sábado, 28 de fevereiro de 2009

Sócrates joga forte

Vital Moreira é o cabeça de lista do PS para as Eleições europeias.
Esta escolha revela várias coisas.
Que José Socrates quer ganhar todos os actos eleitorais: Europeias incluido. Como afirmou o PM , o PS esteve em todos os momentos importantes da construção europeia na sociedade portuguesa. Na Adesão á UE, no lançamento da Moeda Unica e na ratificação do Tratado de Lisboa.
A escolha de Vital Moreira revela igualmente que Socrates dá importancia aos temas europeus. Que o debate de Junho será sério, credivel, esclarecedor e motivador. Que para o PS não haverá a mistura entre problemas do país e a Europa.
E Vital Moreira é a pessoa certa para fazer esse debate. Para trazer ao debate politico não as habituais quezilias politicas mas os temas europeus. E isso é positivo.
Vital Moreira é independente. Um excelente constitucionalista e uma pessoa que percebe de questões europeias.
É um nome forte e que vai ajudar o PS nesta batalha europeia.
Sócrates jogou uma cartada forte para a primeira batalha eleitoral do ano...
O PSD vai ter que responder á altura

Bandeira do Brasil

A bandeira do Brasil foi instituida a 19 Novembro de 1889. Quatro dias depois de instituida a Republica.

Segundo a história a cor verde representava a Casa de Bragança da qual fazia parte D.Pedro I e a amarela representava a Casa de Habsburgo

Na actualidade o verde representa as florestas, o amarelo os minérios e o azul o céu....

As Estrelas representam os Estados da União. São 27 Estados. De notar que existe uma estrela que está acima da faixa branca, é a chamada Estrela Espiga e representa o Estado do Pará que na altura era a capital.

O lema "Ordem e Progresso" é a frase do Positivismo.

De salientar que as Estrelas na bandeira do Brasil respeitam o posicionamento astronômicos. Um facto curioso.

A bandeira no seu todo foi idealizada por Raimundo Teixeira

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Depoimentos de Abril II

Nasci em 1991, portanto estive muito longe de ter nascido antes do 25 de Abril de 74.Contudo, desde muito novo que compreendi o significado deste golpe de estado/revolução pela liberdade do nosso povo oprimido durante tantas décadas.
Se vivesse nesse tempo era provavelmente um opositor clandestino ao regime.Sempre fui pelos valores da liberdade e igualdade e por isso o 25 de Abril tem para mim, tal como para muitos portugueses, um significado muito especial.
Não se trata apenas da mudança de um regime caduca para um regime moderno, democrático. Trata-se de um triunfo do povo sobre a tirania, e isso não tem preço.
Costuma-se dizer que os jovens de hoje em dia já não compreendem os valores do 25 de Abril, da liberdade, porque nascem livres e têm tudo dado pelos pais, mas a verdade é que não devemos ver as coisas de um modo tão generalizado e pessimista.Os jovens já não têm de lutar pelos seus direitos, mas os valores passam de geração em geração, e os programas escolares ajudam muito nessa transmissão dos factos históricos e feitos alcançados pela revolução.Se de facto hoje temos a liberdade não temos ainda a igualdade. O nosso país ainda está longe de se tornar o país sonhado pelos protagonistas de Abril.
Há ainda muito a fazer e por isso ainda muitas esperanças, sonhos e ideias presentes no espírito dos portugueses.
Tenho dito.
Texto de Jorge Santos

Mulheres III

É a cantora do momento. A sua beleza é igual á beleza da sua voz....

Rihanna tem tudo! Presença em palco, voz, um olhar estonteante. Que continue a "espalhar" a sua voz e beleza por esse Mundo fora..

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Novo inquilino na Casa Branca

Obama escolheu um cão-de-água português para ser o seu cão. Devemo-nos sentir orgulhosos por estarmos tão bem representados na Casa Branca.

Boa Sorte!

Pela melhor notícia.....

Hoje entra em acção o novo canal da TVI, dedicado á informação. É o TVI24. Mais uma espécie de CNN á portuguesa.
Não estaria a fazer este post caso não tivessemos já dois canais dedicados exclusivamente á informação: A Sic Noticias e a RTP N. Curioso o facto dos três operadores nacionais apostarem também num canal de informação.
Não contentes em batalhar pelas audiencias nos generalistas, os nossos operadores querem igualmente travar luta no cabo, e particularmente nas noticias.
O surgimento do TVI 24 não vem por acaso. É notório que a SIC ganha mais telespectadores e atenção com o seu canal de notícias. Porque se a informação no cabo for boa, também os noticiarios da tarde e da noite vão ser os escolhidos pela audiência.
Mas a luta pela melhor noticia não é a unica que envolve os três grandes (não, não é do futebol português mas da televisão portuguesa que em vez de apresentar qualidade tornou-se também ela um foco de guerrilha e interesses); pois também concorrem pelo melhor programa da manhâ, melhor noticiario da tarde, pelo melhor programa "pseudo-entertainer"; pela melhor novela, pelo melhor jogo de futebol......
Tudo isto faz parte do quotidiano da nossa televisão.
Pior vai ser quando houver um Quinto canal....
Faz sentido existirem tantos canais de noticias?

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O livro, o cartaz e outros que tais...

Ele há coisas que me incomodam, que por muito que tente, não me entram na cabeça. Ora, a 10 de Junho de 1819 nascia em França Gustave Courbet, pintor realista que algures numa fase da sua vida enveredou pelo tema do erotismo. Curiosamente, no Portugalinho à beira-mar plantado em pleno 2009, apareceu, numa Feira do Livro, um volume que na capa exibia uma obra desta pintor, no período supracitado. Um escândalo, um horror. O Zezinho viu e chamou o Joãozinho que por sua vez chamou o Luisinho, que depois chamou o Andrézinho que, no auge da euforia infantil, deixou que os pais percebessem o motivo de tanto alarido. E ora que sem mais, levanta-se a defesa da moral e dos bons costumes, e os pais da criançada decidem chamar a polícia. E a polícia, à cautela e preventivamente, segundo declarações de Henrique Almeida (segundo comandante da PSP), procedeu à apreensão dos livros referidos.
Eu gostava realmente de ter a capacidade de comentar isto, sem bater nas teclas da liberdade de expressão, da falta de cultura artística e do conceito de “pornografia” de algumas pessoas. Também gostava de não ter que referir as mentes poluídas que abundam neste país. E, principalmente, gostava que não me cheirasse a censura diariamente. Gostava que a “caneta azul” não me andasse a ensombrar os sonhos (pesadelos?) nos últimos dias. Isto era o que eu gostava. Mas eu também gostava que me saísse o euromilhões. Também gostava que o Sporting hoje ganhasse ao Bayern. Enfim… Sonhar não custa.
E afinal Gustave Courbert é uma desculpa tão boa como qualquer outra. Tão boa como o cartaz do Sócrates vs. Pinócrates. Tão boa como muitos acontecimentos recentes no nosso país. Uma pessoa sente-se castrada. E começa o medo que o vizinho ouça e seja um bufo e que, amanhã, a PVDE mascarada com outro qualquer nome mais pomposo e mais à esquerda (cof, cof, ironias à parte) nos venha buscar para nos torturar até à loucura. Mas isto sou eu. Talvez só e apenas eu.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Carnaval no Brasil


De cima para baixo: Desfile das Escolas de Samba na Marquês de Sapucaí; Ivete Sangalo, a "Rainha do Brasil" puxando trio em Salvador; os Bonecos de Olinda!

