terça-feira, 8 de janeiro de 2008

A nova lei (anti) tabaco - II

Duas breves notas: Francisco mais uma vez, muito obrigado. A todos os leitores do blog, um bom ano 2008. Antes do assunto em questão devo esclarecer: sou fumador. Um amigo meu disse-me que esta lei vinha em óptima hora para os não fumadores. Discordei e discutimos durante uma hora. Ainda me disse que era fruto de um excelente trabalho por parte deste governo... discordei obviamente e aqui já foram duas horas. O que fez o Governo no que concerne à prevenção do tabaco junto dos potencias jovens fumadores: uns cartazes com uns dizeres do género de fumar não é fixe - portanto o governo não fez nada. Aqui arrisco dizer que esta propaganda será tão eficaz como uma eventual: roubar não é fixe. Por falar em campanhas e aquela do: você nunca roubaria um carro, nem uma mala, nem um telemóvel...logo não deve roubar este filme. Primeiro: quantas pessoas é que já roubaram um telemóvel; segundo devemos avisar os senhores que esta campanha não funciona, porque não "sacar" um filme da net e comprar o mesmo dá direito a ser gozado e eu que o diga: compro obviamente os meus conteúdos multimédia. Há uns anos, criou-se um flyer com o patrocínio da DGS, onde um dos dez motivos para deixar de fumar era precisamente o risco de incendiar a própria habitação -absolutamente hilariante. E onde se compra tabaco? Aqui não se fez nada. O tabaco é um bem que se vende em todo lado: hipermercados, supermercados, cafés, quiosques, livrarias, restaurantes, bares e discotecas. Por mais irónico que pareça, nos sítios onde hoje não podemos fumar podemos comprar tabaco. O que se regulou então: os espaços e as condições dos mesmos, onde ainda se pode fumar. O que resulta daqui, o fumador ou vai para a rua ou então vai com o seu amigo não fumador, para um espaço com poucas condições, onde basta inspirar para inalar uma quantidade absurda de fumo. E surpresa neste pequeno anexo terceiro-mundista estão dois terços dos clientes daquele café. Assim aconteceu comigo este fim-de-semana. Levantei-me e fui fumar para a rua. A questão da saúde resolveu-se se só acordou agora leia novamente o exemplo supra mencionado. Assim sendo existe solução, existe. E o governo está interessado - não! O Prof. Manuel Pires no nosso primeiro encontro disse-me: As duas "máximas" do Direito Fiscal: 1ª - Na vida apenas se garante a morte e os impostos. 2ª - O melhor contribuinte é o fumador. Porquê? Porque paga mais impostos do que qualquer outro e acaba por viver menos tempo. Solução então: Regular a composição do tabaco comercializado com menores níveis de nicotina e monóxido de carbono, se os produtores responderem que podem perder o aroma no seu produto, eu posso argumentar que se vender batatas fritas com cocaína, vou ter não só um monopólio, como também vou ser extremamente rico. Eu sei que é um exemplo puxado, mas dá para pôr a pensar. Fumadores ... boa sorte. Fumadores com animais domésticos... ou largam o vício ou não podem andar com o cão. Por falar nisto... estas pessoas ainda podem entrar em algum lado?

7 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Obg pelas tuas palavras
E bem vindo (finalmente)
Não concordo com o que dizes em relação ao facto do Governo não ter feito nada com os jovens que não fumam.
E até digo, que com esta medida o Governo está a "educar" os portugueses.
Agora, esta lei não pode ser considerada boa para os não fumadores.
Acho que é igual. Não tem nada do outro mundo. Apenas não se vai poder fumar em certos espaços publicos.
Nas casas e principalmente na rua, o fumo vai continuar. Com e sem fumadores.....

Tiago R Cardoso disse...

Quando as pessoas por educação e civismo não vêem que estão a lançar fumo para cima dos outros, a coisa têm de ir lá por força de lei...

jfd disse...

Sou fumador on-off.
A lei é excelente.
A disco está sem fumo.
O centro comercial está sem fumo.
O meu trabalho está sem fumo.
O restaurante está sem fumo.
A universidade está sem fumo.
Que direito tenho em fumar para cima de outros?
:P

joana disse...

...tanto bla,bla,bla para condenar o tabaco e ha só uma solução:cortar o mal pela raiz:os paises mais poderosos deviam "queimar"os grandes produtores de tabaco...

Francisco Castelo Branco disse...

Jfd bem vindo ao blogue!
Não tens o direito de fumar para cima dos outros, mas os outros como vivem em "sociedade" também têm que se habituar ao teu fumo!
são as regras do jogo.....

Joana....
Não acredito que isso venha a suceder, mas agora com as regras do tabaco, o aumento de compra deste vício vai diminuir. Sin duda

jfd disse...

Se o meu fumo fosse inocente.....

Francisco Castelo Branco disse...

Jfd o teu fumo não é inocente.
Mas também não é por aí que as pessoas ao teu lado vão sofrer consequencias malignas. Se assim fosse ninguém estava ao pé de fumadores.

É uma questão de habito

Share Button