Etiquetas

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Portugal Real III

Seremos assim tão pessimistas?

Se sim, porque razão é que o nivel de confiança dos portugueses tem andado tão em baixo nos ultimos tempos?

A economia não arranca, a politica vai de mal a pior. Já não podemos confiar neles, como confiávamos há algum tempo. Na Justiça, continuam os casos mal parados e sem saber como vão terminar. Muitos continuam impunes, cabendo aos mais fracos levar com a tareia principal. Em termos sociais, somos cada vez mais confrontados com a assimetrias pobres\ricos.

Tem a ver com o feitio nacional?

Vivendo ao pé do mar e apenas com uma fronteira terrestre, parece que estamos mais isolados. Deveriamos "agradecer" por termos sol todos os dias, e aproveitar o calor da melhor form

Mas não. O que se ouve, são relatos de uma população a queixar-se. Da falta de confiança, da incapacidade para lutar, de "inventar" objectivos ambiciosos para tornar a vida melhor. O factor "confiança" não está muito presente nos portugueses. Sente-se isso. Nas televisões, há cada vez mais lamentações do que alegrias. No dia-a-dia, acordamos tristes quando devemos olhar para o espelho e fazer um sorriso...

Nas ruas até parece que andamos de cabeça para baixo....

Será mesmo assim?

15 comentários:

Ana Filipa disse...

Pois é Francisco, parece que os portugueses, em vez de soprarem as feridas para que deixem de arder e cicatrizem mais depressa, arrancam as feridas com medo que tudo fique bem.
Mas está em cada um de nós o poder de olhar em frente com determinação e confiança, não apenas no amanhã, mas no hoje.
Mas temos mesmo de fazer por isso.
Obrigada pelo comentário no meu blog e continuação de boas partilhas.

Cleopatra disse...

Isto é um País de Velhos!!!

ab disse...

A verdade é que as oportunidades já são poucas. Com um pais de corruptos todos sabemos que apenas alguns tem oportunidades. Não há futuro.

JR disse...

Bem observado.

Tiago R. Cardoso disse...

Já passamos a parte do pessimismo, estamos já na fase da depressão.

Francisco Castelo Branco disse...

E para quando a fase do voltar para cima?

Francisco Castelo Branco disse...

Acho que um dos problemas do país prende-se com a falta de ambição patenteada nas pessoas.
Na falta de objectivos. Isso nota-se na gerações mais velhas.
Mas o problema é que tomou conta de parte da geração mais nova, á qual a maioria das pessoas que opina neste blogue pertence.
Tem a ver com o passivismo. Com a permissividade. De deixar andar. De haver pouco interesse pelos problemas. Como por exemplo a politica, a economia, as questões internacionais......
Tem a ver com isso.
Hoje em dia a maioria das pessoas não tem objectivos. Quer deixar as coisas correrem e depois verem se corre bem.......
Um exemplo....

Será que nós estaremos preocupados com o nosso futuro?

- com o nivel de vida que o país irá ter quando formos mais velhos?
- com a maneira como se vai fazer politica no futuro? Com muitos dos "futuros" governantes serem "pessoas" pouco qualificadas para o fazerem?
- Com os problemas sociais que daqui a 10\15 anos o país poderá ter que enfrentar?
- com as guerras internacionais que se avizinham? Nunca o mundo esteve tão instável....

É por isso que o país não anda para a frente. Poucos querem dar a sua opinião, fugindo-se na ideia de que "não vale a pena".

É por isso que os blogues nos dias que correm têm um papel fundamental. Havendo pouco espaço para opinar na praça publica, há que "angariar pessoas e fundos.." porque uma organização destas necessita de muita organização.

Há que continuar a fazer prevalecer a nossa opinião e espalhá-la por onde for possivel...
E alertar as pessoas que não querem saber, de que se devem interessar por algo mais do que sair á noite jogar playstation.
Se bem que isso também é bom

expressodalinha disse...

