Etiquetas

domingo, 17 de maio de 2009

OLHAR A SEMANA - DINHEIRO VIVO

As eleições estão a chegar. Foi este o momento escolhido para os partidos políticos atacarem a crise. Resolveram incentivar a economia. Inflamar confiança. Reactivar o comércio. Derramar transparência no sistema. Em boa hora o fizeram! A classe político em total unanimidade, uniu-se contra a crise e votou, a uma só voz, uma nova lei de financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais que faz passar de 22500 euros anuais, para 1,2 milhões de euros anuais (em percentagem é fazer as contas...) a quantia que os partidos podem receber em dinheiro vivo, isto é sem necessidade de titularização por cheque ou outro instrumento financeiro; sem recibo; sem nada. É nas alturas de crise que e vê a coragem e o bom-senso. Cá está um exemplo a seguir. Um estímulo indispensável para o aumento do consumo. Um apelo à economia paralela que tanta falta nos faz. Enfim, ao desenvolvimento e à transparência. Os tribunais agradecem. A abarrotar de processos, ficam com menos uns casos de corrupção e tráfego de influências nas pendências judiciais. A lei, a meu ver, até peca por defeito. A democracia é uma acção permanente de dar e receber. Quanto mais se dá, mais se recebe, logo mais democracia! Esperemos que o Presidente da República não vete...
Jorge Pinheiro

2 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Não vai vetar

A passar esta lei vai trazer mais transparência.
Mas também se for por dinheiro vivo como sabemos de onde provem o dinheiro?
E as contas dos partidos?Principalmente nas campanhas...

Outra questão: Alguem se a proposta para excluir equipas que tenham salarios em atraso dos campeonatos profissionais de futebol foi aprovada?

Também era um rumo á transparencia do futebol portugues, que tanto preciso.
Assim limpava-se já muita coisa...

Eduardo P.L disse...

As crises e eleições servem para isso...pelo menos!

Share Button