Hoje posto diretamente de Salvador, na Bahia. Estou aqui para festejar o Carnaval, o maior espetáculo da terra!


É pública e notória a paixão do povo brasileiro pelo Carnaval. Aliás, é uma das maiores manifestações culturais do Brasil e é onde temos nossa marca registrada.

Durante o Carnaval, este país para e as pessoas saem às ruas para celebrar a vida, a música e alegria de viver do povo brasileiro, apesar dos pesares.

A magia do Carnaval revela-se justamente no fato de que se trata de uma festa popular, onde todos, independentemente de sexo, língua, religião e condição financeira e social, participam.

Todo o Brasil comemora o Carnaval, mas são nas cidades do Rio de Janeiro, Salvador e Olinda onde se concentram as maiores manifestações populares.

No Rio de Janeiro, temos os já eternizados desfiles das escolas de sambas, com mulatas seminuas, Samba e baterias cujo som é um misto de energia e emoção.

Definitivamente, ouvir a batucada de uma bateria de escola de samba desperta uma sentimento indescritível, não há como expressar isso por meio de palavras.

Em Salvador, temos o Carnaval de rua, com blocos de Axé puxados por trios elétricos. É a minha forma preferida de Carnaval, correr atrás do trio é fantástico, sigo a filosofia da canção de Caetano Veloso “atrás do trio elétrico só não vai que já morreu”.

São cerca de 8 horas de percurso com artistas em cima de caminhões, que na verdade mais do que carros, tratam-se de estruturas gigantes com mega produções que não fazem feio frente à Hollywood, seguidos por multidões hipnotizadas pelo Axé.

Este ano de 2009 é muito especial para o Carnaval de Salvador, pois se completam 60 anos do bloco de afoxé Filhos de Gandhy, onde apenas homens podem participar e que foi criado por estivadores soteropolitanos inspirados em Mahatma Gandhi e seu clamor pela paz.

E por fim, em Olinda temos o sobe e desce das ladeiras das ruas históricas ao ritmo do frevo e com a companhia dos Bonecos de Olinda, que são bonecos gigantes feitos de pano, madeira e papel.

Para nós, brasileiros, o Carnaval é o evento mais importante de nosso calendário, mais importante até do que o Natal. Por isso, sempre brincamos que nada funciona no Brasil antes do carnaval, porque para nós o ano só começa de fato na quarta-feira de cinzas.

Viva o Carnaval.


Larissa Bona

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Máscaras de Carnaval

Em tempo de Carnaval, todos nós usamos máscaras.

Se tivesses que usar uma , o que usarias?

E a quem pregarias uma partida? e porquê?

Boas folias!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

O Rei Leão

Hugo Chavez é um caso impar na liderança politica mundial.
Tanto pode ser chamado de "ditador" como de "amigo ditador". Portugal e os Gato Fedorento que o digam...

Esta semana , no referendo que admitia um numero de mandatos ilimitados para a Presidencia da Republica, Chavez venceu. Mas teve de ser à segunda. Já o ano passado, Hugo Chavez tinha realizado o mesmo referendo. Com o mesmo intuito. Só que em Novembro de 2007 perdera. Agora não. Ganhou. E o mundo ganhou mais um dinossauro politico.

Principal fornecedor de petróleo dos EUA, principal opositor da democracia americana, aliado politico de Portugal, Chavez tem o poder todo na sua mão. E este resultado no referendo veio lhe dar mais poder. Politico e económico. Pois assim poderá ilimitadamente "controlar" também o petróleo.

Mas este resultado veio levantar outro problema. O crescente numero de republicas ditatoriais em que se está a tornar a América Latina. E este acontecimento na Venezuela poderá abrir precedentes.

O que representa isso para os EUA? para o Mundo? e para Portugal?

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Derby

Quem vai ser o Rei do Dérbi hoje á noite? Leão ou Águia?

Quem perder fica irremediavelmente afastado do titulo?

Cara Bonita "Olhar Direito..."

Diana Chaves 19votos 33%

Sónia Araujo 14votos 28%

Carolina Patrocinio 7v 14%

Rita Pereira 4v 8%

Isabel Figueira 3v 6%

Cláudia Borges 3v 6%

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Palpites I

Achas que Sócrates vai baixar os impostos antes das eleições em Novembro?
  • SIM 31votos ( 53%)

  • NÃO 27votos (46%)

votos : 58

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Um post pessoal

respondendo ao desafio do www.expressodalinha.blogspot.com , e porque hoje faço quase 1\3 de século, deixo aqui algumas caracteristicas:
  1. Sou discreto.
  2. Sou optimista. Procuro tirar o máximo das situações. Mesmo as más.
  3. Sou lutador. Gosto de uma boa adversidade, de contrariá-la e no fim poder aproveitar essa situação
  4. Tenho um bocado a mania que vivemos no "mundo perfeito"...
  5. Não gosto de pessoas falsas, hipócritas e mentirosas
  6. Adoro mulheres. Não consigo viver sem elas. É o ser perfeito!!!

Agora lanço o desafio a todos os que quiserem descrever as vossas caracteristicas.

O Principezinho

Hoje, porque é um dia especial e o nosso "Menino" faz anos decidi escolher um livro especial. Provavelmente, ele nunca o leu. Provavelmente poucos o leram. Mas todos já ouviram falar dele. Dele, do livro claro!!
Do Francisco também, e ainda mais que hoje faz nem mais nem menos que 24 aninhos!!
Olha o surfista na crista da onda!!
Então a postagem hoje é dedicada ao aniversariante........... O livro escolhido é o Principezinho..... Um livro que nos fala do que quisermos. De tudo e de nada. De MUITO.
Um livro sobre as relações humanas, comportamentos humanos e sobre o que é essencial na vida de cada um de nós....
Um livro que nos diz que o nosso Mundo não é só o que alcançamos com o olhar ou ... nem só o que imaginamos,... que nos ensina que o tempo é relativo mas muito, muito importante....
Que o que torna tudo importante é o tempo que dedicamos ............. E, essencialmente que nos ensina que :
O ESSENCIAL É INVISÍVEL PARA OS OLHOS
PORQUE SÓ SE VÊ BEM COM O CORAÇÃO.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Filhos e Enteados (ou como os enfermeiros continuam esquecidos por todos...)

