sábado, 26 de janeiro de 2008

Portugal real

O que mais choca em Portugal............

As declarações de Marinho Pinto sobre alegados favorecimentos e corrupção dentro do Governo português. Nem faz um mês após a tomada de posse e já começa a disparar

A caricata cena de Alijó e Favaios. A incompetência dos operadores do INEM? A falta de cuidado por parte dos bombeiros. Será este um caso isolado ou é geral? Estarão os nossos serviços administrativos tão mal para termos de assistir a estas cenas mais vezes?

Os constantes assobios a José Sócrates. Qual será a razão? Se nem oposição existe, porquê assobiar tanto? Caiu o estado de graça de Sócrates?

A semana de apogeu do Ministro da Saúde? Por causa das urgências, da cena de Favaios........ Cada vez que falecer uma pessoa numa ambulância, a culpa agora é de Correia de Campos?

A contínua e sempre polémica sobre o BCP e o Banco de Portugal. Nunca se falou tanto de finanças e irregularidades em Bancos como agora. É a factura a pagar por adoptarmos uma economia de mercado? Que papel tem o Banco de Portugal em todo este processo de supervisão?

Com tudo isto, ninguém se lembra que faz hoje 4 anos em que Miklos Feher morreu num campo de futebol......

É este o Portugal real? Ou será tudo isto ficção cientifica?

8 comentários:

José Alberto Vasco disse...

A desconfiança, infelizmente, continua de pé em Portugal. E além dos políticos também já se estendeu à banca e ao poder judicial. É preciso fazer qualquer coisa... Já!
(O Francisco alinho o endereço do meu blogue como nasfraldasdaserra, quando ele, queirosianamente se chama nasfaldasdaserra- agradeço que rectifique- um abraço)

Tiago R. Cardoso disse...

Nem real nem de ficção, simplesmente o Portugal normal...

Francisco Castelo Branco disse...

Mas o quê, José Alberto?

Tiago, o que fazer para que tenhamos um melhor Portugal Real?
Para que isto não aconteça.
Eu pessoalmente, escolho a cena caricata do INEM. Espero que quando tenha um problema semelhante (espero nunca o ter); não me calhe uma operadora daquelas, nem que os unicos bombeiros disponiveis sejam iguais aos de Favaios e Alijó

Paulo Sempre disse...

Infelizmente é o Portugal real.
O Dr. Marinho Pinto, vai demostrar - penso eu - quanto de real é aquilo que parecia ficção cientifica.
Neste momento os visados já "limpam armas"...a guerra vai começar...e as televisões e jornais - os que não forem silênciados - hão-de fazer a cobertura dessa "guerra".
Abraço.
Paulo

Filipa disse...

Ermmm sou um pouco suspeita massssss porque é que a morte de um futebolista em campo é mais importante do que a de um anónimo numa ambulância?

Francisco Castelo Branco disse...

Filipa, não é importante claro.
Mas é o país em que vivemos.
Na altura em que Féher morreu, foram dias e dias de cobertura jornalistica. Abriu os telejornais durante muito tempo!
Em relação aos anónimos não houve essa "benesse"
Enfim..........

Paulo, concordo contigo.
O que MArinho Pinto, disse vai ficar gravado.
Tanto as televisões e jornais vão andar em cima dele e á procura de respostas.
Espero que o PGR e o MP façam o mesmo e não se esqueçam destas acusações...............

Ricardo S disse...

Caro Francisco: Governo e Estado não são a mesma coisa.
Marinho Pinto disse "no Estado" e não "no Governo".
Governo são o Primeiro-Ministro, Ministros, Secretários de Estado, etc. Estado são o Governo, o Presidente, a Assembleia da República, os Tribunais, autarquias, etc.
E os casos que referiu na entrevista à SIC, ontem ao almoço, prendiam-se com anteriores governantes e casos antigos, não relacionados com o actual Governo, apesar da Maria João Ruela 8e Balsemão) quererem à força que Marinho Pinto referisse algum caso com o actual Governo...
Há que esclarecer, a bem da verdade e do rigor.
Cumprimentos.

cleopatra disse...

BOA!
Boa postagem Francisco.

Share Button