terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

A entrevista II

Desta vez, foi Luis Filipe Menezes quem disse de sua justiça...
Centrou a sua intervenção na politica do governo, nomeadamente ao nivel social e económico. Procurou enaltecer o trabalho que tem feito ao longo de 4 meses.
Em termos internos, desvalorizou a mediatização de Santana Lopes e
elogiou as pessoas que têm ao seu lado neste combate.

Sobre o país e o governo falou de um desastre. Disse que o país em termos económicos e sociais estava num pantano. Que o PSD tem estado na primeira linha de combate em questões como Segurança, criminalidade, referendo ao Tratado de Lisboa e independência do Kosovo. Afirmou mesmo que foi o PSD a obrigar o governo a ratificar por via parlamentar. Foi mesmo assim?

Disse que não andava desaparecido. Que tinha estado estado no terreno aquando do fecho das urgências em Anadia e Faro. Será o suficiente? Esclareceu que os prometidos porta-vozes seriam brevemente anunciados. Que farão?

Negou as divergência com o lider parlamentar do PSD. Mantendo a total confiança. Haverá mesmo?

Até onde chegará Luis Filipe Menezes?

10 comentários:

Ricardo S disse...

Um líder partidário que defende a extinção do Tribunal Constitucional (entre outras coisas, como por exemplo, o desmantelamento do estado em 6 meses) não pode chegar a lado nenhum. Pelo menos num Estado de Direito democrático...
Cumprimentos.

Ricardo S disse...

E os números? Menezes refutou algum dos números apresentados por Sócrates? Com números claro, pois palavras não chegam, porque profetas da desgraça temos muitos...
Como tenho vindo a defender, os números têm sido, felizmente para Portugal, animadores e bem melhores do que nos últimos anos. Por isso, e como contra factos não há argumentos, Menezes bem pode repetir o que pensa do estado do País, mas os números desmentem-no categoricamente. É que não há volta a dar-lhes...

Francisco Castelo Branco disse...

Essa história dos numeros tem muito que se lhe diga....

É sempre a mesma coisa de há uns anos para cá...

Uns dizem numero, outros refutam

expressodalinha disse...

Infelizmente, e com todo o respeito, este homem é um não-líder.

Jorge A. disse...

"Menezes refutou algum dos números apresentados por Sócrates?"

O caro ricardo deve estar a referir-se ao númeoro dos 150 000 novos empregos prometidos por Sócrates... :)

Jorge A. disse...

"entre outras coisas, como por exemplo, o desmantelamento do estado em 6 meses"

Sendo justo com o homem o que ele disse faz todo o sentido. O Estado em Portugal está em todo o lado, não vejo onde reduzir a dimensão do estado - e era esse o propósito da afirmação de Menezes - levará ao fim do estado democrático de direito. Aliás, o que se verifica com os tentáculos repressores do estado actual, liderado por Sócrates, nomeadamente na questão da ASAE ou da máquina fiscal, vai claramente contra as regras que deviam prevalecer num estado de direito democrático.

Jorge A. disse...

"Até onde chegará Luis Filipe Menezes?"

Sinceramente caro Francisco, e respondendo efectivamente à sua pergunta, acho que o homem não vai longe.

Jorge A. disse...

"Como tenho vindo a defender, os números têm sido, felizmente para Portugal, animadores e bem melhores do que nos últimos anos. Por isso, e como contra factos não há argumentos, Menezes bem pode repetir o que pensa do estado do País, mas os números desmentem-no categoricamente. É que não há volta a dar-lhes..."

Isto é mentira caro Ricardo. Quais são os números animadores? Os do desemprego não são certamente. Os do crescimento económico? Sim, temos crescido mais do que no passado mais recente, mas compare as nossas taxas de crescimento com as taxas de crescimento dos restantes paises europeus. O que verifica? Consegue dizer-me...

Na prática nada mudou, estamos com uma taxa de crescimento mais elevada porque o clima internacional (factor alheio, percebe caro ricardo) ajudou-nos, mas em comparação com os restantes paises, continuamos a divergir. Cada vez mais pobres... quais são mesmo os números animadores?

Jorge A. disse...

"Cada vez mais pobres..."

em termos relativos, entenda-se.

Francisco Castelo Branco disse...

Concordo em dizer que LFM nao chegará a lado nenhum....

Acho que tem a ver com o estilo

Quando afirmou que o objectivo era retirar publicidade á RTP e ao afirmar que fora por causa do PSD que o PS assinara o tratado de Lisbao por via parlamentar, mostra bem o que vai em Menezes.

Na minha opinião, menezes fechou o PSD. Dificil vai ser alguém tirá-lo de lá.
Muito do que disse durante a campanha para a liderança social-democrata, Menezes não está a fazer o mesmo tipo de Oposição, agora que está na verdadeira Oposição....

Internamente, começam a movimentar-se as primeiras figuras para uma eventual candidatura antes das eleições.
Acho que não tem a noção de como o PSD está mal.....

Poderá haver surpresas....
mas...

Share Button