segunda-feira, 6 de julho de 2009

Tema do Dia VII

Devem as pessoas publicas ter direito á privacidade?

7ºevento

Julho 2009

40 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

É uma questão que se tem posto ao longo dos tempos.
A morte da Princesa Diana acentuou a discussão e trouxe á praça publica o papel daqueles que querem dar a conhecer o que as estrelas comem, fazem, conhecem, compra, namoram....... etc.

Porque sem informação também não é possivel elevar certas pessoas a categoria de estrelas.

Veja-se o caso Cristiano Ronaldo.
Perfeito desconhecido á 6 anos , hoje é uma estrela.
Amanha vai ter 80 mil a recebe-lo no Bernabeu, devido ao estatuto de Estrela. Devido tb aos famosos remates em Nereida e Paris Hilton.

Mas a discussão tem muito que se lhe diga.

Os ditos "Publicos" ou "Estrelas"; conquistaram esse direito por nossa causa. Anónimos e normais.
Somos nós Anónimos e normais que fazemos de outros anónimos e normais de Estrelas.
Mas fazemo-lo porque vemos televisão, compramos jornais, consumimos tudo o que respeita a essas estrelas.

Até aqui tudo bom e normal. Mas também existe o lado sombrio.
A morte de Diana, o caso do Casamento de Figo no verão em que se transferiu do Barça para o Real, e agora a novela Ronaldo.
Estes exemplos mostram bem que uma estrela pode cair rapidamente.

Cada um tem o seu case-study.

Se fomos nós "normais e anónimos" que demos guarida a certas estrelas porque não podemos entrar na sua vida privada? Porque não temos direito a assistir ao romance de Ronaldo? ás viagens de Paris Hilton?

Nota-se muito isto com CR9.
Depois de muitas historias, perseguições jornalisticas, Ronaldo veio pedir tranquilidade para as férias.
Mas será que Madrid é o sitio certo para ter essa tranquilidade? Certamente que não.

Podem crer que são as próprias estrelas a procurarem e a provocarem o impacto jornalistico.

O direito á privacidade é um direito que assiste a cada um. Mas cabe a cada um preservar a imagem.

Acabo esta primeira parte com mais um pergunta :
Deve haver um "estatuto" de figura publica que as proteja de certos abusos?

Larissa Bona disse...

Sim, as pessoas públicas devem ter direito à privacidade. O direito à intimidade e à vida privada é intrínseco do ser humano, e não é porque alguém se torna famoso que deixa de ser um ser humano.

É óbvio que, no momento que uma pessoa se sujeita a exercer uma atividade que lhe dará notoriedade, está a abrir mão de grande parte de sua privacidade. Mas isso não significa estar a renunciar sua privacidade na totalidade.

Há de se garantir um mínimo essencial de honra, dignidade e vida privada, caso contrário, coloca-se em cheque até mesmo sua condição de pessoa humana.

Não acredito que deva haver um código para regulamentar a privacidade dos famosos, até porque, muito embora seja o sonho de muitos, são poucos os famosos.

O que deve existir é um maior rigor dos órgãos que regulamentam as atividades da imprensa ao redor do mundo e dos tribunais para coibir abusos, até porque vejo crianças, como Suri Cruise e os filhos de Brangelina, serem assediadas só porque são filhos de famosos. E olha que os pobrezinhos não fizeram nada para estarem nesta situação de notoriedade.

Francisco Castelo Branco disse...

Sim, mas se foram os Meios de comunicação que meteram lá os famosos. (porque sem publicidade nao haveria notoriedade....); os Meios de comunicação não têm direito a usufruir da imagem deles e poder segui-los para todo o lado?

Veja-se o caso de Cristiano Ronaldo.
Graças aos Media conseguiu que a sua imagem de Sex Symbol passasse cá para fora.
Teve publicidade e notoriedade.
E por isso teve um contrato milionário com Real.
E agora vem pedir, "descanso e paz".
Depois de usar os Media, agora pretende que eles desaparecam.
Um bocado incongruente.

Mas esse código de ética que vc pretende, Larissa nunca vai existir.
Os media têm um poder enorme e vão usá-lo sempre.
Independentemente de quem seja visado.
E se podem utilizar esse poder, porque não o fazer?

Faz parte do seu trabalho...

Larissa Bona disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Larissa Bona disse...

