terça-feira, 22 de janeiro de 2008

2 anos de um outro Cavaquismo....

Completa-se hoje dois anos desde que Cavaco Silva foi eleito Presidente da Republica.
Desde então, a sua acção tem sido um verdadeiro sucesso.

Tem alertado o Governo quando necessário sem levantar muitas ondas. E o mais importante é que está a ajudar o Executivo na sua tarefas. Outra coisa não seria de esperar............

Apesar de ser de outra força politica, é este o papel do PR. Pois ele é o Presidente de todos os portugueses. Nas questões Sociais, Cavaco está a surpreender. Do meu ponto de vista. Tem estado muito atento á questão das urgências,desemprego e acção social. Boa nota!

Em termos internacionais está a deixar a sua marca. Sempre que vai ao estrangeiro, procura ir ao encontro dos portugueses. Tem a preocupação de elevar o nome de Portugal no estrangeiro.

Será que a acção de Cavaco está a ser melhor do que a de Sampaio? E se houver uma crise politica como existiu com Santana, o PR terá a coragem de dissolver o Parlamento? Que futuro reserva nos próximos dois anos de mandato? Tem condições para se recandidatar? O papel que faz de PR é melhor do que o de PM?

Uma coisa é certa , Cavaco Silva já tem o seu lugar na história da politica portuguesa.......

16 comentários:

despertador disse...

Para além de serem duas personalidades diferentes, Cavaco e Sampaio têm duas interpretações sobre o lugar de PR. Sampaio foi um bom PR, apenas foi colocado perante uma situação difícil que tentou resolver da melhor maneira. Se dissolvesse Durão não ia para Bruxelas e Portugal perderia uma oportunidade de ouro. Deu o benefício da dúvida a Santana e, após inúmeras gaffes deste, e comprovada incompetência, dissolveu o parlamento. Não sei se Cavaco faria igual, mas havendo uma maioria como a do governo PSD/PP, poucos se atreveriam a dissolver imediatamente a AR.
Quanto às condições para se recandidatar, tem-nas, obviamente, até porque o primeiro mandato é sempre agradável para todos. As funções são diferentes, mas creio que Cavaco tem sido tão bom presidente, como Sócrates bom PM (apenas este é muito mais contestado, porque as grandes decisões são tomadas em Conselho de Ministros).

quintarantino disse...

Penso que temos tido a sorte ou a sensatez (mais esta, para mim) de saber escolher bons presidentes da República.
Paradoxalmente, quase todos têm funcionado como excelentes contraponto aos Primeiro-Ministros com quem têm de trabalhar.

Independentemente daquilo que no calor das emoções se possa dizer e afirmar, tenho para mim que a História se encarregará de fazer justiça (onde ela é devida) a Soares, Sampaio e Cavaco.

Assumo, sem peias, que não votei em Soares na sua primeira candidatura, assim como não votei em Cavaco (votei em branco, pela primeira vez).

Assumo, sem qualquer problema também, que o registo do actual Presidente da República tem surpreendido.

Mas, como já aqui bem se referiu, os primeiros mandatos costumam ser sempre pautados pela cordialidade. Vencido o cabo da reeleição, costumam surgir as crispações.

Quanto às questões que colocas, penso que em iguais circunstâncias Cavaco dissolverá (Santana revelou-se, contra as minhas próprias expectativas) um desastre ou alguém o minou (há por aí umas histórias que o próprio Portas era um dos queixinhas junto de Sampaio), os próximos dois anos serão de cooperação institucional pois Cavaco bem sabe que, por muita asneirada que se esteja a fazer, o País, neste momento, precisa de rumo e firmeza, tem condições para se recandidatar (contra o próprio PSD se quiser) e não acho que se possa comparar os papéis. O amigo, como aluno de Direito, bem sabe que esta última pergunta é capciosa.

Tiago R. Cardoso disse...

Têm sabido gerir a coisa, mantendo uma distancia do governo mas não o contrariando directamente, diga-se que muito bem de forma a manter uma estabilidade nacional que é superior à ideologia e linha de pensamento de cada um.

Acredito no entanto que se cavaco for para um segundo mandato, nessa altura e perante este mesmo governo, poderá mudar de tom e ser mais oposicionista do que equidistante.

Patrícia disse...

Obrigada pela visita ao meu blog. Já andei a passear pelo teu e vejo que é um bom blog, continua assim.

Filipa disse...

Olá!
Acho que o teu blog aborda assuntos muito pertinentes e, apesar de não concordar com muitas das opiniões aqui expressas (como a deste post), acho importante que existam sitios onde se pense :P

Beijinhos

Francisco Castelo Branco disse...

