jóvenes de entre 18 a 30 años), musical (conciertos y festivales),

Sin embargo Madrid ha sabido adaptarse a la realidad que le tocaba vivir en cada momento, ha ido con los tiempos sin dejar la huella de la historia impresa en sus calles y en sus gentes. Y por ello la combinación de pasado, presente y como futuro es un claro ejemplo de convivencia.

Y la convivencia es otro de los puntos fuertes de Madrid, ya que la multiculturalidad es un rasgo que ahora se aprecia en esta ciudad como en muchas otras de metrópolis, así que nadie se puede sentir extraño y esta es una gran ventaja, por la multitud de opciones que te brinda ser una ciudad abierta.

En conclusión, para mi Madrid es una ciudad maravillosa en la que se puede habitar, compartir, convivir, disfrutar, pero sin duda lo más importante en esta ciudad es que el ingrediente más importante lo ponen las personas, que al fin y al cabo son las que dan vida a Madrid. Los madrileños son el puntal, los mejores embajadores y los mejores guías. Buenas razones para venir a Madrid, bueno por sus gentes, su cultura, su gastronomía, su clima y vosotros mismos.

texto de Jordi Moreno y Garcia

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A utilidade do voto...

O voto foi um dos instrumentos mais importantes que se ganhou após o 25 de Abril. Foi por ele que se fez a revolução dos Cravos. Mas no entanto, esse instrumento não tem sido utilizado de forma consistente nem adequada. Nota-se isso por causa dos elevados niveis de abstenção verificado em Portugal nos ultimos anos. Principalmente nos actos eleitorais realizados depois do ano 2000.

A que se deve isso?

A falta de clareza politica e da denegração de quem nos representa , faz com que o voto seja menos utilizado. E assim não sabemos se devemos olhar para quem ganhou ou para os niveis de abstenção.

O acto de votar é uma decisão. É um poder que os cidadãos têm à sua disposição para decidir. No final ganha quem tem mais votos. Com isto concluimos que são os cidadãos que têm o poder. E não os politicos. Será assim?

A liberdade de votar nem sempre significa acertar na decisão.

Mas porque votamos?

Votamos porque queremos mudar, pode ser encarado apenas como uma necessidade. Uma obrigação. Porque queremos escolher os nossos representantes. Mas essencialmente porque a democracia nos deu essa liberdade. Nem sempre essa liberdade é bem aproveitada. Certas votamos apenas "por votar"; ou porque o candidato é nosso conhecido.

A questão também pode ser colocada ao contrário. Porque não votamos? Simplesmente não nos interessa, não nos apetece, dá trabalho ir á Secção de Voto, não acreditamos em quem nos governa. Seja nacional ou localmente..

Qual a utilidade do voto nos dias que correm?

(continua ....)

2- Neoliberalismo e Social Democracia

Embora sendo ideologias diferentes, o Neoliberalismo e a Social Democracia estão ligados entre si.

O Neoliberalismo tem dois significados semelhantes, porém distintos. Isto porque foi usado em épocas diferentes.

  • Na primeira metade do Século XX significou uma doutrina ligada às exigências de um estado regulador e assistencialista.
  • Contrariamente, a partir da década de 1970, passou a significar uma doutrina que defende a absoluta liberdade de mercado....

Convém lembrar que o Neoliberalismo não é uma corrente do Liberalismo. O prefixo "neo" tem a ver com "neoclássico". Na história da Arte.

As suas origens remontam à Escola Austríaca nos finais do Século XIX. Os adeptos desta vertente eram contrários aquilo que defendia Keynes, com a sua politica Keynesiana em que promovia o Estado Social. Ora, com o neoliberalismo, a Escola Austríaca pretendia que o Estado fosse menos regulador. Foi também nos EUA, através de Milton Friedman que o Neoliberalismo deu os primeiros passos.O Neoliberalismo de Friedman surgiu também como uma resposta ás teorias de Keynes. Após a crise de 1929 Franklin Roosevelt adoptou medidas para ultrapassar a crise. Medidas essas que passavam pela intervenção do Estado na Economia. Para Friedman o Estado não tinha a obrigação de intervir na Economia. Quanto menos Estado, melhor...

Os Neoliberais apontaram o modelo Keynesiano como o responsável pela crise.

