domingo, 13 de dezembro de 2009

UM CLIMA CÉPTICO

Paira no mundo um clima de cepticismo global. Em Copenhaga os interesses económicos discutem por quanto mais tempo vão poluir o planeta e que contrapartidas dão para mais umas toneladas de CO2. Não é o clima que está em discussão. São apenas números. Os cépticos dizem que o CO2 até faz bem. O povo que gela e o povo que arde fica confuso e quem tem fome não percebe onde fica o Natal. A espionagem política alastra. Fogem documentos comprovativos de dados climáticos manipulados. O povo fica com mais frio e com mais fome e desconfia que o Natal é, provavelmente, produto de uma manipulação genética entre o burro e a vaca, no palheiro divino. Já não sabemos. O Solstício de Inverno invade-nos os corações e entramos no consumo desenfreado e compulsivo. Salvam-se alguns postos de trabalho. É a nossa caridade natalícia. A caridade que nos dará o reino dos céus, já que o outro está poluído e deus anda distraído. A crise parece esquecida no meio dos embrulhos acetinados e do papel couché. O casino da bolsa voltou a funcionar. “Les jeux sont faits”… Mais um ou dois anos e teremos outro estrondo e o CO2 fica adiado para a cimeira do “Salve-se Quem Puder”. Estranhamente, um Presidente da nação que mais mata por segundo ganha um Nobel da paz, no preciso momento em que anuncia mais guerra. Ai, que bonito que era o discurso e que bem construído… O raio que o parta! O clima anda estranho e eu ando céptico. Ou será ao contrário? Por cá os “palhaços” andam à solta e, como somos pobrezinhos, em vez de espionagem, andamos na espiolhagem política. Umas boas festas e mantenham-se activamente cépticos.
Jorge Pinheiro

2 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Veremos quais as conclusoes e se haverá aplicações concretas dos resultados da Cimeira.

Tal como Quioto, Copenhaga 2009 nao passa apenas de um encontro formal. Não digo para passear mas para tomar o pulso à situação.

Era bom que começassem no habitantes e nao nos politicos, o exemplo do combate as emissoes de C02

e que tal começar por tirar os carros do centro de Lisboa? Seguir o exemplo da capital inglesa...

Francisco Castelo Branco disse...

Mais uma coisa

Acho as manifestaçoes, como aquelas que aparecem nestas fotografias; uma estupidez...

Parecem-me muito anárquicas....

Também nos somos culpados pela situaçao...

Alias, nós somos humanos como os politicos

Share Button