sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Brasil – Um País Imperialista?

Bandeira brasileira queimada pelos sem-terra paraguaios


Esta semana, saiu na Revista Veja, que seria como a Newsweek do Brasil, uma reportagem com uma foto de uma bandeira brasileira sendo queimada por sem-terra paraguaios. Fiquei estarrecida pela imagem da bandeira brasileira queimada. E eu na minha inocência, sempre pensei que isto fosse “privilégio” apenas dos americanos!

Sempre sonhei em ver meu país considerado como desenvolvido, com as pessoas vivendo com qualidade de vida, com os seus direitos humanos respeitados e não me importaria de levar a pecha de “Imperialista” se aqui todos pudessem ter uma vida digna.

Mas, mais uma vez, ocorre um fato curioso no país do sui generis, somos um dos países mais pacíficos do mundo, com problemas sociais internos gravíssimos, uma pobreza de dimensões continentais e agora estamos a ser taxados de imperialistas, como se vivêssemos a desrespeitar soberanias e a pressionar economicamente outros países.

Tudo começou com Evo Morales, que invadiu as instalações da Petrobrás na Bolívia com o exército e quebrou todos os contratos firmados com o Brasil, sob a alegação de defesa da “soberania” boliviana. Sim, soberania é um novo sinônimo para calote na América do Sul.

O Governo brasileiro aceitou, passivamente, esta medida hostil para não prejudicar o fornecimento de gás para o país e vendeu as suas instalações na Bolívia a preço de banana, mas isso abriu um precedente que todos os demais vizinhos resolveram se aproveitar.

Imediatamente, o Paraguai resolveu mostrar as garras e, agora, quer que o Brasil perdoe a dívida deles de US$ 19 bilhões na construção da usina de Itaipu. Para quem não conhece, a Itaipu é uma hidroelétrica binacional, de propriedade igualitária do Brasil e do Paraguai, que foi toda financiada pelo Brasil, pois a época da construção o Paraguai não tinha dinheiro para financiar os seus 50%.

Alegam que o Brasil consome 97% da energia da usina e por isso devíamos perdoar a dívida. Só que o Paraguai esquece que o Brasil sempre pagou pela energia paraguaia que não era consumida, já que metade da energia lá produzida é deles.

Em seguida, veio Rafael Correa do Equador, que decidiu que, por conta de conflitos com a construtora brasileira Odebrecht na construção da hidroelétrica de São Francisco, não deveria pagar o empréstimo feito pela estatal equatoriana junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil).

É certo que o BNDES só emprestou dinheiro ao consórcio porque 20% dele era de uma empresa brasileira (quotas que já foram devidamente devolvidas ao Equador quando da expulsão da Odebrecht). Contudo, o empréstimo foi feito ao Equador, com chancela de todos os órgãos competentes daquele país, como o Banco Central e o Congresso equatoriano. Agora Correa alega que a dívida é da Odebrecht e não deles, e que se trata de uma dívida ilegal.

Além disso, baseado na grande cortesia sul-americana preconizada por Hugo Chávez, o Equador foi, legitimamente, questionar dívida na Câmara de Comércio Internacional de Paris, só que se esqueceu de avisar ao Brasil, que só ficou sabendo do fato pela imprensa, não tiveram nem a consideração dar um mísero telefonema. O pior de tudo é que se chatearam quando o governo brasileiro chamou o seu embaixador para consultas. Ainda, dizem que são nossos amigos.

Logo logo, como respeitar contratos não é o forte da Bolívia, teremos mais problemas com Morales, pois o novo contrato de fornecimento de gás firmado com o governo de bolivianos, prevê o reajuste da tarifa de acordo com um índice calculado com base no preço do óleo combustível dos últimos 3 meses, que despencou, de modo que a tarifa do gás vai cair pela metade.

Disso tudo, só posso dizer que a política exterior do Brasil nunca esteve tão mal. Temos um governo que não se impõe e vizinhos que são um terror! Eu, particularmente, não me sinto a vontade com esta situação, pois todo e qualquer calote que o país leva, vai ser sentido no meu bolso.


Larissa Bona

10 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Sendo o Brasil um país tão rico em recursos naturais precisará da ajuda dos seus vizinhos?

nao estão os vizinhos invejosos da riqueza e tamanho do Brasil?

expressodalinha disse...

Larissa, com a crise que aí está, honrar os contratos vai ser coisa rara daqui para a frente.
Aproveito para lhe dizer que tem Tertúlia Virtual dia 15 e o tema é "Brasil". Participe.

Larissa Bona disse...

Estamos reféns da Bolívia por 4 anos, este é o tempo que precisamos para sanar o problema da dependência, de alguns Estados, do gás boliviano.

Quanto ao Paraguai, não temos opção, o rio onde a hidroelétrica de Itaipu é fronteira entre os dois países.

A nosso diferença para os vizinhos é que, a pesar dos pesares, fizemos nossa lição de casa e estamos crescendo de maneira racional.

Eduardo P.L disse...

Larissa,

PARABÉNS pelo seu texto Assino embaixo. Estamos sem liderança diplomática, e com um Presidente que faz cumprimentos com o chapéu alheio. O nosso!

Francisco Castelo Branco disse...

Com tanta ajuda como é possivel o Brasil ser mais pobre do que os restantes vizinhos?

Larissa Bona disse...

O Brasil não é mais pobre que os demais, aliás somos os que estamos em melhor situação na América do Sul. O problema é que temos tanta pobreza, violência e outros problemas sociais, que não podemos nos dar o luxo de estar a levar calotes em série.

Larissa Bona disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
space_aye disse...

Realmente o governo brasileiro não sabe mesmo negociar.
Mas também a verdade é que está a ficar aos poucos um pais imperialista, o governo deixa as empresas fazerem o que querem e depois acontece disto, problemas com os vizinhos.
E não se preocupe porque queimar bandeiras nunca foi um "privilégio" exclusivo dos americanos, aliás parece estar na moda como forma de protesto.

Francisco Castelo Branco disse...

Realmente nao percebo essa forma de protesto.

Queimar bandeiras? Apesar de ser um simbolo ão é a maneira mais correcta....

será que se quer a destruição desse país?

Pelo q li, nao me parece que os paraguaios tenham razão para andarem a queimar bandeiras

Francisco Castelo Branco disse...

Larissa se o Brasil tem problemas com estes paises todos, Bolivia, Venezuela, Equador

com quem é que se dá bem?

Com a Argentina de Cristina?

Share Button