terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O Rio de Janeiro continua lindo...

Praia de Copacabana vista do alto do Pão de Açucar
Vi que ontem, o tema da Tertúlia Virtual era o Brasil e, infelizmente, não pude participar porque estava no Rio de Janeiro!

Eu me desloquei de Fortaleza para a antiga capital do Brasil com o único e exclusivo intuito de assistir ao show da Madonna, mas a cidade é tão especial que o show tornou-se um mero detalhe. Nunca em minha vida, tinha parado para reparar como o meu país é belo, como o meu país é especial. Eu nunca tinha notado o óbvio: O BRASIL É LINDO!

Tomei um vôo de Fortaleza à Recife, onde iria fazer uma conexão para o Rio, foram exaustivas 5 horas de viagem (quase o mesmo tempo que se gasta para ir de Fortaleza a Lisboa), mas que foram compensadas por uma paisagem belíssima. O avião seguiu por toda costa nordeste do Brasil, até chegar ao Rio! E à medida que admirávamos esse mar verde e azul, conseguíamos identificar as capitais dos Estados, que ficam na costa do país: Maceió, Aracaju e Salvador

Infelizmente, quando chegamos à região sudeste, nos deparamos com uma frente fria que cobriu toda a exuberante beleza brasileira com um tapete de nuvens. Neste momento, me fiz acompanhar de uma leitura extremamente sugestiva e interessante, o livro 1808 de Laurentino Gomes, que conta a história da chegada da família portuguesa ao Brasil, ao Rio de Janeiro, fato que determinou o verdadeiro início deste país.

Logo no desembarque, me deparei com a realidade nua e crua da pobreza brasileira, as famosas favelas! Elas ladeavam toda a avenida que nos levou até a famosa Praia de Copacabana, onde me hospedei a 5 quarteirões do charmoso e lendário Copacabana Palace, onde estava Madonna (esta foi uma pressão psicológica extra na minha viagem, saber que a artista mais poderosa do mundo estava dormindo a apenas 700m de mim).

Imediatamente, nos estabelecemos no hotel e fomos ao Pão de Açúcar, ver o pôr-do-sol e as luzes da cidade no escurecer. A visão que se tem lá do alto é fantástica, eu sabia que a Cidade Maravilhosa era linda, mas não tão linda! Não tem como explicar, apenas vendo para entender a emoção que senti.

Descemos do Pão de Açúcar e seguimos para o baixo Leblon, área onde se encontram os bares e restaurantes freqüentados pelos inúmeros artistas que moram na cidade. Aquela região, cheia de vitalidade e boemia, me lembrou muito a região de Montmartre em Paris, só que com pessoas mais simpáticas e com menos roupa. Aliás, os cariocas são um caso a parte, são extremamente agradáveis, com uma conversa boa, uma receptividade fora do comum e um sotaque deliciosamente melodioso. Também compreendi que eles sim, são a mais genuína personificação da famosa malandragem do brasileiro. Depois de tudo, encerramos a noite no calçadão da praia de Copacabana, em um quiosque a beira-mar, apenas sentindo aquela doce maresia.

No dia seguinte, fomos visitar o Cristo Redentor, que não é tão grande como aparenta nas fotos, mas fica em uma montanha muito mais alta do que se imagina. E na tarde do mesmo dia, fomos ao sagrado Maracanã, palco principal da maior paixão brasileira: o futebol, onde acompanhamos debaixo de muita chuva, o show da Madonna, que foi empolgante, mas não se comparou à alegria da platéia que o assistia e que acabou contagiando a cantora, que estava visivelmente feliz, ao ponto de descer do palco e ir cantar com o público.

Enfrentei uma via crucis para voltar para minha cidade, avião que atrasou, conexão em Brasília em um avião que quebrou, mudamos de avião e chegamos 6 horas depois do previsto. Mas o que mais me doeu, muito mais do que a fadiga de uma viagem desgastante, foi a Cidade Maravilhosa que deixei para trás e tudo o que posso dizer é... o Rio de Janeiro continua lindo!


Larissa Bona

9 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Larissa

mais uma boa crónica de uma experiencia...

É engraçado o contraste :

das duas maiores cidades brasileiras (Sao paulo e Rio, penso eu); Uma tipicamente Nova-Iorquina e outra tipicamente Hawaiiana,

- Do Rio de Janeiro bonito, com boa vista e maravilhoso, com a sua famosa praia . e do Rio com problemas sociais, das favelas e da insegurança

Quanto ao show da Madonna, pelo menos aqui em Lisboa foi muito pobre....
Espero q no Rio tenha sido fantástico

Larissa Bona disse...

Olha Francisco, o show foi espetacular, talvez tenha sido a atmosfera do Maracanã, a alegria do povo brasileiro (que é profissional em festa, porque enquanto o Europeu guarda dinheiro para viajar, nós brasileiros guardamos dinheiro para festejar) que tenha feito o show ter sido especial.

Gostei bastante da sua alusão quanto ao Rio e São Paulo, embora eu classificaria o Rio como a Los Angeles brasileira, pois é lá que fica o centro artístico do país!

Algum dia, se tiver a oportunidade, vá ao Rio! É encantador!

expressodalinha disse...

Larissa: para todos os efeitos considere-se participando na Tertúlia, com um dia de atraso... É o jet-lag!
A sua crónica deu-me vontade de voltar ao Rio, de que gosto imenso. Que saudades!
Recomendo-lhe a leitura de "O Império à Deriva", sobre a fuaga e instalação da corte no Rio, que considero melhor do que o livro que refere.
A única coisa em que divergimos é em Madona: seria o último pretexto para ir ao Rio!

Francisco Castelo Branco disse...

mas onde está instalado o poder politico?

Rio, Sao Paulo ou Brasilia?

Larissa Bona disse...

O poder político no Brasil está instalado em Brasília, é a capital federal.

São Paulo é o coração financeiro e industrial do Brasil e da América Latina.

O Rio de Janeiro é a segunda maior metrópole do país, foi capital do Brasil desde 1763, por determinação do Marques de Pombal e até 1960, quando presidente Juscelino Kubitscheck, inaugurou Brasília. É a Hollywood do Brasil, com o maior centro de produção dramaturgica do país, o PROJAC da Rede Globo.

Francisco Castelo Branco disse...

isso é que é distribuição

Mas então a maior cidade é o Rio , certo?

Brasilia só é capital desde 1960?
poruqe mudou a capital?

Larissa Bona disse...

Não, a maior cidade é São Paulo, tem 20 milhões de habitantes, se contarmos com a região metropolitana! Rio apenas é a mais charmosa e segunda maior!

A capital mudou para Brasília porque desde a época do Marques de Pombal se tinha a idéia de interiorizar a capital do país para promover o desenvolvimento da colônia.

O Presidente Kubitschek concretizou este pensamento e construiu Brasília, no meio do nada, uma cidade inteiramente planejada, de arquitetura arrojada e projetada por Lúcio Costa e Oscar Niemeyer.

Teresa Durães disse...

Não conheço o Brasil

Francisco Castelo Branco disse...

Eu tb nao Teresa, mas um dia hei-de ir la

Share Button