Etiquetas

sexta-feira, 20 de março de 2009

Provérbios portugueses

Alguns provérbios portugueses...

-- Tudo vale a pena quando a alma não é pequena

-- Mudam-se os tempos mudam-se as vontades

- Água mole em pedra tanto dá que até que fura

-Águas passadas não movem moinhos

-Amigo não empata amigo

-A ociosidade é a mãe de todos os vícios

E mais? conhecem mais?

11 comentários:

Chica disse...

Muito legais esses provérbios.Gosto de ver e é gostoso de ler! um abraço,chica

Mi disse...

assim de cabeça:
- grão a grão enche a galinha o papo;
- quem o feio ama bonito lhe parece;
- o inesquecível: mais vale um pássaro na mão que dois a voar

and so on .. deixo espaço aos outros.

expressodalinha disse...

Quem tudo quer tudo perde (adequado à crise).

Pedro disse...

Pelo amor de Deus. Desde quando é que "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena" é provérbio? E o correcto é: Tudo vale a pena se a alma não é pequena" - é um verso do Mar Português.

Francisco Castelo Branco disse...

Somos um povo de provérbios.
Esses vêm de alguma lado.
Muitos deles são psicológicos.
Alias os provérbios têm muito de psicológico...

Francisco Castelo Branco disse...

Fica a correcção lol Pedro

distraí-me.....

fica o reparo

obg

Laura Rodrigues disse...

Água e vento são meio sustento.

O barato sai caro.

A casamento e a baptizado, não vás sem ser convidado.

Depois da tempestade, vem a bonança.

Cada cabeça, sua sentença.

Lágrimas de herdeiros, sorrisos sorrateiros.

Cuidados e caldos de galinha, nunca fizeram mal a ninguém.

Tão ladrão é o que vai à vinha, como o que fica à espreita.

Dá Deus nozes, a quem não tem dentes.

Com papas e bolos se enganam os tolos.

And so on... Sou quase campeã de provérbios.
lol

Paula F. disse...

Ia dizer o mesmo que o Pedro. Mas faltou-lhe acrescentar que «Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades» também não é provérbio nenhum. É o nome de um poema de Camões! Percebo que o uso dessas expressões se vulgarizou. Mas custa-me que se perca a noção da autoria. Esquecer Camões e Fernando Pessoa é grave.

Provérbios apropriados a este momento:
- O seu a seu dono;
- Quem o alheio veste, na praça o despe;
- A verdade é como o azeite: vem sempre ao de cima;
- Quem diz a verdade não merece castigo;
- Uma mentira repetida mil vezes, torna-se verdade.
etc.

Francisco disse...

e aquele

de Espanha nem bons ventos nem bom casamento?

Paula F. disse...

Se eu fosse espanhola, dir-lhe-ia agora:

«quem desdenha, quer comprar»

:D

Cleopatra disse...

Mais vale um pássaro na mão que dois a voar
E quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele.

Share Button