segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Do provavel Millenium BPI à ameaça Russa no Kosovo

Esta foi uma semana bastante especial............. Uma semana recheada de acontecimentos importantes e que podem vir a influenciar o futuro do país e do Mundo. No que toca ao nosso cantinho, deu-se um passo para que haja uma reviravolta na banca portuguesa. O BPI decidiu propor uma fusão ao BCP. Será que vamos ter um Millenium BPI? Se sim como será o futuro da banca? Quem irá dirigir a nova entidade? Ulrich? Felipe Pinhal? Quem ganha com esta provavel fusão? Os espanhois do Santander? outros? São questões que importa analisar! Esta semana voltou a falar-se de Pedro Santana Lopes e Menezes. O PSD ao que parece, está de volta. Segundo uma sondagem, apenas dois pontos percentuais separam os dois partidos caso as eleições fossem hoje! É a primeira vitória de Luis Filipe Menezes. Será que estamos a assistir ao ressurgimento do PSD? Ainda é cedo, mas parece que Sócrates vai ter um trabalho duro pela frente. Ainda por cima tendo que combater Lopes e Menezes. No Mundo, o acontecimento de relevo foi a cimeira UE-Russia, com a presença de Putin no nosso país. Ficou marcado pelas criticas aos EUA! E a questão do Kosovo mantêm-se. Nada de novo. A UE apoia a independência e a Russia conjuntamente com a Sérvio não. Vai ser um problema bicudo. Será que estamos perante um novo conflito armado? a ver vamos....... Mantêm-se o conflito diplomático entre a Turquia e o Iraque. Se existir um conflito armado, deitam-se anos abaixo de tentativa dos EUA em estabelecer uma democracia naquele país. E é mais um problema que os Norte-Americanos têm que resolver. No desporto assistimos a uma vitória do Benfica sobre o Celtic, derrota (normal) do Sporting e empate do FC Porto na Liga dos Campeões. Situação complicada para os leoes, as águias ainda têm uma réstia de esperança e os dragões estão praticamente apurados. Palavra para o Braga que conseguiu um precioso ponto em Inglaterra. Na liga, mantiveram-se os mesmos resultados da jornada europeia!

Belas Mentiras

Belas Mentiras - Lisa Unger Em Belas Mentiras encontramos um enredo cheio de mistério e acção. Lisa Unger leva-nos a viajar a um thriller emocionante. Nesta história encontramos uma personagem que com o passar do tempo vai descobrindo que a sua vida é uma verdadeira mentira. Desde o seu nome até aos próprios pais. A personagem principal enfrenta praticamente sozinha todos os obstaculos para chegar á verdade! Nem com o seu namorado pode contar.Ele próprio faz parte das mentiras. Esta acção desenrola-se em Nova Iorque e tem como personagem principal Ridley. Esta história aborda a problemática do rapto de crianças e depois da consequente adopção por pessoas que não podem ter filhos. Um tema tão em voga a propósito do caso Madeleine Mccan