Para Friedman e outros fundamentalistas do livre mercado, a política do New Deal do Presidente Roosevelt só iria agravar a depressão e a crise social.

O Neoliberalismo surgiu na década de 1970, através da Escola Monetarista do economista Milton Friedman , como uma solução para a crise que atingiu a economia mundial em 1973, provocada pelo aumento excessivo no preço do petróleo...

O Neoliberalismo caracteriza-se essencialmente pela minima intervenção do Estado na Economia. Mas isso não chega.

Caracteristicas essenciais :

  • pouca intervenção do governo no mercado de trabalho
  • politica de privatização das empresas estatais
  • livre circulação de capitais
  • Enfase na globalização
  • Adopção de medidas contra o proteccionismo
  • Diminuição do tamanho do Estado
  • Defesa dos principios económicos do capitalismo

Exemplos de governos Neoliberais são os de Margaret Thatcher e Ronald Reagan

(continua....)

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Que comece a rolar....

Hoje começa mais uma edição do Campeonato.... Com os de sempre a lutar pelo titulo : FC Porto, Sporting e Benfica

Os dragões conquistaram o Tetra e andam á procura do Penta. Venderam as principais joias, Lisandro, Cissokho e Lucho. Mas mantiveram Hulk. Apesar de ser uma equipa nova, Jesualdo já nos habituou a arranjar novos talentos. Será que a equipa se vai manter no mesmo nivel?

O Sporting mantêm a estrutura e o técnico. Quatro anos depois, continuam a jogar da mesma forma. Os nos passam e o estilo continua. E neste ano, não houve possibilidade dos adeptos se entusiasmarem com reforços. É o ano decisivo para Bento?

O Benfica aparece de cara lavada. Novo treinador, Jesus parece ser o treinador ideal para as águias; e novos jogadores como Saviola, Javi Garcia, Shaffer, Ramires. Mantendo também a base da temporada passada mas com Di María e Aimar a prometerem uma época em cheio. É este ano que a Águia levanta voo?

Depois aparecem as restantes 13 equipas com destaque para um Guimarães ambicioso, um Sp.Braga em renovação e ao fim de 9 anos uma equipa do Algarve. Destas qual será a surpresa?

Quem vai marcar mais golos?

Que comece a rolar a bola.....

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Qual o melhor som deste Verão?

Qual é o teu som de Verão?
  • Black Eyed Peas - I gotta Feeling
  • Pedro Cazanova - Selfish Love
  • The Killers - Are we Human?
  • David Guetta ft Kelly Rowland - When Love takes Over
  • Linkin Park - New Divide

Escolhe o teu favorito e no fim do mês passamos o videoclip daquele que for mais votado através da caixa de comentário

Bons sons de verão!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Cartazes Legislativas (1)

Começamos esta série de cartazes com o do PS.

Socrates propõe Avançar Portugal. Para isso está no meio das pessoas. Mostrando que o Socialismo ainda é uma corrente que se preocupa com questões sociais.

Socrates quer que o país avançe. Daí que insista na questão das novas tecnologias, das energias renováveis, no carro eléctrico como bandeiras do seu mandato. Um Portugal mais moderno e virado para o futuro.

É de assinalar que nesta mensagem não é alheio o facto de se discutir o TGV e o novo aeroporto. Só com mais investimento Público é que Portugal pode avançar. E combater a crise.....

Resta saber se nestes 4 anos de governo PS, o país avançou ou não.....

Federações do Brasil: Ceará

Vista da Avenida Beira-Mar, o metro quadrado mais caro de Fortaleza.

Hoje inicio a série especial sobre as Unidades Federativas do Brasil. Conforme havia dito no meu post anterior, a cada quinze dias, subirei um post sobre cada um dos Estados brasileiros, falando sobre sua cultura.

Vou começar esta série falando do Estado do Ceará, que é o Estado onde vivo e cuja capital, Fortaleza, é a capital brasileira mais próxima de Portugal.

O Ceará localiza-se na região Nordeste e faz fronteira com os Estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.

A sua população é de quase 8,5 milhões de pessoas, sendo que 80% reside em Fortaleza. Ou seja, o desequilíbrio populacional é muito grande. Isso se dá porque o interior do Estado é bastante seco, não só no clima, mas como também nas oportunidades, o que gera um êxodo rural maciço. Mesmo assim, curiosamente, o Ceará é um dos maiores exportadores de fruta do país.