Hoje via o mais recente programa da Maria Elisa, na RTP1, onde se falava sobre o importante papel dos médicos na cura das doenças neurológicas e, mais tarde, se versava sobre o papel das equipas multidisciplinares no acompanhamento ao doente com patologias degenerativas. A representante de uma associação falava então da importância de terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e psicólogos. Enfermeiros? Pois, parece que esta senhora não os considerou importantes, assim como a grande maioria dos convidados presentes no programa. Inclusive Maria Elisa, que se sabe ter fibromialgia, não tocou sequer na questão da importância desta classe profissional.
Parece-me abjecto. Parece-me que a nossa sociedade continua impregnada com ideias curativas desprezando continuamente o conceito do cuidar. E eu gostava de saber quem é que se cura sem ser cuidado. Há ainda outras coisas que gostava de saber como, por exemplo, qual seria o acompanhamento dos doentes internados se os enfermeiros não existissem, qual a taxa de sucesso em termos de altas com curas efectivas, qual o grau de satisfação das famílias dos doentes internados???… Enfim, uma panóplia de questões. E, para falar a verdade, até “me doeu o fígado” quando começou toda a gente a debater a questão do cansaço dos cuidadores informais (alguém que sem ser profissional de saúde cuida a tempo inteiro, em contexto de ambulatório, de uma pessoa doente ou gravemente limitada em termos físicos /mentais). O cansaço dos cuidadores informais sempre foi uma prioridade da enfermagem, ou alguém acredita que são os médicos que fazem ensinos a estes familiares, que realizam as higienes dos doentes, que auxiliam as famílias? Serão porventura os psicólogos que se deslocam a casa destas pessoas e lhes prestam apoio emocional, analisando as suas condições psicológicas e criando planos de cuidados adequados a cada um? Quantos fisioterapeutas fazem parte das equipas de gestão de alta hospitalares? Alguém acredita numa rede de cuidados continuados sem enfermeiros? Melhor ainda, há por ai alguém que acredite em saúde sem a figura do enfermeiro?
E desculpem se pareço amargurada mas custa-me este descrédito, este desprezo, esta falta de reconhecimento a que a classe dos enfermeiros é sujeita no nosso país. Por alguma coisa nos Estados Unidos se recrutam enfermeiros portugueses e os seus serviços são pagos com salários altíssimos. Enfim, santos da casa nunca fizeram milagres…
(Ressalvo aqui o meu total respeito e reconhecimento por todas as profissões que enumerei neste texto. Sem médicos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e psicólogos, certamente os enfermeiros também não fariam grande coisa, ou talvez coisa nenhuma, A questão é só que… Cansa reconhecer e nunca ser reconhecido!)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Tribunais Brasileiros e a Violência Presumida Contra Menores

A partir de que idade brincar de boneca não tem mais graça?

O Código Penal Brasileiro (CPB), que é uma lei datada de 1940, prevê, em seu art. 224, os casos de violência presumida relativamente os crimes contra os costumes.

Para vocês entenderem, os crimes contra os costumes, nos termos da lei brasileira, são os crimes sexuais, sedução e corrupção de menores, lenocínio (cafetão), tráfico de mulheres e atentado público ao pudor.

Então, quando estes crimes são praticados, mesmo com consentimento da vítima, contra menores de 14 anos, pessoas alienadas ou mentalmente débeis, e contra pessoas que, por qualquer outra razão, não possam oferecer resistência, presume-se a violência.

Por exemplo, o estupro, que de acordo com o CPB trata-se da penetração peniana na vagina mediante violência ou grave ameaça, é presumido se, mesmo com consentimento da mulher, há relação sexual entre um homem e uma menor de 14 anos.

Abro aqui um parêntese para esclarecer que no Brasil não existe estupro masculino. O abuso sexual contra homens é considerado atentado violento ao pudor.

Pois bem, o STF já se declarou favorável à flexibilização da violência presumida em caso de relações sexuais com menores de 14 anos, pois entende que o CPB, pelo menos neste quesito, não mais atende à realidade dos costumes da sociedade atual, já que os adolescentes de hoje iniciam a vida sexual muito mais cedo do que os da década de 40.

Diante disto, relato um caso de estupro presumido, julgado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (o mais vanguardista de todos os Tribunais de Justiça da federação brasileira) em em 22/01/2009, onde o mesmo entendeu que relação sexual aos 12 anos de idade não é estupro, se consentida. (clique aqui para ler a decisão na íntegra)

No caso, uma pré-adolescente de 12 anos namorava um jovem de 20 anos e com ele manteve relações sexuais consentidas.

O Tribunal entendeu que não houve qualquer coação física ou psicológica por parte do rapaz contra a garota, que a menina admitiu que ele era seu namorado e que sua família era ciente do relacionamento, inclusive, aceitando-o. Por isso, o jovem foi absolvido da acusação de estupro.

Portanto, gostaria de saber a opinião de todos os leitores do Olhar Direito sobre este caso.

Vocês acham que uma pré-adolescente de 12 anos tem discernimento para consentir uma relação sexual? Crianças dessa idade não mais são inocentes?

Como este tipo de questão é abordada, legal e socialmente, em seus países? Onde você mora existe a presunção de violência?

A educação sexual também é uma obrigação do Estado, ou deve ser só dos pais?

Aguardo suas opiniões!

Larissa Bona

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

About Kuala Lumpur

More than any other spot in the country, Kuala Lumpur, or "KL" as it is commonly known, is the focal point of new Malaysia. While the city's past is still present in the evocative British colonial buildings of the Dataran Merdeka and the midnight lamps of the Petaling Street nightmarket, that past is everywhere met with insistent reminders of KL's present and future. The city's bustling streets, its shining, modern office towers, and its cosmopolitan air project an unbounded spirit of progress and symbolize Malaysia's unhesitating leap into the future. To some, this spirit seems to have been gained at the loss of ancient cultural traditions, but in many ways KL marks the continuation rather than the loss of Malaysia's rich past. Like Malacca five hundred years before, KL's commercial centre is a grand meeting place for merchants and travelers from all over the world.

In the same way, the city brings together Malaysia's past and present, its many constituent cultures, and even its remarkable natural treasures, allowing first-time visitors an invaluable opportunity to see Malaysia as a whole before setting off to explore its parts. In the botanical and bird parks of the Lake Gardens one is treated to a first glimpse of the unsurpassed beauty and variety of Malaysia's plants and animals. In the vibrant Central Market, music, crafts, and cultural practices from Kelantan to Sarawak can be explored and experienced. And in the National Museum, the dizzying multiplicity of Malaysia's cultural history comes into focus. As the entry point for most visitors and the meeting point of the country's many attractions, Kuala Lumpur is a grand gateway to a fascinating destination.

Petronas Twin TowersWith a height of 1,453 feet, one of the world's tallest buildings rise above the skyline of Kuala Lumpur. They are called the Petronas Towers, and, inevitably, they have become the symbols for the astounding growth that has taken place in Malaysia over the last two decades.

Texto de Humaira Khairunnisa do blogue www.humairakhairunissa.blogspot.com

Ainda acredita?