Mas argumentar que os famosos devem se submeter aos meios de comunicação porque foram eles quem os colocaram lá seria algo como vender a alma ao diabo.

Se CR, um tipo extremamente exibicionista, está a pedir descanso e paz é porque muitos limites já foram ultrapassados.

Ele firmou contrato com o Real Madrid não só porque é famoso, mas também porque algo deve jogar. A mídia por si só não é o Rei Midas.

O caso CR é um caso bom. Mas se você observar os casos ruins, como o de Britney Spears, que quase foi levada ao suicído pelo assédio da mídia, pode-se ver o quão danoso a falta de privacidade pode ser.

Não pretendo um código de ética, até porque quanto mais regras são feitas, maior é a tentação de quebrá-las. Mas sim entendo cabível posturas mais firmes de quem fiscaliza e julga os meios de comunicação.

É um jogo de gato e rato, onde o famoso tem que tentar proteger-se e a mídia tenta burlar as suas privacidades, cabendo ao Estado e as entidades competentes interferirem quando necessário.

Francisco Castelo Branco disse...

Quando os famosos pedem ajuda aos Média, devem perceber que:

1- a Fama não dura para sempre

2- Há-de chegar o tempo em que os Média serão um empecilho. Um pesadelo.

Ninguém pode "escapar" ou pedir privacidade numa sociedade em que vivemos. Da Informação e da liberdade de expressão

Francisco Castelo Branco disse...

E agora pergunto :

E então os politicos?

Como se deve fazer neste caso?

Por ex ; um PM, um PR.

Pessoas que são de Estado e eleitos pelo povo?

Larissa Bona disse...

Ai chega-se ao ponto em que há um embate até mesmo de princípios jurídicos: direito à vida privada, dignidade e honra x direito à informação e liberdade de expressão.

A meu ver, deve haver um equilíbrio entre os princípios. Sempre privilegiando aqueles que beneficiem a pessoa humana.

Como eu disse anteriormente, quem é famoso, abriu mão de parte de sua privacidade, mas não dela toda.

Uma coisa é fotografar famosos a fazer compras no meio da rua. Se você é famoso, já sabe que haverá um paparazzi atrás de você.

Outra coisa é comprar informações sigilosas de um hospital sobre o estado clínico de seus pacientes, como fizeram com Farrah Fawcett, que faleceu semana passada.

Enquanto ela estava padecendo de cancer, os tablóides estavam a comprar os seus prontuários de enfermeiros e publicando-os. Para mim, isso sim é um abuso e deve ser coibido.

Larissa Bona disse...

Até os políticos têm direito à privacidade, muito embora deles, pela posição que ocupam, deva-se cobrar uma integridade moral muito maior do que se cobraria da Paris Hilton, por exemplo.

No caso dos políticos, eu analiso o caso Berlusconi e as fotos da festa na casa dele, publicada por um jornal espanhol.

Eu vejo aquilo como uma invasão de privacidade, muito embora esteja certa que de santo ele não tem nada. Mas invadir a casa da pessoa, aí também é demais.

Larissa Bona disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco Castelo Branco disse...

Nesse ultimo caso, concordando.
Também na questão da morte de Diana.
Houve alguma culpa dos paparazzi.

E como deve ser nos processos judiciais?
Por exemplo vemos muitos casos judiciais serem discutidos na praça publica.
Principalmente aqueles que envolvem menores deve haver respeito pela pessoa.

Mas o respeito pela pessoa deve estar sempre na actividade de divulgar informações

Francisco Castelo Branco disse...

Concordo contigo na questão dos politicos Larissa.

Mas não deve o população saber onde "gasta" ou como se comporta um PM ou PR?

É que o seu comportamento é muito importante para os eleitores.
Isso nos EUA é muito importante.
Veja-se o caso Lewinsky/ Clinton

Larissa Bona disse...

No caso dos políticos, os Estados Unidos é um caso a parte. Eles são pseudo-puritanos demais.

O problema do caso Clinton x Lewinski é que ela era uma estagiária da Casa Branca e fizeram amor em pleno salão Oval.

O desrespeito não se restringiu à Hillary, que virou uma chifruda notória. Mas a toda uma nação, já que Clinton utilizou-se de seu cargo e da instituição que representava para realizar suas fantasias sexuais.

