Etiquetas

domingo, 19 de abril de 2009

25 DE ABRIL SEMPRE?

Há a ideia de que tudo era muito cinzento antes do “25 de Abril”. Não havia liberdade, não havia expressão, não havia divertimento, a criatividade era controlada. Era deus, pátria e família! Muita ordem e repressão. Tudo muito careta. Há a ideia que antes do “25 de Abril” a infelicidade nacional era completa e o isolamento total. Há a ideia que depois do “25 de Abril” todo mudou. Onde havia cinzento ficou encarnado. Onde havia desespero, virou paixão. A liberdade rebentou por todo o lado. Acabou a repressão e a ordem. Toda a gente se passou a exprimir como queria e como não queria. A cada um sua expressão. A alegria inundou a rua. As pessoas, de repente, ficaram muito unidas e solidárias. As colónias libertaram-se partindo para os seus exóticos destinos. Penso que são ideias exageradas. Não sou maniqueísta. Dantes não era tudo mau. Depois não foi tudo bom. A verdade estará algures entre a liberdade, a responsabilidade e cidadania. A democracia é uma conquista. Mas não passa de um regime. Também tem desmandos e perigos. O excesso de representatividade é um deles. Sendo o melhor que conhecemos, não devemos ficar satisfeitos e inertes. O antigo regime foi essencial para controlar a total balbúrdia da I República (1910). A revolução ditatorial de 28 de Maio de 1926 foi querida e desejada pelo povo, farto dos desmandos democráticos. Ser democrata era, então, pejorativo. Só alguns empedernidos maçons se mantiveram na deles. O povo ansiava ditadura, algo que os livrasse da bancarrota e da perda de dignidade nacional. Tudo é, pois, relativo. Só não foi relativo o tempo excessivo em que o antigo regime se manteve. A verdade, porém, é que os portugueses não têm cultura política. Nunca tiveram. Nem na monarquia, nem na república. Tem caciques e gente que segue os caciques. Impera a lei do menor esforço, do emprego público, da preguiça mental, do receio de contrariar o poder, da falta de cidadania. Por isso a ditadura durou tanto. Poucos queriam deitá-la a baixo. Era cómodo como estava. Tudo certo, direitinho, controlado. As pessoas iam às suas vidinhas, papavam as hóstias e constituíam família. É evidente que com o “25 de Abril” ganhámos muito, independentemente da balbúrdia que se seguiu à revolução. Agora pergunto. Que importa termos imensa liberdade de expressão para nos esgotarmos a dizer mal “deles” sem agirmos no local e tempo certos? Que interessa podermos fazer o que queremos se o que queremos é não fazer nada? Mais, se não fosse a adesão à União Europeia, em 1986, ainda estaríamos neste regime? Duvido!
Jorge Pinheiro

25 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Bom depoimento e boa foto.

Nao vivi o 25 de Abril. Mas para conhecer profundamente os factos históricos tive que ver os dois lados da barricada.

Acho que as pessoas durante a ditadura ñ fizeram nada porque houve acontecimentos que faziam com que o povo está contente e sereno....
E as pessoas estavam contentes porque não havia desordem, Portugal era um país de brandos costumes, conhecido internacionalmente e respeitado.
E os portugueses viam em Salazar um lider e não um tirano. Nada de parecido com Hitler, Mussolini ou Estaline. Era essa a diferença.
Apesar de ter instalado a Ditadura, não era nenhum sanguinário.
E as conquistas dele como a recuperação económica do país, o facto de ter evitado uma guerra civil em Portugal, quando em Espanha estava a acontecer isso e nos ter "safado" da II Guerra, por tudo isto os portugueses respeitavam-no e admiravam-no.
E como era um país em que havia diferenças de classes sociais, não havia tumultos ou sequer oposição.

Mas esta é a opinião de um jovem de 24 anos que apenas conhece o 25 de Abril e a ditadura pelos livros, dvd´s e opiniões....

Francisco Castelo Branco disse...