José Socrates ou Pinócrates?
Este tipo de campanhas deviam ser proibidas?

domingo, 15 de fevereiro de 2009

OLHAR A SEMANA - DIREITOS GAY

Numa semana em que o Primeiro-Ministro levantou os casamentos “gay” como uma bandeira eleitoral para 2009, tentando conquistar o eleitorado à esquerda que, não sei porquê, acha muito bem tudo o que é “gay” e em que o porta-voz da Patriarcado veio reduzir o caso a uma questão de procriação, considerando inconsequente toda a argumentação em contrário, logo contra natura, logo contra Deus, estreou-se o filme “Milk”.
Harvey Milk foi um activista político “gay”. Está para os gays como Marten Luther King está para os pretos. Na sua luta política de duas décadas acabou sendo eleito representante um bairro importante de San Francisco junto da respectiva municipalidade. Uma proeza absolutamente impensável nos anos 70. Acabou assassinado em plena Câmara por outro vereador, eventualmente mal assumido. Não vou aqui fazer uma análise ou crítica ao filme propriamente dito, onde se destaca uma interpretação absolutamente notável de Sean Penn. Importa reflectir sobre outros aspectos.
Normalmente o meu preconceito contra os homossexuais deve-se às seguintes razões: não sou homossexual e não tenho, francamente, qualquer tendência; conheço poucos ou nenhuns homossexuais (de qualquer forma, nenhum com um mínimo de intimidade social); faz-me aversão aquela maneira arrabichada de estar, cheia de trejeitos e maneirismos exibicionistas; provavelmente, mesmo que não o admita, ainda não estou seguro que a homossexualidade não tenha o seu quê de doença; desconfio imenso do lóbi “gay”; finalmente, não consigo colocar a questão da discriminação “gay” em paralelo com a discriminação das mulheres ou dos negros, por exemplo.
Harvey Milk tem uma abordagem aberta e explícita. Ele candidata-se a eleições democráticas assumindo-se publicamente como “gay” e lutando pelos direitos dos “gays”. Combate propostas concretas que discriminavam os “gay” no trabalho e na vida social em geral. Finalmente, ele insita os “gays” a assumir-se e a mostrarem-se como são, com o argumento de que se as pessoas “normais” perceberam que o filho, o sobrinho, o amigo, o colega são gays, vão aceitá-los com naturalidade. Deixa de haver medo do desconhecido e, ao mesmo tempo, as pessoas vão perceber que, na generalidade dos casos, são gente como outra qualquer e, provavelmente gente de bem. Por outro lado, essa assumpção obriga os “gays” a actuarem responsavelmente no seio da comunidade, deixando de praticar comportamentos marginais e de risco. Ao assumirem-se, os “gay” adquirem direitos e deveres. Deixam de ter a desculpa de que os forçam a marginalizar-se. Ou seja, Harvey lutava, em última análise, pela “normalização” da comunidade “gay”. Lutava pela sua integração social plena.
Como é diferente esta visão daquela que nos rodeia. Há na política, até nos partidos mais à direita, pessoas que escondem as suas tendências; que pregam uma coisa e fazem outra; que irão votar contra a igualdade de direitos, escondendo-se num poço de virtudes.
O casamento “gay” é o registo notarial de uma situação de facto que os parceiros querem duradoura. Nada mais. Esta é a única forma de terem os mesmos direitos e deveres de casal heterossexual. Um registo que o estado reconheça e que os abrigue em termos de lei civil. Não reconhecer isto é colocar os “gay” num gueto e, em última análise, contribuir para a sua marginalização social, civil, fiscal, política…tudo! Mesmo o argumento da macaqueação do casamento com véu, flores, alianças de gosto mais que duvidoso, na verdade em nada prejudica, não é sequer essencial. Importante é que eles ao assumirem direitos iguais, assumam deveres iguais. Esconder uma realidade, uma evidência, nunca deu bom resultado.
O filme foi importante para me abrir horizontes e fazer-me pensar sem preconceitos atávicos e primários. Só de uma coisa não fala. Da adopção. E aí, sim, mantenho as maiores dúvidas quanto à equiparação. Espero que se a promessa eleitoral do PS for para a frente, esta questão seja discutida à exaustão sem argumentos demagógicos. Aqui não há lugar a enganos ou revisões a posteriori. São crianças que estão em jogo!
Jorge Pinheiro

Tempo

"O tempo é o nosso melhor amigo"

"O tempo cura tudo"

"Ó tempo volta para trás..."

"Estou sem tempo para...."

"Perdi imenso tempo..."

"Não consigo controlar o tempo.."

"Vai estar muito mau tempo.."

"É tempo de fazer alguma coisa.."

"Falta pouco tempo para acabar o jogo..."

Mais expressões para o tempo?

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Broken Strings

Para um dia Especial, uma musica Especial...

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Mulheres II

Nicole é a musa de Hollywood?

Slumdog Millionaire

Fantástico!Emotivo!Brutal!Romântico!

Slumdog Millionaire é dos melhores filmes que passaram pela industria cinematográfica.

Jamal Malik é um jovem que concorreu ao famoso concurso "Quem quer ser milionário"?. O curioso é que as perguntas que lhe são colocadas estão relacionadas com a sua vida. Enquanto vai respondendo ás perguntas, Jamal vai recordando a sua infância e adolescência.

À medida que vai crescendo encontra o seu amor, a bela Latika. Não querendo separar-se dela, faz tudo para a recuperar. Mas para isso tem que enfrentar o seu próprio irmão e a sua quadrilha. Até o apresentador do concurso tenta enganá-lo numa pergunta. Estão a imaginar Jorge Gabriel a enganar os concorrentes da versão portuguesa?

É um filme espectacular. Viajamos até á India. A sua cultura, o seu povo. É um filme com traços tipicamente indianos.

Vale a pena ver!!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Uma questão de idade...

Na lista de insólitos do Expresso online falava-se, esta semana, de Kim Petras, a mais nova transexual do mundo que, por apresentar disforia de género, começou a tomar hormonas com 12 anos e aos 16 realizou a cirurgia que lhe permitiu mudar de sexo. Kim nasceu Tim e, não sendo uma história inédita, reveste-se de carácter particular pela idade da jovem em questão. Será legítimo que, aos 12 anos, antes da identidade sexual estar completamente formada, se autorize a toma de hormonas com esta finalidade? Não seria mais ético esperar que esta jovem atingisse a maioridade legal?
A disforia de género é uma patologia em que o sexo psicológico é incompatível com o sexo somático, num indivíduo biologicamente normal segundo a sua história pessoal e clínica e segundo exame psiquiátrico. Está provado que esta incompatibilidade provoca um sofrimento atroz em quem o experimenta, sendo determinada por uma causa biológica pois o hipotálamo do transexual leva-o a comportar-se contrariamente ao sexo correspondente à sua genitália de nascença. A única forma de cura desta patologia passa exactamente pela cirurgia a quem Kim se submeteu e que segundo a Comissão Europeia de Salvaguarda dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais, tem uma função curativa com o fim de permitir a integração pessoal e social do doente ao sexo a que possui convicção de pertencer.
Posto isto, devo dizer que sou totalmente a favor da cirurgia. Não se trata de um caso de transformismo, de vaidade ou de tentativa de dar nas vistas. Falamos antes de alguém que sofre, que não se consegue integrar e, não nos esqueçamos que, muitas vezes, a disforia de género conduz ao suicídio.
É apenas a idade de Kim que me perturba e me faz levantar algumas questões. Se aos 16 anos a identidade sexual não está formada, o que direi dos 12 anos? De uma criança de 12 anos… Seria o seu sofrimento de tal ordem a ponto de iniciar tratamento hormonal imediatamente? Não teria valido a pena esperar alguns anos? Será que, mais tarde, Kim não se vai arrepender desta decisão? A que tipo de pressões terá sido sujeita? É uma criança, o melhor do mundo segundo Fernando Pessoa, mas, nem por isso capaz de decidir de uma forma tão radical, capaz de fazer uma escolha desta ordem… No caso de Kim não me parece que tenha sido o timming certo mas todo este sensacionalismo é capaz de ajudá-la a vender alguns discos… Quem mais ganhará com isso?