Despertador....
Bem vindo ao blogue e deixa-me dizer que Portugal não perderia uma oportunidade caso Durão Barroso não tivesse aceitado o papel de Presidente da Comissão Europeia.
Não acho que seja importante para o país. Mas sim para o próprio, que não perdeu tempo e "foi-se".

Quin
Também assumo que não votei em Cavaco para PR. E foi a primeira vez que votei em branco. Mas daqui a 3 anos se calhar vou pensar diferente.

A questão que coloco é se o papel do PR(seja ele qual for) não deveria ser mais activo? Ter mais poderes? Para além de poder dissolver a AR quando quiser........
Até pode acordar mal disposto e decidir dissolver a AR.........

despertador disse...

Ora meu caro, que Durão se foi, é verdade, mais do que Guterres, Durão fugiu. Porém, mesmo eu tenho que admitir que após um início muito hesitante como Presidente da Comissão, a sua actuação tem melhorado ao longo do tempo.
Quanto a ter mais poderes, discordo. O sistema francês não me atrai minimamente e gera confusões estranhas, ao ponto de não sabermos muito bem para que serve o Primeiro-Ministro.
Creio que o nosso, apesar de ter falhas, adequa-se. Não devemos querer mais, apenas porque os outros têm, apenas se o deles é melhor. E na avaliação final, o nosso sistema cumpriu com todos os objectivos, principalmente ao impedir que voltássemos a cair numa ditadura.

Francisco Castelo Branco disse...

Acho que Cavaco tem mais sentido de Estado e das responsabilidades do cargo que Sampaio.
Se calhar não teria dissolvido o Parlamento e encontrado uma solução no PSD que não fosse Santana Lopes.
Para mim foi o erro cometido por Jorge Sampaio, como depois se veio a confirmar.
Também acho que Cavaco preocupa-se mais em ajudar os Governos do que criar conflitos. Como aconteceu com Soares e Sampaio no final do seu mandatao. Apesar de apreciar bastante Sampaio ( Ver A republica de Sampaio em Outubro 07).

Quanto ao sistema francês concordo.
É confuso e o PR não deveria escolher o seu governo.
Mas isso é lá com eles

Francisco Castelo Branco disse...

E digo mais.
Estes dois politicos que faço referencia. Este e o do post em baixo, fazem com que possamos acreditar que ainda há bons politicos e pessoas com capacidade para mudar

Carol disse...

Nós estamos mesmo em campos ideológicos totalmente opostos...
Como Pr até lhe reconheço algum mérito. Enquanto 1º ministro só me desiludiu...
Mas, sim, já é um marco histórico nacional.

Francisco Castelo Branco disse...

Porque te desiludiu Carol enquanto 1ºMinistro?
E

joana disse...

para mim Cavaco Silva sempre foi um homem intrego...

Ricardo S disse...

Caro Francisco,
subscrevo a sua opinião, apesar de concordar com a Carol quanto à prestação como Primeiro-Ministro (aquela cena de meter o bolo rei na boca, quando interpelado pela jornalista da RTP não me sai da memória...)

Cumprimentos.

Francisco Castelo Branco disse...

E a cena da policia contra policia?
E o buzinao da ponte?
Também não abona em favor dele, enquanto Primeiro Ministro.
Mas são situações que acontecem.
De facto, Portugal conheceu o seu boom aquando da sua estadia enquanto Primeiro Ministro.
As reformas, muitas delas foram introduzidos por ele.
Agora enquanto PR, acho que está a cumprir o seu papel.
Como eu disse atrás.
Sem ser muito vigilante, mas tendo a preocupação de "ajudar" o executivo de Sócrates
Isso é um bom prenúncio
Quem nao se lembra de Mario Soares, enquanto Cavaco era PM?

Ricardo, acho que isso são questões colaterais.
O Senhor veio de Boliqueime, teve que subir na vida a pulso. E subiu..............
É só uma questão de educação.
Pior foi quando Guterres disse aquela célebre frase "É so fazer as contas........."
Isso é que é preocupante. Não o facto de Cavaco comer com a boca aberta

Carol disse...

Por várias razões. Cavaco teve:

- a oportunidade de poder concretizar qualquer política, sem receio ou a necessidade do apoio da oposição;

- os meios mais do que suficientes para o fazer (nunca Portugal recebeu tanto dinheiro da CE como durante os seus mandatos);

- um excelente Ministro das Finanças (Cadilhe) e da Saúde (Beleza), que tudo fizeram contra os lobbies fortissimos do nosso país...

Need I say more?...

Francisco Castelo Branco disse...

Essa dos Lobbies é importante.
Até porque brevemente vou lançar a discussão aqui.....

Teve tyudo nas mãos e não aproveitou...........

Só que agora com PR é diferente

Share Button