domingo, 10 de fevereiro de 2008

"Momentos" Sociais Democratas I

Agitada anda a vida dentro do PSD

A começar pelas presidências abertas por parte do líder parlamentar do PSD. É uma novidade introduzida por Santana Lopes. Normalmente as presidências abertas são realizadas ou por Primeiros-Ministros ou Presidentes da Republica(daí o nome presidências...). Será que Lopes está a almejar um destes dois cargos? Ou então tenciona voltar para a liderança do Partido?

Do lider do partido, ninguém sabe. A não ser o próprio. Onde está a oposição social-democrata que Menezes prometeu fazer? A tão aguerrida luta para derrotar o Engenheiro Sócrates? Os militantes sociais-democratas em Setembro quiseram mudar. Mas parece que as coisas continuam na mesma......

Enquanto que Pedro Santana Lopes continua a aparecer nos media e a determinar a sua própria agenda, Luis Filipe Menezes parece não conseguir "cativar" a Comunicação Social que só quer saber das medidas "luxuosas" do Governo..

Perante tudo isto, a questão que se coloca é saber quem manda afinal no PSD?

8 comentários:

expressodalinha disse...

Se não forem movimentos inorgânicos, não vejo maneira de haver oposição.

Francisco Castelo Branco disse...

Mas isto nao sao grupos inorgânicos.....
Estão bastantes organizados e existem "candidatos fortes"

quintarantino disse...

Francisco, uma coisa eu sei... quem não manda no PSD sou eu. E ainda bem! Aquilo está uma casa de loucos.

Tiago R. Cardoso disse...

essa é fácil, mandam vários conforme onde estejam as câmaras de televisão, sempre que aprece uma alguém trata logo de dar um opinião.

Francisco Castelo Branco disse...

Que resultados para 2009 com estas confusões?

Carol disse...

O PSD perdeu o norte por completo!! Cada um puxa a brasa à sua sardinha... E, em 2009, vai perder as eleições como já toda a gente percebeu.

Ricardo S disse...

O problema do PSD é a falta de visão e falta de análise auto-crítica. Senão vejamos: Santana Lopes perdeu as eleições de 2005 para Sócrates. Quem é que foi eleito como Presidente do partido 2anos depois? Menezes, um santanista assumido. E quem é que foi escolhido para líder da bancada parlamentar? O próprio Santana, que- diga-se, acaba por ser a "cara" do partido.
Ou seja, depois de uma derrota histórica (com a menor votação de sempre), o PSD optou pela continuidade, quando o povo censurou esse rumo e pediu por mudanças.
Tal como no CDS-PP (com Paulo Portas), o PSD não resistiu muito tempo sem um líder que representa uma política e uma visão governativa que foi censurada ainda há bem pouco tempo. Em suma, não aprenderam com os erros do passado.

É com muita pena que digo isto, mas o PSD não tem futuro com este rumo, com esta visão (basta relembrar algumas ideias defendidas por Menezes, como por exemplo a extinção do Tribunal Constitucional ou a ânsia de querer controlar quer os media quer as grandes empresas públicas e privadas com "laranjinhas").
Digo com muita pena, pois a social-democracia é a minha ideologia e o PSD era o partido que a defendia. Era... já não é...

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Pouco mais de dois anos após ter cessado funções como primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes prestou uma assistência jurídica à Globalia, empresa vencedora do concurso de privatização dos serviços de assistência aos passageiros da TAP, no âmbito das negociações da firma espanhola com a transportadora aérea portuguesa para tentar resolver as divergências entre as duas partes na Groudforce, empresa responsável por aquele serviço e cuja maioria de capital é detida pela Globalia.

Share Button