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Tema do DIA III

"Somos jornalistas na blogosfera?" Fevereiro 2009

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Histórias do Brasil durante a Era Medieval

Nem Europa, nem Disneylândia, este castelo está localizado no interior do Brasil

Todos nós sabemos que o Brasil foi “descoberto” pelos portugueses em 1500, ou seja, já na Era Moderna, sequer vivemos na Idade Média.

Mas como no Brasil tudo é possível e para tudo se dá um jeito, podemos dizer que conseguimos, agora em 2009, vivenciar um pouco da Idade Média, já que até castelos nós temos agora.

O escândalo hoje que ocupa as manchetes dos jornais, televisão e internet, é o caso do Deputado Federal Edmar Moreira (DEM/MG) que assumiu a corregedoria da Câmara dos Deputados.

O Corregedor tem a função de investigar as denúncias feitas contra seus pares e já assumiu o cargo defendendo a extinção dos julgamentos por quebra de decoro parlamentar, pois opina que quando os deputados julgam seus pares, há uma “imparcialidade” pela “amizade” que os une. Que bonito isso não?

Esta opinião dele ficou mais linda depois que se descobriu um castelo medieval, igualzinho ao da Cinderela da Disney World em Orlando, que ele construiu no interior de Minas Gerais.

O castelo tem 36 suítes com hidromassagem, distribuídas em oito torres com inspiração medieval, salões para festas, sauna, piscina, lagos para pescaria e estrutura para golfe.

Não há nenhum problema de uma pessoa gastar seu dinheiro da maneira que achar mais conveniente, entretanto é muito imoral ter este patrimônio todo e sonegá-lo perante a Receita Federal e a Justiça Eleitoral.

Aliás, o parlamentar colocou o imóvel no nome dos filhos e informou, na declaração de imposto de renda deles, que o mesmo valia R$ 3.196.000 (cerca de 1.000.000€) quando na verdade o Castelo Monalisa vale R$ 25.000.000 (cerca de 8.500.000€).

O pior de tudo é que, quando uma pessoa vai se candidatar a um cargo público, deve fornecer à Justiça Eleitoral uma lista de seus bens, e o deputado, cujo patrimônio declarado é R$ 9.000.000 (cerca de 3.000.000€), apenas listou uma casa e um terreno no valor de R$ 17.500,00 (cerca de 6.000,00€).

Além disso, ele foi denunciado pelo Procurador Geral da República por suspeita de se apropriar ilegalmente das contribuições feitas pelos empregados de sua empresa de segurança ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Devido aos escândalos, ele renunciou ao cargo de corregedor da Câmara (já pensou, um homem desses, responsável por investigar os podres de seus pares?) e pode ser expulso do seu partido, o DEM.

Infelizmente, já não me indigno com os escândalos e acho que isso é um mau sinal, pois pareço acostumada com eles.

O que me intrigou, na verdade, foi a seguinte questão: para que diabos uma pessoa precisa de um castelo no interior de Minas? A Disneylândia agora é aqui!

Larissa Bona

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A Primeira Dama e o Estado

Ao ser eleito um Chefe de Estado que seja casado, a sua esposa torna-se Primeira Dama! Que interessante é ver esta relação, não estará tudo isto um pouco desenquadrado da realidade? A História mostra-nos que um bom Chefe de Estado seria o bonus pater familiae, isto é, seria um bom Chefe de Estado quem tivesse uma família tradicional, um lar, uma esposa, filhos e que soubesse ser um bom chefe de família, mantendo a ordem da instituição.

Tratar alguém como sendo a Primeira Dama, por ser casada com o Chefe de Estado, leva a crer que um Chefe de Estado para ser um bom governante tem de, necessariamente, ser casado ou, pelo menos, ter alguma estabilidade nas suas relações amorosas. Nos nossos dias, esta realidade não faz sentido!

Primeiras Damas, não são só as que são casadas com os Chefes de Estado, são todas as mulheres que afirmam princípios, que lutam por causas, que fazem algo para mudar o que nos rodeia. No entanto, pode-se considerar que várias esposas de Chefes de Estado ao longo dos tempos têm vindo a agir deste modo, como Anna Eleanor Roosevelt na luta pelos direitos do Homem, Maria Barroso, entre outras figuras.

Não desvalorizo o papel da Primeira Dama na sociedade. A Primeira dama deve de ser a figura exemplar, aquela que se interessa pelos assuntos diplomáticos do país, aquela que se interessa pelos assuntos sociais e a senhora elegante que recebe com o seu esposo os Chefes de outros Estados. Todavia, acho que o simbolismo de “Primeira Dama” não se deve esgotar nestas figuras, pois dentro de um Estado, muitas Primeiras Damas existem!

Texto de Tânia Martins

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Clássico no Dragão

Este Domingo jogam Futebol Clube do Porto
vs
Sport Lisboa e Benfica
Separados por um ponto, este jogo decide o titulo?

Olhar a Semana - Não te preocupes! Esta semana há Clássico no Dragão..

Esta semana, como o expressodalinha não pode fazer a rubrica semanal, cabe-me a mim essa tarefa..

Pouco se ouviu falar do caso freeport....Ou a Procuradoria arquivou o caso ou os jornalistas deram por terminada a tarefa de "chatear" o PM. Depois de na semana anterior, termos assistido a uma lixeira televisiva de como não se deve incriminar alguém, as televisões estiveram mais preocupados com outros assuntos....porque hoje há FCP vs SLB?

No plano interno, Cavaco Silva vetou o diploma que põe fim ao voto por correspondência dos emigrantes. Muito bem, Sr.Presidente! Ao menos que haja alguém que defende os portugueses que tiveram que ir ganhar a sua vida lá fora, já que no seu país não encontrou as oportunidades merecidas. Também eles merecem votar e decidirem sobre quem está á frente do país! Mais uma vez Manuel Alegre e o PS estiveram ás turras. Porque continua o poeta a alimentar ódios no PS? porque não arrisca? Estará a preparar uma nova candidatura a Belém?Quais as dificuldades de fazer um novo partido? Mais uma semana cheia de despedimentos, a Qimonda continua sem solução á vista. Mas nada de preocupações, este fim de semana há um Porto-Benfica!

Lá por fora, ficamos a saber que dois membros da equipa de Obama não têm impostos em dia. E que o novo Presidente quer dar o exemplo e não os integrou na equipa. Diz ele que se os cidadãos comuns têm que cumprir as suas obrigações, todos os que "não são comuns" também têm de o fazer. Será que em Portugal se segue este exemplo dado por Barack? Em Gaza continua o impasse e a luta Judaico-Palestina, sendo que há 30 anos que não é novidade esta guerra. Continue..... Durão Barroso foi considerado como 10 homem\ politico mais influente. Se for mesmo verdade, é de preocupar, pois ele é tão influente que pode "abandonar" uma governação a meio...Quererá voltar?. Triste e preocupante são os trabalhadores portugueses discriminados em Inglaterra. É que não podem votar, nem trabalhar!!! Mas isto não interessa visto que há clássico no Dragão....

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Reino do Cambodja

A bandeira do Reino do Cambodja foi adoptada em Setembro de 1993. No dia 23.

Foi no dia do reestabelecimento da Monarquia no país.

A bandeira possui três listas horizontais. Sendo que o encarnado tem o dobro da largura

No meio do encarnado está representado a entrada do templo de Angkor Wat.

