Etiquetas

domingo, 27 de setembro de 2009

Vozes da noite eleitoral

Foram estas as frases da noite....

O PS de Socrates já começa a "piscar" o olho a Portas. Começou por dizer que se trate de uma extaordinária vitória eleitoral. Penso que não é verdade. O povo decidiu retirar a maioria absoluta ao Primeiro-Ministro. A partir de agora teremos um Socrates mais macio e suave. Não disse que ia governar sozinho e ouvir os partidos políticos. É uma boa forma de dizer que quer uma coligação. E apenas o poderá fazer com o CDS. Estão a ver?

Manuela Ferreira Leite disse que as propostas foram apresentadas mas não aceites. Disse que preparar-se para as eleições autárquicas e depois convocar um Conselho Nacional. Pode ser que Santana Lopes a "safe". E com a vitória nas europeias tenha 4 anos de combate politico. Mas terá sempre um Coelho à espreita...

O CDS de Paulo Portas é a chave de tudo isto. Disse que cumpriu todos os objectivos traçados. Aproveitou para chamar a atenção que em nenhum país civilizado se governa com maioria. Notou-se muito entusiasmo. Foi o melhor resultado desde há 26 anos...Aproveitou para dizer que a maioria dos jovens não é de extrema-esquerda. Será?

O BE falou com arrogância. Francisco Louçâ quando cheira a poder abusa sempre. Até parecia que tinha sido ele o vencedor das eleições. Mas não! Prometeu algumas revoluções, mas esqueceu-se que é o CDS que tem a "bola" governamental. O voto não confirmaram as sondagens...

O PCP disse o habitual. Derrota da politica de direita de José Socrates.

Mas duas afirmações ficam registadas nesta noite:

Alberto Joao Jardim disse que o país está doente. Com ou sem derrotas, Alberto João é o mesmo.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que se MFL não continuar, alguém tem que avançar para não deixar "Passos Coelho sozinho...."

7 comentários:

expressodalinha disse...

Uma boa sintese, numa noite de comentários bloguistas que é de salientar. Discutimos, sabemos quem somos (politicamente) tudo civilizado e com bom nível político. A partir de agora, ouçam os comentadores e os representantes partidários, tudo está em aberto. O ponto de viragem foi quando se percebeu que só o CDS dava maiorias. Tudo começa a chutar para canto. Todos tem a sua vitória e os portugueses ficam sem perceber nada. Das últimas eleições, esta foi a mais estranha de todas. Já ninguém sabe bem em quem votar, nem porque vota.

Francisco Castelo Branco disse...

expressodalinha

foi uma grande noite eleitoral aqui no blogue.
Pena que a declaração de interesses tenha vindo tarde da minha parte, pois na Sexta Feira podiamos ter tido uma discussão igual.
Foi uma boa estreia eleitoral.

De facto, é o CDS que tem a bola governamental.
O tabuleiro politico vai se jogar ali.
Até com o PSD, porque pode haver novo lider nos sociais demorcratas.


Foram estranhas sim, expresso.
Mas tem uma razão. As pessoas votam menos PS e PSD. Isso é um dado adquirido.
Sabem que tendo os dois partidos poder absoluto o país fica no marasmo e centraliza-se os poderes.
Os portugueses já perceberam isso, daí que dificil vai ser haver novas maiorias absolutas em Portugal.
O panorama politico mudou.

Se o PS e principalmente o PSD nao mudarem, nao se renovarem, como fez o CDS.....então qualquer dia arriscam.se a ser partidos pequenos

Marco Daniel Raposo disse...

Devo dizer que os resultados foram os esperados (pelo menos por mim...). Creio que o problema do PSD assentou na liderança e na sequência de erros estratégicos que MFL cometeu ao longo do caminho. O maior erro terá sido a exclusão de Passos Coelho das listas de deputados. É verdade que é um opositor, mas há um ditado que diz: "keep your friends close, and your enemies closer".

Falha grave, do meu ponto de vista!

Além disso, o estilo propriamente dito não é o que é capaz de "seduzir" o eleitorado, nomeadamente os eleitores mais jovens.

Penso que a votação do CDS se deve essencialmente aos votos que Portas conseguiu ganhar ao PSD.

Uma nota final. Não vejo Sócrates a governar sem maioria, por isso penso que o próprio Sócrates vai, mais cedo ou mais tarde, provocar a queda do governo e promover eleições antecipadas. Em suma, este é um governo a prazo. Resta aos opositores políticos prepararem-se para o 2º assalto.

Francisco Castelo Branco disse...

Marco

bom regresso.
Boa analise..

Embora discorde das eleições antecipadas. Que tem a ganhar com isso????

Supreendeu-me o resultado do CDS.
Pensava que a Direita portuguesa tinha morrido...
Afinal está bem viva com 20% dos jovens a votarem CDS-PP!!!

Concordo que MFL cometeu erros estrategicos, nomeadamente a questão da asfixia democrática.

E a exclusao de Pedro Passos Coelho que podia ser util no Parlamento, foi mais um.

A questão é que nao falou nisso, porque tinha o aparelho partidário todo á volta dela...

Marco Daniel Raposo disse...

Simples. Julgo que o Cavaco fez o mesmo há uns anos. Para tentar uma nova maioria absoluta.

Quanto à questão da asfixia democrática penso que foi um tiro no pé.

Quanto a Passos Coelho, eu acredito que um partido, seja ele qual for, para que veja reconhecido o seu contributo para o desenvolvimento do país e qualidade da democracia, deve SEMPRE, sem excepção, colocar os seus melhores em condições de prestar um bom serviço ao país.

O PSD não o fez.

Francisco Castelo Branco disse...

Concordo em Absoluto

Mais um tiro no pé...

Veremos se a candidatura de Santana Lopes a Lisboa não será o tiro que deixará MFL sem pés...

É que o PS fez exactamente o contrário, apesar de Manuel Alegre nao entrar para as listas do PS, mas isso foi uma decisão pessoal e nao partidária.
E com vista a Belem daqui a 2 anos.....

Veja-se o caso de Antonio José Seguro que por vezes discorda do PM mas como é um excelente valor nao foi "rejeitado" in limine.

Francisco Castelo Branco disse...

e que dizer das afirmações de ALberto JOAO?

ele que nunca se cala e so diz dispsrates. Também nao ajuda nada o PSD.

e as declarações de Marcelo????

Share Button