Cheguei tarde aos comentários, mas lá vai disto.
Fazendo parte dos mais velhos que opinam neste blogue e tendo 2 filhos da vossa idade (27 e 26), acho que há um excesso de péssimismo e de omissão da parte dos mais novos. Há mesmo um sentimento de que não há nada a fazer. Tudo é corrupto, a política é uma merda... Não é exactamente assim. Muita desta sensação é passada pela comunicação social que contribui de forma decisiva para o mau estar geral e, depois de lançar bocas, pouco ou nada investiga. Historicamente, o défice nacional começou com D. João V e nunca mais conseguimos estancá-lo. É altura de os mais novos, sem utopias disparatadas que não vingaram no séc.XX, ensaiarem um 3ªvia (ou 4ª) para o desenvolvimento sustentado. É altura para ser optimista porque, garanto-vos, nunca tivémos melhores condições, contrariamente ao que os arautos da desgraça e fadistas do desespero anunciam. Tomar conta do poder significa lutar por ele. Ninguém o dá de mão beijada. Não se queixem. Actuem!

Francisco Castelo Branco disse...

Eu ainda sou mais novo que os teus filhos...23!

E o que é que a tua geração é a unica que está a fazer alguma coisa por este país...

Quanto á malta mais velha, acho que como viveu na transição ditadura\democracia, tem saudades daqueles tempos de paz e conforto.
Havia poucos escandalos, amor utópico, relações estaveis, politica com conforto, pouca corrupçao e nada de problemas.

Em relação á malta da minha idade e porque não falar da geração seguinte.

Em relação aos 20 e 20 e poucos, ha um sentimento do facilitismo.
Vejo isso por exemplo no meu curso.
Onde é mais facil meter cábulas no código do que estudar....
E o 10 chega....
Nem Orais é preciso fazer.
Quanto ao resto, existe uma certa facilidade na conquista das coisas.
Seja aquilo que for. Estão á espera que caia do céu.
Que não é preciso estudar, porque algo se há-de arranjar, que trabalhar é uma chatice porque ocupa muito tempo do dia, e NUNCA mais vai ser possivel sair á noite ou namorar.
Não votam, porque isso não interessa ou não querem se chatear e saber dos problemas que o país atravessa.
Não se preocupam com o futuro, porque logo se verá.
E tudo o que seja estar fora de Portugal significa "sair do bem bom".
No fundo é a geração do facilitismo, da dependência e do não quero saber.

A geração seguinte é a "geração morangada"....
Bem pior...

Claro que há excepções. E a malta que tem o seu blogue faz parte.
É muito interessante que reparar na quantidade de pessoas da minha idade que têm blogues e se interessam por tudo aquilo que venho dito aqui.
Acho que é nessas pessoas que se deve apostar. E apostar bem..
Dar oportunidades de fazerem qualquer coisa. Dar voz a essas pessoas de se puderem pronunciar...

Era interessante que se constituisse um Movimento ou mesmo um partido(isso é mais utópico); com pessoas mais novas. De idades dos 18 aos 25 anos..
Para ver como era aceite na sociedade portuguesa.
Acho que faz falta algum movimento civico de jovens.
Se bem que os blogues podem ser uma plataforma para que tal aconteça...

Acho que é um bom tema para discussão

expressodalinha disse...

Indiscutivelmente um bom tema. Há que criar massa crítica.

expressodalinha disse...