À falta de informação sobre a bandeira e a sua história, damos a conhecer um pouco o país:

A Capital é Phnom Penh

A Língua Oficial é o Khmer

Governo é uma Monarquia Constitucional

A independência da França deu-se em 9 de Novembro de 1953

Faz fronteira com a Tailândia, Vietname e Laos

A moeda é o Riel

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Mulheres I

E se tivessemos uma Ministra assim?
Estariamos a salvo da crise?

Second Life

Um verdadeiro filme tipicamente português. Mais um desastre na industria cinematográfica portuguesa.

Desde as cenas de sexo (exageradas...) , mais uma vez se comprova que a nossa industria não se "safa" sem mostrar o corpo das nossas belas actrizes como Sandra Cóias, Cláudia Vieira e Liliana Santos. São belas sim senhor, mas um filme é muito mais do que isso. Já repararam em como no filme "Austrália", não podemos apreciar o corpo (ainda melhor...) de Nicole Kidman? Porque razão insiste a 7 arte nacional no Sexo?

Mas nem só de sexo, está o filme mal feito. A história é uma confusão de ideias e de saber quem é quem, ou quem foi o quê.

E as participações de Figo e Fátima Lopes? um futuro após o fim das respectivas carreiras?. A produção nacional agora não consegue passar sem Paulo Pires e Cláudia Vieira?

Second Life quer mostrar uma imagem filosófica. É um filme onde a personagem principal vive duas vidas e dois amores. Não se sabendo em que momentos da sua vida é que os conheceu....Numa vida existe a traição, ciumes, desconfianças e infelicidade (não há argumento seja de telenovela ou filme em que não estejam presentes estes condimentos, no que a produções nacionais diz respeito.....); na outra vida reina a paz, a comodidade e um amor feliz.

A qual dos dois atender?

É um filme com mau argumento, pouco nexo, uma história mal contada e explicada, actores pouco preparados e entusiasmados mas, tem cenas de sexo!!!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Um Psico-Evento

Qual é o papel da autoridade da concorrência?
Em Portugal funciona normalmente e adequadamente?
Acompanha aqui todas as incidências do debate

A história de Portugal e do Cambodja Parte II

3. The Portuguese Influence?

The Khmer people called their country Kampuchea, a word which derived from the Pali word of Kambuja. But the word Cambodge in French and Cambodia in English was said to be derived from the Portuguese word of Cambodja. This rationale might have some merits and truth in it since the Portuguese were the first Europeans to arrive in Cambodia in the mid 1400s. The Portuguese word of Cambodja was certainly derived from the Khmer word Kampuja but it was certainly the Portuguese word of Cambodja that has introduced the name of Kambuja to the vocabularies of the European languages as they were the first Europeans to have arrived in Cambodia. Another Portuguese influence in Cambodian language was the name of the Cambodian currency, the Riel. There are suggestions that the Cambodian unit of currency, the "Riel", is probably derived from the Portuguese unit of currency "Real" that was in use between A.D.1430-1911.

4. The Cambodian-Portuguese Earliest Connections

When the Thai kingdom of Ayudhya sacked Angkor in 1431, the Spanish and Portuguese, who had recently become active in the region, also played a part in these wars until resentment of their power led to the massacre of the Spanish garrison at Phnom Penh in 1599. The first known Portuguese missionary to have come to preach in Cambodia was Gaspar de Cruze, who came to Longvek, the Cambodian royal capital, in 1556 in an attempt to convert Cambodians to Christianity. He leaves a year later disappointedly unable to convert any Cambodians, whom he blames for believing in superstitions and loyalty to Buddhism. During that period, many Portuguese came as traders and missionaries and were met with fierce resistance from the local Chinese merchants and the devout Cambodian Buddhists. Many of them were massacred. To protect these traders from local attacks, in 1580 Portugal and Spain sent reinforcements of Spanish soldiers of fortune and Dominicans from Manila, the Philippines, to protect Portuguese in Cambodia. Many Portuguese traders and missionaries are in the Khmer royal court of Longvek during this period. Another Portuguese, who perhaps played the most important parts in the Cambodian affairs at the time was Diego Belloso (Diogo Veloso), an adventurer, who came to Longvek in 1585. He later married a relative of the King. At the same time other Iberian adventurers were trying their luck in Cambodia, a few missionaries had gone there as early as the 1550s, but Buddhist opposition had always forced them to leave again. This changed in the 1580s, when an ongoing struggle between Siam and Cambodia turned against the Cambodians. As the Siamese king, Naresuen, advanced on Longvek (Cambodia's capital for much of the 16th century), the feeble Cambodian king, Settha, became desperate. Using Diogo Veloso, a Portuguese as his envoy, soldier of fortune, Settha pleaded for aid, first from the Portuguese at Malacca, then from the Spaniards at Manila. A Spanish force was sent from Manila in 1594 but it arrived too late; the Spaniards found that Cambodia had fallen to the Siamese, Veloso was a prisoner in Siam, and King Settha was a refugee in Laos. The Spanish leader, Blaz Ruiz, was captured and placed on a prison ship headed for Siam. Unwilling to give up so easily, Ruiz managed to hijack the ship and take it back to Manila. Meanwhile the equally resourceful Veloso gained favour with Naresuen, the Siamese king, and got himself placed in command of a ship carrying the Siamese ambassador to Manila. The adventure became even more bizarre once Veloso and Ruiz were united in Manila. Forgetting that he was now officially a diplomat of Siam, Veloso claimed that he represented Cambodia's ex-king and signed a highly irregular treaty. This document allowed Spanish troops, merchants, and missionaries to travel freely in Cambodia, and promised that the king and queen would become Christians in return for military aid. Then Veloso and Ruiz led a raid on Siamese-occupied Phnom Penh. Deciding at first to return to Manila after this affair, they later changed their minds, jumped ship in a Vietnamese port, and marched overland from Vietnam to Laos, where they discovered that Settha and his eldest son had died. The adventurers returned to Cambodia in 1597 with Settha's second son in tow; fearing another Spanish invasion, the terrified Cambodians allowed them to crown the prince as King Barom Reachea II. In 1595 Diego Belloso managed to convince Dasmarinas, the Governor of the Philippines, to send military expedition to protect King Settha's throne and at the same time established the de facto Spanish rule over the Khmer court. Three ships with 130 soldiers were sent. The Hispano-Portuguese expedition sent from the Philippines arrived in Phnom Penh in 1596, but the King, Ream the second or Chau Ponhea Nou (1596 – 1597), had already fled the court at Srei Santhor and Reama Chong Prei was installed. Belloso and Ruiz, who comes with the expedition, along with 38 men travelled to Srei Santhor and attacked the palace at night. They killed King Reama and fought their way back to their ships at Phnom Penh. On April 12, 1596, Portuguese Belloso and Spaniard Ruiz's men attacked and ruthlessly killed many Chinese traders in Phnom Penh. They also burnt houses in the Chinese quarter of Phnom Penh. In May 1596, Veloso (Belloso), Ruiz and some 40 of their men made a surprise attack on the Khmer court at Srei Santhor, killing the King, burning his palace and blowing up a powder magazine. They then returned to their ships in Phnom Penh and fled. In May 1597, Veloso and Ruiz, fled Cambodia after killing a Khmer King Reama Chong Prei the previous year. They reappeared in Cambodia with the son of King Settha Chau Ponhea Ton (Barom Reachea II), who took the throne at Srei Santhor. In 1599, the Spaniards and the Malays (the Chams, the Cambodian Muslims) in Phnom Penh clashed, in which Veloso and Ruiz were killed. At the time, the two Portuguese and the Spaniard adventurers were at Srei Santhor for discussion with the King as violent incident occurred in Phnom Penh between Spaniards and Malays (the Chams). Against the King's advice for them to hide and wait for the violence to calm down, the two adventurers rushed to Phnom Penh to help their compatriots and were both killed by the Chams. The Cambodian-Portuguese connections have been the longest of any European peoples. Britain, the greatest empire in the 18th and 19th centuries, only had contacts with Cambodia in the early 17th century. Peter Floris, who arrived in Phnom Penh through the Mekong River in July 1612, appeared to be the first British to reach Phnom Penh and Cambodia. Even the Dutch who had established themselves in Batavia (Indonesia) much earlier had only made contacts with Cambodia in the mid-1600s, when the manager of the Dutch factory, Pierre de Regemortes, arrived in Oudong, the Cambodia royal court, in September, 1643 to protest to the Cambodian king against the violence and damages suffered by his company. Irritated by his insolence, the Royal Guard killed him and 36 of his followers, while some 50 others were thrown into prison. The French, the colonial power of Cambodia for 90 years, arrived in Cambodia much later than the Portuguese. Bastian de Bouillon, according to the English documents, appeared to be the first Frenchman to arrive in Cambodia when he docked at the Cambodian port in 1653. He arrived from Batavia (Indonesia) with two junks laden with cloth worth 30,000 reals. The French people only returned back to Cambodia some two hundred years later, to colonise it in the mid 1800s. France signed a treaty with the then Prince Norodom on 11th August 1863 to establish a Protectorate over Cambodia which France maintained a colonial rule for 90 years until Cambodia gained independence on 9th November, 1953.----------------------------

