sábado, 24 de outubro de 2009

Da Frase

Saramago falou não de um pedestal, como muitos quseram crer, mas de uma bancada entre os homens. Jus lhe seja feito por pensar e escrever em português, por ser um dos génios da literatura actual. Direi que não fico surpreso com a frase visto que existe uma montanha de livros citáveis e não citáveis, até muito anteriores ao próprio Saramago, que dizem o mesmo. Olha busquem lá um Thomas Paine ou um biblioteca de antropologia e sociologia e estará lá tudo; para os menos afoitos ainda existem aqueles livros de "auto-ajuda"/"new wave" que agora abundam no mercado e que exploram todo esse tema da culpa e da responsabilidade do dogma judaico-cristão na vida do Homem comum de hoje.
Surpreso fiquei com as declarações de alguns que ainda entendem o mundo como aquela dicotomia entre trabalho e capital, outros entre Deus e demónio; pois ambos se esquecem do Homem que fica pelo meio exercendo a sua liberdade, umas vezes obrigado pelas circunstâncias históricas, outras por um qualquer destino. Porque quem ingressou "naquela companhia" como disse Saramago, talvez tenha exercido um poder absoluto, tal como outros que ingressaram noutra companhia em que ele próprio esteve e está. Porque quem quer mudar quer algo para si em troca, nem que seja o de utilizar o poder que esteve nas mãos dos outros de uma forma ainda mais cruel para castigá-los. Essa é a história da Bíblia, que mais não é do que o relato dos homens em busca do divino para fugir ao demónio deles mesmo.

3 comentários:

ellen disse...

Eu respeito as ideologias de cada um... e consigo compreender perfeitamente o Saramago. Sou católica mas não fanática... e as minhas dúvidas sobre Deus são identicas às dele....nem por nem tirar!
Ele só pecou numa coisa, mesmo sendo ateu, foi em dizer que "Deus era um filha da p***..." (sic) mas não pela sua opinião, mas pela falta de educação...

Bjinho e bom fds

Francisco Castelo Branco disse...

Isto nao tem nada a ver com ideologias.

Saramago como nunca teve uma palavra governamental aquando do prémio nobel ficou "frustrado"...

O problema é que as pessoas continuam a dar importancia a esse senhor.
Que nem em Espanha o querem lá.
E que apoia a revolução cubana.

Este senhor nem um bocado devia ter de publicidade

Francisco Castelo Branco disse...

Tem que existir.

Por aqueles que têm religião como pelos seus livros sagrados. Tanto a Biblia como o Alcorão devem ser respeitados
Não pode "alguém" dizer aquelas frases.
Revelou falta de respeito pelos católicos, principalmente em portugal onde ainda é a religião predominante.

Pior é ter dado o titulo do seu livro o nome de CAIM!...

Share Button