segunda-feira, 27 de julho de 2009

1.1 Calcolítico em Portugal

Talvez um dos períodos mais interessantes, não da história da nossa comunidade como memória de Nação, mas da própria Humanidade, é aquele que se convencionou chamar de calcolítico. O período anterior, o neolítico, coincidira com a introdução da agricultura, trazendo consequentemente um movimento de sedentarização que se aprofundou ao longo que as técnicas agrícolas se aperfeiçoaram e foram transmitidas de comunidade em comunidade – “Revolução Neolítica”. O mesmo aconteceria naquilo que é actualmente conhecido como território português.

Cerca de 2500 a.C. dá-se uma nova transformação baseada na introdução dos metais; o primeiro metal a ser introduzido na teia de relações comerciais e sociais foi o cobre. O cobre não teria muito uso na agricultura nem na defesa da comunidade, mas acabaria por definir o início de uma nova era: o calcolítico.

A introdução do cobre redefiniu todas as relações sociais, estabelecendo um novo tipo de hierarquia, agora baseado nas trocas comerciais e que se definiam no momento da morte – as sepulturas encontradas deste período eram ornamentadas com armas de cobre, dependendo do grau social de cada indivíduo.

No actual território português alguns fenómenos específicos têm sido estudados pelo arqueólogo Vítor S. Gonçalves. Ao ter estudado ao longo dos anos o hiato que separa o neolítico do calcolítico, Gonçalves observou que todas comunidades daquele tempo estavam guarnecidas por amuralhados e todas estavam perto ora de cursos de água, ora do mar, mas sempre em pontos altos. Gonçalves concluiu que estas comunidades eram produto do ajuntamento de outras antigas comunidades neolíticas que agora passavam a adaptar-se às mudanças, tanto das rotas dos recursos como das próprias teias comunicacionais definidas pelo cobre; a esta série de mudanças Gonçalves designou por enxameamento. Seria esta série de mudanças que designariam, nos períodos do bronze e do ferro, os tipos de povoados castrenses que os Romanos encontrariam quando chegaram à Península.

(Continua dia 10 de Agosto....)

1 comentário:

Francisco Castelo Branco disse...

O cobre foi o metal mais usado neste período?

Teve alguma influencia depois no desenvolvimento da arquitectura peninsular?

Share Button