5. The Present Cambodian-Portuguese Connections

It is hard to know to what extent Portugal and the Portuguese people have played a part in the Cambodian society of today. But there must be some Portuguese people who have come to do volunteer works in Cambodia. I am sure that there must be some Portuguese people who have set up businesses and charity organisations in Cambodia. At the time of writing this article I was unable to find any evidence of significant Portuguese involvements in the Cambodian society. However, I hope that Portuguese people and their government can play a leading role in the Cambodian society as what their ancestors have done from the 15th to the early 2oth century.---------------------------------

Texto de Khmerization Jr autor do blog http://www.khmerization.blogspot.com/ e http://www.ki-media.blogspot.com/

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Eutanásia

A eutanásia parece estar, mais uma vez, na ordem do dia. Este Domingo, o Papa Bento XVI, durante a oração do Angelus, referiu que a eutanásia é “uma falsa solução para o drama do sofrimento”. Ontem, curiosamente, revia também o primeiro episódio da primeira temporada de Dr. House em que este abordava uma verdade, inerente ao conceito de dignidade humana de Kant: morrer nunca é digno uma vez que a dignidade está intrinsecamente ligada à vida e só nela faz sentido. Cabe neste espaço o conceito de “morrer com dignidade?” Lamento, mas não creio. Alguém já assistiu a uma morte causada pela injecção letal? Pela ingestão de um tóxico? Pela utilização de monóxido de carbono? De pouco se parece com os casos relatados no cinema. As injecções letais frequentemente causam convulsões violentas e espasmos musculares. A morte não é bonita. Se acredito que é uma falsa solução? Sim, acredito.
Basta debruçarmo-nos sobre casos específicos como forma de auxiliar o raciocínio. A norte temos o exemplo da Holanda, que após legalizar a eutanásia, se vê a braços com uma situação sem precedentes onde a decisão sobre a vida do outro já é tomada pela família, pelas equipas de saúde e pelos tribunais. Vejamos por outro lado o caso da mulher italiana, cujos tribunais, após 10 anos, deliberaram suspender a alimentação em Novembro passado a pedido do pai. Ela escolheu morrer? Parece-me que um ponto é fundamental: a eutanásia voluntária acaba por trazer a involuntária por arrasto (não nos esqueçamos dos doentes menores de idade, dos mentalmente incapacitados para decisões, dos doentes em estado vegetativo…).
Muitos defensores da eutanásia afirmam que esta é, muitas vezes, a única solução para um sofrimento terrível o que, actualmente, não é de todo verdade. A farmacologia desenvolveu-se bastante nos últimos anos e temos ao nosso dispor um leque diversificado de analgésicos opiáceos que, integrados numa rede com bom suporte emocional, permitem que os últimos tempos de vida sejam de qualidade e, aqui sim, podemos, quanto a mim, utilizar a palavra dignidade.
Se a pessoa que sofre for cuidada numa boa rede de cuidados paliativos desejará, mesmo assim, morrer? Em que devemos apostar? Deverá ser nossa preocupação exterminar radicalmente o sofrimento finalizando a vida de alguém, ou investir em cuidados de saúde de qualidade que permitam que a vida termine de forma natural, sem sofrimento e em paz? Importa reter que, hoje em dia, a eutanásia não é a única solução (e alguma vez foi?) …

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Caso Battisti

Desculpa Berlusconi, mas você não é Fidel...

O Brasil vive um novo imbróglio diplomático, desta vez com a Itália. Tudo começou porque nosso Ministro da Justiça, Tarso Genro, concedeu status de refugiado político a Cesare Battisti.

Para quem não sabe, Battisti é um ex-guerrilheiro do grupo terrorista de extrema esquerda, Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), ativo durante os anos 70 na Itália. Ele foi julgado e condenado pela justiça italiana à prisão perpétua por 04 homicídios, mas se declara inocente.

Como todo bom foragido da justiça, Battisti escapou para o Brasil, mas foi preso pela Polícia Federal brasileira em 2007, em operação conjunta com a Interpol e polícias italiana e francesa. Diante disto, o governo da Itália pediu sua extradição.

Contudo, Battisti pediu asilo político junto ao CONARE (Comitê Nacional para Refugiados), que foi negado em primeira instância, mas aceito pelo Ministro da Justiça, baseado no fato de que foi julgado à revelia, portanto sem direito de defesa, considerando este um caso de crime político.

O problema é que o asilo político, por conta das normas constitucionais brasileiras, impede a extradição de Battisti, pois é proibida extradição de estrangeiro por crime político, e a Itália, obviamente, não concordou com isso.

O governo italiano apelou ao Presidente Lula, pedindo que reformasse a decisão de Genro. Por sua vez, o Presidente afirmou que nada mudaria, porque esta configurava a decisão do Estado brasileiro, portanto, a Itália deveria respeitar a soberania do país. O governo da Itália demonstrou total repúdio ao fato e protocolou pedido, junto ao STF, para anular a decisão do Ministro da Justiça.

O Presidente do STF, Ministro Gilmar Mendes, querendo ganhar tempo e evitar que Battisti, preso na Penitenciária da Papuda, fosse solto, pediu um parecer ao Procurador Geral da União, de vez que ele tem prazo indefinido para dar sua opinião. Entretanto, o “tiro saiu pela culatra”, já que o Procurador proferiu parecer, em 48 horas, favorável ao arquivamento do pedido de extradição.