Mais uma coisa:

A grande diferença entre a Ditadura e a democracia em Portugal, é que as contas publicas e os escandalos governamentais eram nulos!!!

Hoje em dia, sabemos os problemas que temos com as contas publicas e as suspeitas de membros do governo. Nunca na Ditadura o caso Freeport talvez tivesse acontecido.
Mas como nunca um "freeport" entraria em Portugal......

É importante haver liberdade de expressão. Porque isso não é só na politica. Tb é em casa, na escola, nas universidades, no emprego, na justiça, na imprensa...

Tudo isto foi conquistado pelo 25 de Abril

E ainda bem....

Cleopatra disse...

eram nulos!!!


Eram?????

Francisco Castelo Branco disse...

Claro que sim Cleo.
Havia pouca corrupção ou quase nada
Os escandalos com o governo tb nao existia

E em relaçao a isso nada se pode apontar a Salazar

Cleopatra disse...

Salazer não evitou uma guerra civil..............

Salazar evitou a nossa entrada na II Grande Guerra

Numa de faz de conta que ando mas não ando , foi fechando os olhos à espionagem internaciional e dizendo que sim mas que também.

Deus Pátria e Familia Sim

E:- Salazar Salazar Salazar...

Era pouco Francisco.
Os homens gostam de ser livres a pensar... ainda que batam com a cabeça.

Cleopatra disse...

Sobre o EStado Novo fica aqui:

http://www.geocities.com/capitolhill/lobby/6559/estadonovo.html

Francisco Castelo Branco disse...

Cleo

Ao ter apoiado Franco na Guerra Civil espanhola evitou que em Portugal se passasse o mesmo.
E tb evitou que os espanhois entrassem em Portugal....

Cleopatra disse...

Pois... e assim muitos portugueses morreram nessa guerra.........

Francisco Castelo Branco disse...

mas qual guerra se não houve guerra cá....

Cleopatra disse...

A civil espanhola!!
Muitos portugueses foram para lá Francisco!

Francisco Castelo Branco disse...

Isso não sabia

Mas o facto é que a guerra nao entrou cá.
E isso podia ter acontecido.
E mais, com a guerra civil espanhola podia acontecer que "alguns rebeldes nacionais" pudessem fazer o mesmo cá.
E Salazar também travou isso

expressodalinha disse...

Só uma nota: eu não falei de Salazar. Falei do regime antes do 25 de Abril. A componente União Nacional é mais importante que Salazar. De qq forma a ideia não é apoiar esse regime ou ter dele saudades. Pelo contrário. Sinto é que pouco falta para lá voltamos. E só a entrada para a UE o impede. Essa é que foi a verdadeira revolução. Discutir Salazar, desculparão, mas é um déjà-vu!

Francisco Castelo Branco disse...

Expressodalinha

Dificilmente para lá voltamos.
Ha democracia apesar de pouco crente pelos portugueses ( a sondagem ali de cima é pouco significativa mas mostra que do "descontentamento" das pessoas em relação á transição, e este blogue tem muitas visitas de pessoas que passaram pela transição);

Mas a verdade é que no tempo de Salazar havia mais União Nacional do que hoje.
Veja-se o numero de pessoas que sai do país.
Que nao gosta mesmo de Portugal
Dantes, havia sempre um gosto em ser Português. E orgulho
E para isso tb Salazar contribuiu

P-S: Eu falo com base naquilo que ouvi, vi , li e "acho" que foram as circunstancias.
Peco por estar a falar sem conhecimento de causa

Cleopatra disse...

Ai União Nacional havia, havia!

Francisco Castelo Branco disse...

estou em desvantagem em relação aos dois.....

Cleopatra disse...

Sim,....mas como és lutador... tens lá mais um prémio para o Blog.

Paulo Sempre disse...

«Que importa termos imensa liberdade de expressão para nos esgotarmos a dizer mal “deles” sem agirmos no local e tempo certos? »

O "veneno" das hóstias ainda hoje tem os seus efeitos na mentalidade....


Abraço

Mikas disse...