Quando o PM ou o PR está a gastar o nosso dinheiro, temos de ficar em cima deles mesmo. Mas quando eles estão a gastar o dinheiro deles, na casa deles, não temos nada a ver com isso. O problema é que, curiosamente, a segunda opção raramente acontece.

JM Coutinho Ribeiro disse...

Olá:
Contribuo para este tema com um post incendiário publicado no Delito de Opinião:
http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/499848.html
Cumprimentos - cr

Larissa Bona disse...

A questão dos sigilos do processos deve variar de caso a caso.

Não sei como é ai em Portugal, mas no Brasil, todos os processos são publico, salvo os da Vara de Família que, necessariamente, gozam de segredo de justiça.

Entretanto, o juiz aqui, tem a competência para decretar o segredo de justiça em qualquer processo sob sua jurisdição, caso entenda que a dignidade de qualquer uma das partes possa ser ferida.

Um exemplo é o caso dos processos trabalhistas dos portadores do vírus do HIV, de regra os juízes decretam segredo de justiça.

A questão da privacidade é tão delicada que a melhor "fonte do direito" para regulamentá-la é o bom senso.

Eduarda Chacon disse...

A figura pública abre mão de sua privacidade ao assumir tal status. O indivíduo merece privacidade na medida em que não se trata de questão afeta aos aspectos de sua imagem, vida públicas. O problema é a sutileza do liame entre as duas circunstâncias e principalmente, a falta de educação de muitas pessoas públicas que expõem propositadamente seu universo particular, abrindo precedentes para que seja exposta a privacidade de sujeitos outros, por iniciativa da mídia, à revelia de suas vontades... No afã de se manter na mídia, algumas pessoas vulgarizam o direito a privacidade de forma geral. Também é interessante frisar que toda pessoa famosa é figura pública, mas nem toda figura pública é pessoa famosa. Há aqueles que são públicos por estirpe (realeza), profissão ou situação econômica. A fama acontece quando a pessoa se divulga, a publicidade quando ela se expõe ou é exposta por circunstâncias que podem ser alheias à sua vontade.

Francisco Castelo Branco disse...

Eduarda Chacon

Qual a diferença então entre Pessoa publica e famosa?
Consegue dizer-nos?

"A figura pública abre mão de sua privacidade ao assumir tal status."

Aí está uma grande verdade.
A culpabilidade da violação dos supostos direitos e da suposta privacidade é da exclusiva responsabilidade de quem abre mão da sua vida privada.
É o que está a acontecer com CR.

"No afã de se manter na mídia, algumas pessoas vulgarizam o direito a privacidade de forma geral."

Muitas pessoas usam esse "direito da privacidade" para se tornarem ainda mais conhecidas. E se exporem mais!
Não duvido disso

Francisco Castelo Branco disse...

JM Coutinho

Bom texto e concordo plenamente

Principalmente na parte em que mostra o lado mais pessoal de um politico. Se for Ministro, PM ou PR.
Mas na questão se for viciado no jogo.
Acho que é importante saber os vícios e vontades de quem elegemos. Se esses vicios ou vontades são incompativeis com o exercicio de um lugar publico, como se exige.
Estamos nas tintas se o nosso patrão é viciado no jogo ou não. Mas sabemos de antemão que não quereremos trabalhar directamente com ele.
Já o governante é diferente.
É necessário que tenha caracter e seja portador de certas qualidades para o exercicio de certo cargo.

Também não podemos aceitar que um politico ande aí de festa em festa. De revista em revista.
Enquanto hospitais e escolas andam com dificuldades....

Francisco Castelo Branco disse...

Larissa

o segredo de Justiça é decretado. Mas nem sempre é respeitado.
E isso levanta outro problema.

Será que os processos tb devem "televisionados" ou acompanhados por todos?
Teremos o direito de violar a privacidade daqueles que vao a julgamento? Mesmo sabendo que pode estar em causa o interesse publico. Mesmo a segurança.
A minha resposta é não.
Porque até essas pessoas que vao ser julgadas,se transformam e pessoas "publicas".

Cleopatra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleopatra disse...

Todos temos direito à nossa privacidade.
Quando falo de privacidade falo mesmo de vida privada. Aquilo que só a nós diz respeito, dentro do nosso lar, dentro de quatro paredes. A nossa intimidade.
Essa é inviolável e não entendo, nem compreendo ,que queiram saber dela ou melhor, meter o nariz. É lamentável

Quanto ao comportamento público de uma figura pública isso é, parece-me outro assunto bem diferente.

