Etiquetas

quinta-feira, 8 de maio de 2008

“…é tempo de dizer que a cultura não serve só para gastar dinheiro, ela também é um excelente motor para o desenvolvimento económico e tem retorno.”
Joe Berardo
-
Querem comentar frase ?

6 comentários:

expressodalinha disse...

Depois das infelizes declarações do dito Berardo a propósito do "Caso Geldorf", tenho alguma dificuldade em comentar seja o que fôr que o homem diga.

Fernando Vasconcelos disse...

Em relação ao Joe Berardo e a este comentário só há uma coisa a dizer. Ela revela exactamente o que o homem pensa sobre a cultura. 1) serve para se gastar dinheiro. 2) Serve para ganhar dinheiro. Ou seja tudo gira á volta do desenvolvimento económico, da sua fortuna claro está. Alguma coisa de errado nisso? Não , nada. Tem todo o direito. Não tem é o direito de depois se considerar "mecenas". Mecenas é Gulbenkian. Quando o Berardo pegar nos seus € e fizer metade (que digo eu ... ) quando fizer 10% do que Gulbenkian fez passo a gostar dele. Até lá não contem comigo ... em particular estou a boicotar o seu centro de Arte Moderna no CCB. Não porei lá os pés. Por outras palavras, em vez de pensar na arte como investimento para o desenvolvimento económico pense talvez na arte para o desenvolvimento cultural e intelectual ... também tem retorno caro Berardo, também tem retorno.

Cleopatra disse...

Hummm estou a gostar... ;))

Francisco Castelo Branco disse...

É um pensamento normal nos dias que correm.
Porque tudo gira á volta do dinheiro e do fazer negócio.
Faz lembrar a história do Missão Impossivel II

Passa-se em relação á cultura o que acontece por exemplo no desporto onde não há o chamado "amor á camisola".

Há que em primeiro lugar pensar na cultura como uma forma de satisfazer os outros através do nosso trabalho.
Era, passo o exagero, como os blogues existissem para se ganhar dinheiro.

A cultura serve em primeira linha, para mostrar uma qualidade. Uma forma de estar.
Deve ser esse em primeira cena, o pensamento do artista.
Porque mais importante que o dinheiro que se ganha atraves da cultura, é a valorização pessoal do trabalho que se realiza

Duarte Gouveia disse...

A frase do Joe Berardo fala de cultura em geral...

Eu não tenho dúvidas de que a cultura tem valor económico e social a partir do momento em que se torna distinta e mais interessante.

Os principais negócios do Joe Berardo são, tanto quanto sei, bancos, obras de arte e vinhos.

Em relação aos vinhos existe uma enorme cultura portuguesa, pelo que concordo que é uma actuação que valoriza a cultura.

Em relação às obras de arte tenho mais dúvidas.
Uma obra de arte tem um valor muito subjectivo por ser um elemento único. O seu valor económico varia muito consoante quem a avalia.
O Berardo gasta fortunas a comprar obras de arte e não as vende. Assim sendo não se pode dizer que seja um investidor especulador... Pelo menos nesta área, não é especulador!

Em relação aos bancos, a actuação do Berardo foi a de destruição cultural.
Explicando... o BCP foi criando ao longo de anos uma cultura própria e única no mundo financeiro de criar valor para a empresa (e accionistas) utilizando a manipulação do mercado e escondendo os dados dos órgaos de supervisão.
O Berardo combateu esta cultura única, pelo que neste negócio ele destruiu uma cultura emergente.
Curiosamente é o único negócio em que está a perder dinheiro...

:-)

Francisco Castelo Branco disse...

Para o Sr.Berardo tudo gira á volta do dinheiro.

Mas acho que a Cultura deve ser muito mais do que isso

Faz parte do nosso património cultural

O que seria de Portugal sem os seus grandes artistas?

Share Button