Não sou desse tempo, nem coisa que se pareça, mas do que oiço dizer e mesmo porque de outra maneira não poderia ser, por mínimo que fosse deveria ter as suas coisas boas, no devido contexto é claro

Al Kantara disse...

Francisco, os escândalos não chegavam a ser porque eram eficazmente abafados pela censura e, portanto, tudo passava à categoria de boato. A corrupção (pequena e grande) era absolutamente generalizada. Do pequeno funcionário público aos tubarões do regime que acumulavam sinecuras e lugares nas administrações das grandes empresas (muitas delas a operarem em monopólio ou quando muito em oligopólio ) o pagamento de favores era um dado adquirido.
E não percebo essa do "E como era um país em que havia diferenças de classes sociais, não havia tumultos ou sequer oposição." Pois por haver classes sociais muito diferentes é que havia tumultos sanguinariamente reprimidos pela polícia de choque e GNR no Alentejo e oposição ferozmente perseguida pela pide, com gente a ser assassinada na rua, nas celas do Aljube, da António Maria Cardoso, no Tarrafal ou até em Espanha como foi o caso do general Humberto Delgado.

"Há ideia que tudo era muito cinzento antes do 25 de Abril" ? Não Jorge, as coisas eram mesmo negras...

Cleopatra disse...

E havia estratégias....Como a de colocar o jornal AVANTE na caixa do correio de quem se pretendia "lixar"... E vigiar a casa do Visado?
E saber com quem saía, com quem falava, com quem se dava.
havia quem não tivesse medo, mas havia quem tivesse.
E as mulheres votavam?
Não Francisco
O "chefe de familia" votava numa lista pré estabelecida....
Eu era pequena Francisco mas ianda me lembro das conversas à volta ao jantar e nos almoços de fim de semana entre amigos.

Pois é...
Nesse aspecto estamos MUITISSIMO MELHOR!!

Francisco Castelo Branco disse...

Sim, mas nem tudo foi mau...

E pelos vistos com a democracia continuamos a ter "limites" a liberdade de exprssão

Claro que foi muito melhor, e estamos melhor.
Mas ainda estamos numa democracia "imperfeita"...

Al Kantara disse...

Oh Francisco, essa do "nem tudo foi mau" também se aplica ao nazismo : nessa altura, na Alemanha, os comboios nunca se atrasavam (Já agora, Hitler também conseguiu recuperar a economia alemã do buraco em que tinha caído em termos de inflacção e desemprego...)

Cleopatra disse...

Claro que nem tudo foi mau. para quem conseguiu passar ao aldo sem s er"apanhado" nem tudo foi mau. tenho algumas saudades desse meu tempo de menina.
Muitas saudades.
mas não esqueci trocas de olhares, jantares pela noite dentro lá em casa, a sala cheia de fumo e de conversas.... Não esqueci...

Francisco Castelo Branco disse...

AL Kantara

comparar o Nazismo com o Salazarismo é o mesmo que comparar a Estatua da Liberdade com as estátuas da Ilha da Pascoa.

No nosso caso (eu estou em desvantagem...); o facto de ter acontecido a revolução não trouxe avanços "muito" significativos em termos sociais e politicos. E acho que é esse o objectivo do post do Expressodalinha......

Que apesar de termos mudado de regime, os vícios continuam os mesmos
E isso é uma realidade...

Mais, muitas coisas que se passam hoje como a corrupção e o clientelismo politico, provavelmente não tinham lugar aquando da Ditadura.

E esses são dois grandes vicios da nossa democracia que nós ainda não resolvemos

Al Kantara disse...

Francisco:
1 - eu não comparei nada. Eu fiz referência ao nazismo para salientar a falta de sentido de uma frase como "nem tudo era mau".
2 - não creio que o objectivo do expresso fosse provar que a revolução não trouxe avanços "muito" significativos em termos sociais e politicos...
3 - A corrupção e o clientelismo político não só tinham lugar na ditadura como eram absolutamente fulcrais na dinâmica do regime.

Share Button