Francisco Castelo Branco disse...

Cleopatra

Que lhe chamas então?


Mas se é lamentavel que se meta o nariz, tb é deploravel usufruir dela para alcançar determinados objectivos.

Porque no fim de tudo , somos nós que expomos a nossa vida.
Ninguem nos obrigou a fazê-lo

Eduarda Chacon disse...

Privacidade é uma coisa. Comportamento é outra coisa. Certo. Mas o seu comportamento como figura pública pode comprometer sua privacidade. Uma figura pública tem duas facetas, como dito antes... Lhe cabe preservar ambas, resguardando sua integridade de indivíduo e sua imagem pública separadamente. O que acontece, entretanto, é o próprio sujeito expor sua vida como subterfúrgio para permanecer so holofotes. O que é ridículo. A figura pública só tem obrigação de deixar transparecer, divulgar os acontecimento correlatos aos motivo de seu papel enquanto homem público. Seja fomentando sua atividade empresarial, divulgando suas ações políticas, participando ao povo os eventos da realeza quando de seu interesse, respaldando causas justas e sociais... Até um certo limite, é possível dosar o nível de exposição através da imposição não da força, mas do caráter.

Mikas disse...

Isso nem me parece discutível, infelizmente vivemos muito dos sensacionalismo sendo que é nesse sentido que a maioria dos meios de comunicação social actuam. Quando digo que não me parece discutível é no sentido de todas as pessoas terem direito à sua privacidade, o que deve interessar ao público com pertinência de divulgação serão questões e factos relacionados com a profissão que exercem, mas a curiosidade sobre a vida privada passa por cima de toda a ética editorial!!

Eduarda Chacon disse...

É verdade... Não se trata de questionar um direito.. mas de analisar sobre o merecimento e a fruição desse direito. Todos temos direito à vida, saúde, dignidade, liberdade de expressão, propriedade privada... mas gozar ou não desses direitos é outra história... Algumas vezes os renunciamos em exercício do livre arbítrio, outras vezes, eles nos são subtraídos à revelia do que queremos... no caso da intimidade, privacidade... por serem direitos muito pessoais - e isto não se discute: são direitos de todos - é preciso indagar o quanto de culpa cabe à sociedade pelo interesse e o quanto de culpa cabe ao indivíduo. Volto à conclusão anterior: é a imposição do caráter que garante a inviolabilidade da privacidade e intimidade.

Francisco Castelo Branco disse...

Mikas

mas as pessoas não quererão sensionalismo?
Quem não gosta de saber o que anda a fazer Nicole Kidman, Tom Cruise. Com quem namoram, onde costumam jantar, a ultima novidade?

Não considero que haja falta de ética editorial.
O que acontece é um mostrar de uma vida aos outros.

Francisco Castelo Branco disse...

Eduarda Chacon

"é a imposição do caráter que garante a inviolabilidade da privacidade e intimidade."

Mas do caracter de cada pessoa?

Por vezes eles querem que os paparazzi os deixem e isso nao acontece.
Veja-se o caso de Figo aquando do seu casamento quando atirou pedras aos jornalistas no verão da sua transferência para o Real.

Por vezes os famosos querem deixar de serem notícia, mas nem sempre isso acontece

Cleopatra disse...

A questão é: "Devem as figuras públicas ter direito à intimidade?"
A resposta é:- As figuras publicas têm direito à intimidade.
A CRP assim o reconhece e eles não são diferentes.

O que fazem com a sua intimidade é com elas. Se é deles !!!
Se são desbocados exagerados e gostam de dar nas vistas? Então serão mal ou bem avaliados por isso.

Agora se não querem colocar na praça pública a sua intimidade têm todo o direito de não o fazer Mai NADA!

Francisco Castelo Branco disse...

Todos nós temos direito á privacidade ou intimidade como tu lhe chamas.

Mas a questão é saber se é legitimo. Uma vez que usam a sua imagem para se promover. Mas depois não querem excessos.
É um como "Só quando eu precisar....".


"O que fazem com a sua intimidade é com elas"

Então porque é que temos de aturar o CR9 em todos os telejornais e não podemos saber com quem namora? a que discotecas e restaurante vai?

Não são as próprias "estrelas" que se auto-promovem através da tv?imprensa? Penso que sim! E eu não pedi que tivesse de estar 20mins a ver a apresentação do CR9

Cleopatra disse...