Há um projeto do Governo do Estado para tentar combater essa situação e diminuir a migração do interior para a capital. Por isso, estão a ser feitos vários investimentos na região do Cariri, que fica a 600 km de Fortaleza, cuja cidade principal é Crato.

Mesmo assim, devo dizer que a economia do Estado ainda gira em torno de Fortaleza que, com cerca de 2,5 milhões de habitantes, é a quinta cidade mais povoada do Brasil e é o segundo maior PIB do Nordeste, ficando apenas atrás de Salvador.

Trata-se de um importante centro industrial e comercial, além de ter como principal atrativo o turismo. Aliás, deve-se ressaltar que as praias do litoral do Ceará são belíssimas, cujo mar, possui um tom de verde fascinante. Uma tonalidade mais bela do que essa, só vi no Caribe.

Há uma grande quantidade de turistas estrangeiros aqui em Fortaleza, principalmente portugueses e italianos, dada a proximidade da cidade com a Europa. Para se ter idéia, o percurso de Lisboa a Fortaleza, nos famosos vôos da TAP, duram cerca de seis horas.

A cidade também oferece uma vida noturna agitada, com vários bares, boates e casa de shows. Diga-se de passagem, a casa noturna mais famosa pertence a um português radicado em Fortaleza há anos, que é “O Pirata”, conhecido mundialmente (saiu reportagem sobre esse bar até no New York Times) como a segunda-feira mais animada do planeta, com shows de forró a noite toda.

Outro atrativo da cidade são os inúmeros shows de humor. Há uma gama vasta de humoristas talentosos no Estado, tanto que os maiores humoristas do Brasil: Chico Anysio, Renato Aragão e Tom Cavalcante, são cearenses e todos começaram dando shows na noite de Fortaleza.

Vale ressaltar que Fortaleza foi escolhida como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, o que deve melhorar bastante a estrutura da cidade, cujo trânsito encontra-se caótico.

Agora no final de Setembro, a cidade sediará o V Encontro Empresarial de Negócios em Língua Portuguesa, onde se espera reunir mais de 1000 empresários, vindo de todos os países que falam nosso idioma e nós do Olhar Direito pretendemos cobrir este evento de maneira especial.



Larissa Bona

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

1.2 A Origem dos Iberos

Guerreiros Ibéricos

Os Iberos eram um povo pré-histórico que vivia no Sul e no Este do território que mais tarde se chamou Peninsula Ibérica. Os Gregos deram o nome de Ibéria a todos os povos que se instalaram na costa sueste do Rio Ebro.

Há duas teorias sobre a origem destes povos :

1- Os Iberos são os habitantes originais da Europa Ocidental e os criadores da cultura megalítica que teve inicio em Portugal.

2- Os Iberos seriam de origem caucasiana e teriam construido Oppida.

Das tribos Ibéricas , os Bastetanos eram os territorialmente mais importantes e ocupavam a zona de Almería. A Oeste dos Bastetanos estavam os Tartessos. Que se instalaram na Tartéssia. Zona próxima de Sevilha. Os Tartessos mais poderosos eram os Turdetanos.

As tribos Iberos estavam agrupados em Cidade-Estado independentes. No Sul houve monarquias.

A economia ibérica tinha uma agricultura rica, exploração mineira e metalurgia desenvolvida.

A língua Ibérica era uma língua não Indo-Europeia. Utilizou-se uma escrita ibérica num sistema de 28 silabas e caracteres alfabéticos.

(continua dia 24 de Agosto...)

domingo, 9 de agosto de 2009

Qual a melhor zona para praia?

Em que região de Portugal preferes ir à praia?
  1. Algarve
  2. Costa Alentejana
  3. Litoral Norte
  4. Minho

sábado, 8 de agosto de 2009

Ninguém quer saber da Lua.....

Recentemente fez 40 anos que o Homem foi à Lua.... Todos falam do homem. De Neil Armstrong e Buzz Aldrin...
  • Mas ninguém fala do que sentiu a Lua quando o homem pôs o pé em cima....

Que terá sentido ou dito a Lua quando Neil Armstrong alunou?