Não resisto a mais uns comentários:
1-Sendo um problema geracional, convém não exagerar. Há gente alerta e positiva em qq geração. Mais, um movimento só de jovens ou é tipo Maio/68 (irrepetível e de resultado duvidoso) ou não tem representatividade social. Por outro lado, cuidado com os "jotinhas" partidários. Carreiristas sem experiência de vida, são eles que estão no poder;
2-A minha geração tem de tudo. Sendo ainda socialmente válida, é lá que estão os que fizeram alguma coisa por mudar o mundo ou o país, no séc. XX, mas que se acomodaram e são eles, agora o "regime": é lá que estão os que nada fizeram mas mandam imensos palpites; é lá que estão os que deliberadamente se aproveitam da "democracia", sem nada terem feito; é lá que estão vários tipos e modelos de frustrados que, agora, destilam veneno, hipocrisia ou conformismo, sem conseguir já renovar-se;
3-Os mais velhos estão na fase reaccionária da vida. Pensam na reforma e nos cuidados de saúde que lhes prometeram e que legitimamente lhes devem;
4-Os mais novos suponho que terão tendência a ser cada vez mais iletrados e, curiosamente, a manterem-se elitistas, o que é perigosíssimo. Sim, porque os mais novos acham-se sempre melhores e mais "avançados" do que os pais... está nos livros;
5-Não confies demasiado nos blogues. Há de tudo. Comentadores frustrados; narcisistas; solitários... e até há quem tenha ideias e queira mesmo comunicar. Os blogues são o espelho da nação;
6-Finalmente, mesmo depois disto tudo, não desistas!
Abraço.

Francisco Castelo Branco disse...

obrigado

Nao resisto a responder...

Concordo com o que dizes sobre os jotinhas.
Eles são os futuros representantes politicos portugueses. E mais..
Muitos deles não têm estudos. O que é ainda mais perigoso.
Porque iremos ter uma sociedade cada vez menos qualificada a ocupar lugares de poder. Isso é alarmante.
Daí que defenda pessoas mais qualificadas na politica.
Advogados, medicos, arquitectos.... nos lugares da AR.
Sem filiação partidária.....

continua a minha resposta depois de ver o lider do PSD na tv
até ja

Francisco Castelo Branco disse...

continuando....

Acho que a tua gerãção, expresso, foi a que teve mais sorte.
Assistiu in loco, ao 25 de abril e ao raiar da democracia.
Com isso conseguiu estabilizar a vida e fazer novos combates.
É o que falta á minha geração...
A capacidade de travar novos combates e de lutar por eles.
Vale muito o "não vale a pena" ou o "prefiro ir beber um copo...."
Estão ausentes. não participam!
Passam tardes a fumar ganzas, ou sentados num café. Ou então a jogar playstation.
São poucos os que assistem a conferências, vêm debates e mais grave do que isso leêm......

O que fazer com isto?

De facto, o problema da iletracia é grave.
Espero que não passe para a geração a seguir.
Senão poucos vão ter um futuro promeissor.

Mas será este desinteresse também por causa da falta de oportunidades?
- de sermos confrontados com o facto de a nossa economia e sociedade estar cada vez mais pobre?
Não será isto um efeito dominó?

Não tem a ver com o facto dos jovens estarem desacreditados com a politica?

JuliaML disse...

Miguel,

acho que faz parte da nossa cultura,tem um pouco a ver com o Fado,que nos é intrinseco, a tragédia, a expiação, o queixume, enfim...somos uns insatisfeitos. Acho que se o País estivesse bem, queixarmo-nos-iamos do facto de estar tudo bem, pelo menos agora temos motivos!!

JBilro disse...

Não é assim...uma necessidade depois de satisfeita, gera nova necessidade...natureza humana.
Na vossa idade tb andávamos perdidos, tb havia corrupção e tráfico de influências, tb havia pouco desenvolvimento cognitivo (reparem que não falei em cultura)...nós tb somos responsáveis pelas vossa situação.
Mas é sobre o presente que temos que agir; com o advento das TI´s e da Ciência em Geral, no futuro 1/3 da população activa mundial, terá capacidade produtiva para sustentar os outros 2/3, não estou a incluir os "desvios".(terão de funcionar dois sistemas reguladores; um tecnológico e o outro humano). Para enquadrar e responder a todas as vossas questões, preciso de muito mais tempo, mas prometo acompanhar-vos e abordar todos os temas que entendam como de interesse no meu blog.
Continuarei convosco, um abraço Francisco

Share Button