Com isso, a Itália chamou seu embaixador no Brasil para consultas e pediu apoio à União Européia. Inclusive, há quem defenda, como protesto, o cancelamento do amistoso de futebol entre Brasil e Itália que vai acontecer dia 10 de fevereiro em Londres.

No presente momento, o caso encontra-se no STF que deverá julgar o feito até início de Março e, provavelmente, manterá a decisão do Ministro da Justiça, pois tecnicamente não há nenhuma inconstitucionalidade na lei que permite a aludida autoridade conceder asilos.

Entretanto, como advogada, entendo que a decisão do Ministro foi errônea, pois vejo que homicídios nunca serão crimes políticos. Muita água ainda vai passar por debaixo dessa ponte e devemos acompanhar os próximos capítulos.

Como brasileira e ítalodescendente, digo que foi muito fácil o Brasil expulsar dois atletas cubanos que desertaram durante os jogos panamericanos de 2007, porque Cuba é o país de Fidel. É chocante saber que um terrorista não é extraditado para cumprir sua pena só porque Berlusconi não é “cumpanheiro”*.

Larissa Bona.

*Cumpanheiro é a forma como o Presidente Lula se refere aos seus colegas esquerdistas.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Viajar pela Holanda : O Inicio

Quando decides ir morar / estudar para outro país começas basicamente do zero. Consegue ser irónico porque tens os teus amigos e a tua rotina estabelecidas e acabas por não ter tempo para uma infinidade de coisas que até gostavas de fazer. Era este nomeadamente o meu caso em Lisboa: estava sempre demasiado ocupada e queixava-me da rotina. Também quando me decidi a mudar para a Holanda, para fazer o meu mestrado em European Law, senti isso.

Tive a sorte de ter passado sempre férias aqui nos últimos 4 anos e isso abriu-me muitas portas, pelo que quando me mudei tive muitas ajudas (muitas mesmo) para idas ao Ikea, pinturas e tudo o mais que vos possa ocorrer. E confesso que isso foi dos maiores benefícios que tive quando efectivamente me mudei.Claro que com o tempo, e o início das aulas, começas a ter também uma rotina própria. A rotina de Utrecht acaba por já não ser novidade, mas há sempre uma ou outra coisa de diferente a acontecer porque os alunos aqui (erasmus) vão e vêm à velocidade da luz. Os conhecimentos que travas tornam-se amizades mais rápido do que (me) é costume, até porque estamos cá todos para o mesmo e um bocadinho mais "sós".

Optei também por não me juntar com portugueses, e isso fez-me travar conhecimentos com pessoas de todo o mundo: Austrália, Canadá, Eslovénia, França, Bulgária, Alemanha e Itália são provavelmente os países dos quais conheço mais pessoas. E essas pessoas são um verdadeiro apoio para que não te sintas só, pois estão na mesma situação que tu.No geral, e da minha experiência pessoal, posso dizer que morar fora, um sonho que projectei e preparei com +- 3 anos de antecedência, tem sido uma experiência muito feliz. Há dias que me sinto menos sorridente, mas o tempo na Holanda por vezes também não ajuda muito. Mas acaba por passar, sempre :) !Acho que as portas que este mestrado me vai abrir, assim como a experiência que estou a ter a viver com mais 5 holandeses, são inúmeras.

Contribuirá para a minha formação profissional, sem dúvida, mas também e mais do que isso é um precioso alicerce para a minha vida pessoal no futuro. Tenho aprendido e continuarei a aprender muito mais sobre mim e os que me rodeiam, a respeitar os outros e o seu espaço e por fim aprender mais e melhor sobre Direito Europeu.Aconselho vivamente a experiência a todos quantos tenham oportunidade de o fazer! E acreditem nem todos os dias são excelentes, como já referi. Mas são muitos mais os dias bons que os dias maus!

Viagem de Raquel Vilão

Momento de Humor

Estará o Papa farto da missão que Deus lhe confiou e refugiou-se no Douro?

domingo, 1 de fevereiro de 2009

OLHAR A SEMANA - NO PAÍS DOS LUSITANOS

A velha máxima romana mantém-se dois milénios depois. Este é um país que não se quer governar, nem se deixa governar. Apenas resta acrescentar: mas há quem se governe!
Mal refeitos dos casos BPP e BPN, com a crise em crescimento exponencial, com despedimentos e desemprego por todo o lado, numa semana alucinante Portugal aparece no seu melhor: um país ingovernável e inviável! Terá o Primeiro-Ministro, enquanto Ministro do Ambiente, em 2002, recebido “luvas” inglesas para facilitar a instalação do “Freeport” (uma espécie de Centro Comercial “cigano-chique”) em Zona de Protecção Especial do estuário do Tejo? Como pode um processo destes ser chumbado tecnicamente e repristinado politicamente no prazo de cinco dias por um governo à beira de eleições (que, sabia, ia perder), com alterações legislativa “tailor made”? A confusão está lançada. Declarações e contradições. Toda a gente, de repente, desatou a falar imenso, com nervosismo mal escondido. Afirmações extraordinárias do Procurador-Geral. Entrevistas abstrusas da Procuradora-Adjunta. Declarações do Primeiro-Ministro. Dos Ministros mais chegados. Da família de Sócrates (uma sinistra família lusitana, capaz de atraiçoar os seus, tal como os assassinos de Viriato). Dinheiros da família real inglesa. Uma carta rogatória do SFO inglês com perguntas insinuantes e polémicas, logo objecto de fuga de informação para os jornais. O senhor Charles Smith. O Grupo Carlile… Um pântano político em que todos se atolam à medida que se mexem. Entretanto, todos comentam, todos têm opinião, todos dizem disparates… Até eu!
Inicialmente pensei que tudo isto fosse uma manobra concertada para Sócrates sair do governo, fugindo a gerir a incómoda crise, saltando para uma qualquer “off-shore” política. Sei lá… qualquer coisa junto da ONU ou da OCDE… Sim, porque não parece lógico um Primeiro-Ministro pedir “luvas” numa reunião de trabalho! Outros verão nisto uma cabala, uma “campanha negra” pré-eleitoral obscuramente urdida pela oposição desesperada por se sentar em cima de uma crise mundial! Porém, depois de ouvir a determinação do Primeiro-Ministro, nas declarações que proferiu e na sua afirmação de que “está preparado para resistir”, fico francamente preocupado. A sua teimosia pode atirar o país ainda mais para o fundo. Independentemente das razões, independentemente da justiça, independentemente da verdade Sócrates perdeu condições políticas de governo. Há uma verdade judicial e uma verdade política. Há um tempo judicial e um tempo político. Não vai haver qualquer hipótese de resolver judicialmente este assunto em tempo útil. Ainda por cima em ano de eleições. O assunto deixou de ser um caso de polícia. Passou a ser assunto de Estado!
Resta ao Primeiro-Ministro pedir a demissão e depressa. A seguir cabe ao Presidente da República gerir a crise:
- Convocar eleições antecipadas, ficando este governo em gestão, com todas as fragilidades que isso implica;
- Nomear um governo de iniciativa presidencial até às eleições (muito arriscado para o PR);
- Pedir ao PS, com maioria absoluta, para designar um sucessor de Sócrates no comando do governo até às eleições de Outubro.
Enfim, os Lusitanos no seu melhor. Uma vez que os romanos já não voltam, resta-nos esperar pelos angolanos…
Jorge Pinheiro
Share Button