sábado, 31 de janeiro de 2009

Que fórmula?

Esta semana decorreram duas importantes reuniões mundiais. O Fórum Económico Mundial e o Fórum Social Mundial. Em Davos e Belém, respectivamente.

Na reunião Económica, a crise financeira foi o tema principal. Discutiu-se as consequências, origens e facções da crise. Não contou com o Presidente Norte-americano. Apesar de ter um pacote para salvar o caos norte-americano não apareceu. Em termos económicos e financeiros é preciso que haja uma concertação mundial para que possamos sair da crise. Porque quem sofre mais com esta situação são as grandes potências, reféns do capitalismo e das multinacionais. Estranho a ausência de Portugal, que com esta reunião poderia trazer beneficios para as suas politicas. Enquanto que nas grandes potências a crise se deve a excesso de zelo, em Portugal a culpa é das más politicas, porque enquanto para uns a crise começou agora, em relação ao nosso país a dita já vem de alguns anos....

Em Belém, no Brasil, o Fórum Social Mundial discute questões sociais como a imigração, as discriminações e também a crise financeira. Porque a crise que estamos a viver afecta as pessoas. Uma das conclusões é que é preciso encontrar um modelo diferente do capitalismo. Mas qual será? Um apoio maior ás pessoas e familias em detrimento das empresas? A aproximação dos povos, nomeadamente aqueles que têm poucas condições de sobrevivência, como os Nativos no Brasil; é outro dos objectivos. Será que estamos a assistir á extinção dos primitivos? O Socialismo parece ser uma via para a reconstrução de uma sociedade mais justa e igualitária quer em termos sociais como financeiros. Porque uma depende da outra... Foi também discutido soluções para a protecção da Amazónia. Mais uma vez não há referências a participação de Portugal.

Posto isto, pergunta-se: Para onde caminhamos? Este modelo (económico e social) está esgotado? Portugal deveria participar nestas reuniões?

5 comentários:

Nocturna disse...

Claro que Portugal DEVIA ter participado no Fórum Social Mundial. Temos o país cheio de problemas e, segundo tudo indica,ainda vai piorar.
Mas por cá anda toda a gente procupada com freeport, freeport, freeport para o qual uma grande maioria se está burrifando, e ninguém repara que não estamos a participar de um Fórum de onde podem sair algumas ideias para os países menos ricos (os que não cabem na Cimeira de Davos).
Aparentemente este modelo económico e social falhou, mais uma razão para se discutir e neste momento difícil, tentar encontrar soluções conjuntas.
Mas ... em Portugal é mesmo assim, repara-se e perde-se tempo com o acessório deixando para trás o essencial.
Francisco, é sempre bom visitar o teu canto , onde não estás distraído e sim a OLHAR DIREITO.
Um nocturno abraço

Francisco Castelo Branco disse...

Nocturna

Portugal não está a participar em nenhum deles. Não é só no Social. Porque do Económico também estão a sair grandes questões

De facto, esta semana para além do propalado Freeport, nas noticias, nomeadamente na RTP vieram reportagens tanto de Davos como de Belém. Isso sim é serviço publico.

Estes fóruns são uma boa iniciativa, ainda por cima num periodo destes; e em Portugal deveria ser feito coisa semelhante, deveriamos ter uma iniciativa destas a nivel nacional.
Mas parece que ninguém está preocupado com o futuro...

Pergunto : O capitalismo falhou?
Qual a alternativa ao capitalismo?
O socialismo?

Francisco Castelo Branco disse...

Nocturna

Obrigado pela atenção.
Aqui no Olhar Direito pretendemos discutir coisas e situações que têm importância e são relevantes.
Não damos atenção á chicana politica nem investigações "suspeitas"....
Porque é o que se passa no caso freeport.
Deve-se respeitar a separação dos poderes e também não fazer julgamentos na praça publica e na comunicação social, que é o que acontece muito em Portugal

Cada vez mais....

expressodalinha disse...

Aliás Portugal não participou em qq das reuniões. A nossa insignificância é total, como é óbvio. Nem vale a pena pensarmos de outra!

Francisco Castelo Branco disse...

falta de interesse, de projectos de querer inverter esta situação...

Em vez de se andar discutir Licenciamentos de centros comerciais, deviamos fazer-nos representar nestas actividades demasiado importantes

Share Button