quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Povo de Suicidas

O povo é quem mais ordena e o povo capitulou a maioria absoluta do PS, criando-se um cenário que durante a campanha já mostrara a confusão entre maiorias parlamentares, absolutismo e asfixia democrática.

O resultado de ontem foi uma chuva de meteoros que acabou por assolar todo os partidos: o arranjo parlamentar fica difícil, difícil ficará ainda mais resolver as duas crises em que estamos mergulhados. Pois ontem não foi jogo de futebol do mata-mata, ou uma partida "rodinha bota fora" como todos os líderes partidários quiseram fazer crer; pois ao contrário de Voltaire, a abelha não é simplesmente uma mosca vivendo na colmeia, ela é abelha de génio. Por isso a eleição de domingo foi antes de tudo a mostra de que Unamuno tinha razão quando falava de Portugal como a comunidade dos suicidas.

8 comentários:

hasaliah disse...

Seja, suicidas somos...

Agora não sei se o maior suicidio seria uma 2ª maioria absoluta do PS.

Talvez tenha sido esta uma ida és urnas para ensinar um 1º ministro a não se suicidar... a aprender a governar com os outros.

Eu que não votei PS li desta forma a votação que se registou.

Afinal, na Alemanha, esses tão "suicidas" quanto nós, fizeram o mesmo.

Francisco Castelo Branco disse...

hasaliah

concordo.

Foi o que portas disse. Ninguem pais moderno e civilizado tem o poder entregue a um só partido.
Ha que haver coligações ou entendimentos partidários.

Dai que o resultado de Domingo tenha sido bom. Porque vai obrigar ao governo adoptar medidas de colaboração e a ter que ouvir todos os partidos.
Porque o PS consegue maioria com os dois de esquerda, o CDS e o PSD.
Dai que as soluções legislativas sejam mais pensadas e com estreita colaboração

Francisco Castelo Branco disse...

Por exemplo :

Soluçoes como o TGV ou o Aeroporto terão de forçosamente ser decidido em conjunto com a oposição...

ellen disse...

Francisco,
ontem foi o dia do nosso Calimero português ehehhehh (passe no meu Blog e vai entender)

Beijinho

Bruno Gonçalves Bernardes disse...

mas os uicídio não se prende com a maioria ou com a coligação, prende-se com o facto de que se o PS não tem agora maioria, difícil ficará para ele negociar com um PP agora sobranceiro ou com um BE que só quer nacionalizações e meter toda a gente a funcionário público que isso de segurança social se segura com impostos sobre os mais ricos (como se esses declarassem tudo o que ganham); ou ainda com um PSD agora com novo líder à porta e com desavenças que acontecem sempre que eles estão fora do poder e longe do orçamento do Estado. Quanto ao TGV ou aeroporto, infelizmente, são tretas e balelas de campanha política, para que se mantenha o mais do mesmo. Uns ganham as eleições por forças aritméticas mas o que acontece é que com esta gente irresponsável, perdemos todos. Na Alemanha eles já fizeram a catarse deles várias vezes, nós ainda nem digerimos o que nos foi acontecendo e o que nos está a acontecer.

Francisco Castelo Branco disse...

Sabes que pelo poder tudo se transforma

Também esses pequenos partidos terão que mudar.

E mais ainda, mesmo um BE no governo nao era a mesma coisa que na Oposição = é efeito de espuma

expressodalinha disse...

O Unamuno era um bocado paranóico. O engraçado é que ainda agora saímos das legislativas e logo no dia seguinte o Homem Bolo-Rei deu azo a que se esteja já a falar de Presidenciais ... e ainda há as autáquicas. Suícida? Não, cómico. É a nossa maneira de andar, só não sei se para a frente ou para trás. Mas, como estamos na UE nada disto interessa.

Francisco Castelo Branco disse...

isso é porque nós somos malucos por eleições.

Agora é saber se Alegre tem o apoio de Socrates para concorrer contra Cavaco

Imaginam Socrates a apoiar Cavaco?

Share Button