Etiquetas

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Mote - Desafio

A escrita livre que o Francisco refere uns postes mais abaixo, deu-me uma ideia giríssima que podemos desenvolver aqui.
Escrever liberta a alma e por vezes ajuda a relaxar...
Querem experimentar o que cada um de nós faz por exemplo com um texto?
Uma palavra? Um número???
Então o mote hoje é o seguinte:
MOTE:
Toda a manhã procurei uma sílaba.
É pouca coisa,é certo:uma vogal,
uma consoante,
quase nada.
Mas faz-me falta.
Só eu sei a falta que me faz.
Eugénio de Andrade

23 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

A escrita faz falta a muitas pessoas.
Muitos não sabem que têm um "escritor" dentro de si.
Isso descobre-se...
Aprende-se...

Cleopatra disse...

Escreve!! Este é para escreveres o que te der na gana.
Não para comentar :-))))

Francisco Castelo Branco disse...

Aqui vai o meu

Todo o dia procuro a minha cara-metade
Sei que anda aí, onde procurar? Talvez ela me encontre
Se ela não me encontrar
Far-me-á falta
Mas não tanto se eu não a encontrar

Francisco Castelo Branco disse...

ja tá

Cleopatra disse...

Ora aí vai:

Toda a manhã procurei uma sílaba.
Uma silaba sem métrica. Uma silaba de prosa, algo que me faça esquecer o café da manhã que se não tomo me martela a cabeça.
Toda a manhã procurei uma sílaba
E não era a silába tónica.
Essa tomo-a á noite entre dois passos que fingem ser de dança.
Sim que isto de dançar verdadeiramente tem que se lhe diga
e o gin tónico não ajuda nada.
....
Uma silaba qualquer que me completasse esta vontade de sol e mar... Sol
Mar..
Mas não era uma coisa qualquer...
É pouca coisa,é certo:uma vogal,
uma consoante,
quase nada. ..........

Quase nada que desse o mote a quase tudo.
Toda a manhã a procurei . A sílaba certa.
Não consegui encontrá-la.

Mas faz-me falta.
Só eu sei a falta que me faz
Será a sílaba :- TU?





já tá :-))

Francisco Castelo Branco disse...

uiii temos poeta !!

Cleopatra disse...

Prosa ! Prosa poética em 3 minutos! :-))

Pecadormeconfesso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pecadormeconfesso disse...

A Cleo é poeta. Ou poetisa?:-)


"Toda a manhã procurei uma sílaba."
Nem entre os papéis a encontrei.
Nem entre os teus dedos.
Nem no olhar da rapariga que me traz o correio.
Nem no gesto da rapariga do café.
Nem no grito da mulher que apregoava não sei o quê pela rua.
Toda amanhã procurei uma sílaba.
Encontra-la por mim?
E para MIM?

expressodalinha disse...

Pois eu toda a manhã procurei uma alma. Parece que é preciso tê-la...

Cleopatra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleopatra disse...

É o que eu digo, para escrever precisamos de o fazer com a alma... :-)))

Ni disse...

Toda a manhã procurei uma sílaba.
Numa rima inacabada, no teu nome ausente,
Numa maré alta e ousada, numa memória persistente,
Num verso semelhante ao do Poeta,
Onde geme o encanto do seu ‘amor ardente’.

Toda a manhã procurei uma sílaba.
Escondida nos meus olhos, lá fundo…. no lago,
Suave como o primeiro canto de uma ave, saudade minha,
Com odor a ti, tatuagem que nos poros trago,
Subtil, como o voo quente de andorinha.

Faz-me falta, a sílaba perdida,
E não a encontrei.
Talvez ta tenha dado no abraço derradeiro,
Talvez a tenha colocado na tua pele, amor meu,
Ainda e sempre o primeiro.

Ni*

L. Soveral Botelho disse...

Um mote é algo de incompleto.
É como o sul do Tejo, nas palavras do Mário Lino. Um deserto. Um desatino! Falta-lhe um não sei quê... Uma palavra, um som, uma letra, um rê?
Exactamente. É isso sim.
Ao mote, falta-lhe um rê!
Para termos morte.
E se com sensatez andarmos até teremos sorte.
Basta uma letra trocarmos.
Não é contudo a sorte ou o mote que faz o escrito ou o escritor.
Como sempre o segredo está no mesmo: trabalho e mais trabalho.
Os que crêem na inspiração são os que lêem dos outros a sudação.
Saudações do norte,

Luís Soveral Botelho
(qualquer coincidência com o actual momento político é pura e total coerência)

Francisco Castelo Branco disse...

expressodalinha

Basta dizer-nos o que pensamos...

O que nos vai na cabeca. Porque o que vai na cabeca esta seguramente tambem na alma....

Bruma disse...

Toda a manhã procurei uma sílaba.
Mas minha mente estava oca, a alma distante.
É pouca coisa, é certo: uma vogal,
uma consoante,
quase nada.
Mas por vezes nos diz tanto,
e ficamos de alma atordoada.
Mas faz-me falta.
Só eu sei a falta que me faz.
E cada vez que ela me fala.
Me ilumina a alma.
E os meus dedos, se transformam em melodias.
Que aligeiram os meus dias.

Cleopatra disse...

Luís Soveral
Escrita solta e com alvo
Oportuna e certeira
Agradável ...saborosa.

Bruma
Escrita espontânea.
Há em alguns de nós um saber escrever que vem da alma mesmo.
Seremos nós e a escrita
E a escrita em nós....
Como o quadro de um artista

Olá NI- Uma alegria ter-te por aqui.
Uma honra e um desatino!!
Bom ler-te!
Melhor reler-te.


E mais que tudo isto é Jesus Cristo que não percebia nada de Finanças e dizem que não tinha biblioteca.

:-))))))))))))))))))))

Francisco Castelo Branco disse...

Entao e eu??

Nao tenho analise??

:(((((

Cleopatra disse...

Francisco
A tua metade da laranja?
Anda por aí sim, algures E nem sabe que é ela! ;-)))

Francisco Castelo Branco disse...

Cleo


entao quem e Ê? loll

ê a menina aqui de cima? do post superior?

Inezteves disse...

Achei uma palavra perdida
Minhas desilusões desvanecem assim
Inaudíveis que sejam tuas vozes
Gosto de ler teus risos e olhares
Onde os ouço?
Sílabas de amores...a-mi-gos!

Inezteves disse...

EU AQUI DE NOVO...

M otivos tenho a encantar teu mundo!
O nde espargir minhas letras?
T antas garatujas...optimo!
E ntão que seja, busco o elo!

S oa sílaba: Sol!
I nduzas outros:Nós
L ástima de brasis:Eu
A mores de pessoas:Tu
B elezas e arrebóis:Vós
A significação? Eles e elas dirão...

Cleopatra disse...

Ena Inez!! Um acrústico!! Girissimo!

Share Button