  1. Aiiiiiiiiiiiiiiiiii o que é isto?
  2. Quem está a mexer no meu cabelo?
  3. Quem são estes tipos que vieram para aqui? Será que queriam vir para a praia?
  4. Porque é que tinham vir de me chatear? Não lhes chega a Terra?
  5. Será que a civilização Humana vem aqui deitar aqui as suas frustações?

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

candidaturas a contas com a justiça...

Um dos índices para avaliar o desenvolvimento de um país é o nível de corrupção do mesmo. Se o país tem pouca corrupção é desenvolvido, se tem muita não é assim tão desenvolvido. Apesar de este índice ter as suas fragilidades a verdade é que a coisa não anda tão longe disso como pensamos. As autárquicas estão à porta e os candidatos a contas com a justiça também. Como é que um país que se diz desenvolvido permite que se candidatem a cargos de elevada responsabilidade arguidos? Pior que isso, como é possível que pessoas com o registo criminal manchado se candidatam a câmaras como se nada se passasse? O exemplo mais gritante é o senhor Isaltino Morais que será candidato a Oeiras novamente; é caso para dizer "ganhe vergonha na cara!". Não só ele mas também o parlamento que ao que parece esquece-se de legislar sobre esta matéria. Não é uma questão partidária que está em causa, é sim uma questão de interesse nacional!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Recordações da Infância

Gostaria de colocar um vídeo que me fez recordar bastante da minha infância. É sobre Monga, a mulher macaco.

O show da Monga é muito comum nos parques de diversões do interior do Brasil, principalmente, no Nordeste.

Eu me lembro como se fosse hoje, que pequena, morria de medo da Monga. Entrei várias vezes no show, mas só conseguia ficar até metade, porque saía correndo com medo! Hahaha!

No dia em que criei coragem e assistí ao show todo, a Monga me deu um tapa na orelha e eu saí cambaleando de dentro do show, com minha orelha quente. Mas é porque eu avancei para agarrá-la mesmo! Coisas de criança, creio eu ter uns 10 anos.

Por isso, vejam o vídeo abaixo, fala de uma coisa tão simples, mas que marcou minha infância, e acho que não tem disso na Europa.



Aproveito o ensejo para avisar que, a partir do próximo post, começarei uma série sobre o Brasil, falando um pouco da cultura de cada uma das 27 Unidades Federativas do país. Farei posts quinzenais sobre o assunto.


Caso você seja brasileiro, ou viva em algum dos Estados do Brasil, e queira que eu aborde algum tema, por favor, não hesitem em me mandar um e-mail para larissa.bona@lawrei.com ou me adicionar no Twitter (www.twitter.com/larissabona). Sugestões são bem-vindas.

Larissa Bona

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Da Democracia

(...) A questão coloca-se se, e quando, a democracia é, em si mesma, na sua força racional,incapaz de solucionar os problemas que se colocam a ela. Ou seja, os problemas não apenas da sua legitimidade - como sejam os da representatividade, do sufrágio universal, da electividade, do carisma da liderança, do governo da minoria, do sistema partidário - mas sobretudo daqueles que ficam, são reciclados, ganham novos nomes e hábitos. Falo dos comportamentos socialmente aceites que de uma forma ou de outra se opõem à conduta democrática, mas que por terem raízes nas mentes dos indivíduos, que sob a égide do Estado são cidadãos, tornam-se sobreviventes de uma cultura sócio-política; uma cultura masoquista, de auto-flagelamento, que definha a igualdade na diferença e perpetua a injustiça. E são esses comportamentos - ontem caciquismo, mandonismo e coronelismo, hoje clientelismo e corrupção - que escondem a verdade por detrás de engenharias socializantes nunca concluídas ou nunca eficazes, pois o que falta fazer na democracia é a democracia de todos os homens, a democracia nas mentes dos homens que querem fazer algo pela comunidade.

sábado, 1 de agosto de 2009

Nas Férias.....

-Aproveitar para descansar depois de um ano de trabalho

- Por a casa, papeladas e outras coisas em dia....

- Viajar

- Ir á praia....

- Namorar muitoooooooooooo

- Ler "aquele" livro que estamos para ler á muito tempo....

- Pôr a escrita em dia...

- Fazer todas as maluqueiras possiveis e imaginárias...

O que gostam de fazer??

-

Share Button