Francisco, tu quase que és uma verdadeira figura pública Aqui és. Não queres contar-nos com quem namoras? Com quem sais? Com quem andas???

Eduarda Chacon disse...

Eu não acho que seja fácil... só que, no caso de Figo.. ele tentou usar a força... as pedras.
O que quero dizer é que demonstrando reiteradas vezes, com discriço, ignorando mesmo a ação dos paparazzi, fazendo as coisas de forma reservada... o assédio pode ser dosado... Não implica dizer que será inexistente, mas pode se tornar suportável, não intruzivo...
Mas a brutalidade, o revide, atiçam ainda mais a curiosidade e as vezes até a implicância da imprensa e do público.. É a chave do sucesso de programas de humor escraxado, como o Pânico na TV aqui no Brasil.. não é toda figura pública que tem o perfil do programa, mas definitivamente os irritados são mais engraçados...

Francisco Castelo Branco disse...

Eduarda

Concordo com vc.
E aí no Brasil há muito de fofoca, certo?
Os famosos não se queixam?

Francisco Castelo Branco disse...

Cleopatra

Todos nós gostamos de saber algumas coisas sobre os ditos famosos.
E pelo que vejo, não noto desconforto.
Antes pelo contrário.
E houve situações atrás que referi,por ex; tribunais, politicos e casos mais sensiveis como os Mccan e Esmeralda.

E aí sim, deve existir ponderação e low-profile.
Até porque estão em causa questões sensiveis.

Agora as pessoas que se denominam famosas, acho que se utilizam os media para se autopromoveram, temos o direito de saber o que se passa na vida deles.

Cleopatra disse...

LOL Francisco O menino ainda não é famoso. Mas não falta muito!! eh eh eh

JM Coutinho Ribeiro disse...

Lá voltamos à vaca fria, Cleopatra:
1. Os famosos não podem andar a vida toda a mostrar a vida privada e depois a queixarem-se que são devassados;
2. Os políticos devem ser escrutinados na sua vida íntima em situações limite. Como é, por exemplo, o caso de uma deputada que faz uma intervenção contra o aborto e vem-se a descobrir que ela própria abortou dias depois dessa intervenção.
Não lhe parece que estamos perante um caso em que a vida íntima de quem elegemos merece escrutínio? Para sabermos em quem votamos...

Francisco Castelo Branco disse...

JM Coutinho Ribeiro

Ou então que um dirigente do PCP ou do BE é contra o capitalismo e depois vive num luxo.

Tem a ver com questões éticas e morais.
Ainda por cima no que toca a politicos.
Temos de lhes exigir um certo tipo de comportamento.
Porque são os altos representantes da Nação.
E se votámos neles. Temos o direito de lhes exigir satisfações.
Até na vida privada...

Cleopatra disse...

JC, cada caso é um caso. Cada deputado um deputado e cada comportamento ministerial um comportamento ministerial.
Não podemos exigir do mesmo a todos.
A cada um o que lhe é devido sendo certo que um comportamento menos próprio pode estragar o resto da fruta.
Se a senhora deputada é contra o aborto publicamente e depois o pratica, é hipócrita e não tem perfil.
Assim sendo não voto nela. Qto ao mais , chega-me isto.
E, não votar nela, implica desconfiar do partido de que ela faz parte Paga o justo pelo pecador.

Se um tipo do BE é contra o capitalismo e vive no luxo, é outro idiota. Lamento.
Não se pode apregoar o que não se pratica.

Isto é:- Eu não voto em Frei Tomás.

Cleopatra disse...

AH! E a vida intima não tem de ser escrutinada
Não me interessa a vida intima de ninguém
O que me interessa é o que diz que faz e o que sei que faz realmente.

O resto,... desconheço e não quero conhecer nem tenho de conhecer.

Francisco Castelo Branco disse...

"Se a senhora deputada é contra o aborto publicamente e depois o pratica, é hipócrita e não tem perfil."

E como é que sabemos isso?
Através da "inclusão" dos media na vida privada

Cleopatra, tu podes não querer saber.

Mas milhões de pessoas adoram saber

JM Coutinho Ribeiro disse...

Francisco e Cleo:
Mas para não votarmos da deputada hipócrotica, temos que saber, primeiro, que ela é hipócrita...

Share Button