domingo, 28 de outubro de 2007

Andar em Direito

Após 5 anos de ter decidido seguir Direito, confesso que olho para trás e me sinto satisfeito e orgulhoso. Satisfeito pelo curso ter correspondido ás minhas expectativas. Sabia que ia ser dificil ( quantas horas passei em frente aos livros), mas também que era aquilo que queria fazer. Não é fácil escolher um curso. Pelo menos, para mim não o foi. Tive indeciso entre Direito e Comunicação Social. Sabia que se seguisse Jornalismo ia ter uma vida muito mais calma e bastante mais divertida e mais sociável. Depois pensei que não ia ter nenhuma dificuldade e eu sou pessoa que não gosta de facilitismos. Gosto de ir pelo caminho mais dificil. Por aquele que dá mais trabalho, pois quando conseguimos aquilo que por tanto lutámos, a vitória é mais saborosa. Daí não ter escolhido Comunicação Social. Penso que não ia ter grande futuro e não passava de dar noticias, apresentar telejornais ou comentar jogos de futebol. Além disso o que se aprende em CS não é tão vasto como em Direito. Por todas estas razões afastei Jornalismo. Ainda pensei em Relações Internacionais e Ciencia Politica. Mas são cursos que não dão o tal "incentivo". Aquela vontade de mostrar que se sabe mais ou que tudo o que se aprende é "fácil de apreender". Não quero com isto tirar o mérito aos cursos. Pensei então em algo que me desse mais motivação de trabalhar e de conquistar alguma coisa de gratificante. Algo que me desse satisfação. Por tudo isto escolhi Direito. Ao principio pensei que ia ser facil, devido ao facto de ter apenas 4 cadeiras anuais. Não estava bem a par do que era o Direito nem da sua importância na nossa sociedade. Fui-me apercebendo disso ao longo do curso. O meu primeiro ano foi todo corrido a 10. Tem explicação! Era o ano do Euro2004 e andava com a cabeça na "bola" Na vespera de dois exames fui festejar vitórias da sellecção. Confesso que podia ter dado mais! Sendo as cadeiras muito faceis achei que conseguia ter melhores notas. Não aconteceu. Apenas chumbei a uma cadeira, Direito Constitucional. Esse papão do primeiro ano , mas que hoje em dia é básico. Foi a primeira vez que chumbei a alguma coisa. Nunca tinha acontecido. Não conseguia acreditar que no ano seguinte tinha que repetir a cadeira e ouvir tudo outra vez. Assim foi e no ano a seguir tirei um 12! Valeu a pena, disse para mim. O meu segundo ano foi muito bom. Tirei três 13 e só chumbei a Fiscal(essa cadeira maldita). Só passei á terceira vez a Fiscal. O terceiro ano foi o ano mais complicado, pois tinha quatro cadeirões: Comercial, Trabalho,Obrigações e Processo Civil(ainda n fiz, tal como Comercial). Só fiz duas cadeiras mas tive 13 a Trabalho. O ano passado foi a mudança para o Processo de Bolonha em que tive 16 cadeiras. Mesmo assim consegui tirar um 14, um 15 e alguns 13. Apesar de tudo nem foi mau. Tudo isto para dizer que o curso de Direito me abriu os horizontes. Em termos sociais e profissionais. Através deste curso consegui ter uma abrangência dos problemas da sociedade. Fiquei com a noção de que nem tudo o que está na lei é para ser aplicado (muitas coisas estão mal feitas) e que existe sempre a possibilidade de contrariá-la. E que se pode interpretar a lei de forma restritiva ou extensiva. Foi muito gratificante o trabalho desenvolvido ao longo destes 5 anos. Aprendi muitas coisas novas e percebi que nem tudo é rectilinio no mundo da advocacia e da magistratura. Foi por isso que escolhi este curso para poder contrariar a lei. Apresentar soluções diferentes daquelas que estão estipuladas. Sinto-me orgulhoso pelo esforço que fiz e sobretudo pelos resultados. Acho que dei o máximo (nem sempre, mas na maior parte das vezes sim!) Em 5 anos consegui fazer as cadeiras quase todas elas em Exames Orais. Penso que já fiz 22 (se não falho, mas é por volta deste numero). E ainda faltam 13 cadeiras para acabar o curso. Acho que ganhei muito com a ida ás orais. O que para mim era um "papao", deixou de o ser e encaro estas provas com a maior das tranquilidades. Para mim ir a uma oral, já é habito. Apesar de não ir preparado, já não me assusto. Penso que foi uma vitória importante para mim. Encarar as Orais com estimulo e vontade de mostrar ao Juri que sabia a matéria que estava tranquilo do que encará-las com medo e receio de fracassar perante dois "Drs". Para mim, mais importante que tirar um 13 na prova escrita era "fazer" uma boa oral. Penso que é o ponto mais positivo que retiro deste curso. A experiência e a tranquilidade com que encaro uma prova Oral. A outra lição é o estudo que tive de fazer. Quantas horas e directas, mais as longas jornadas de estudo durante o mês de Junho e Julho tive de fazer para conseguir tirar boas notas. E olhem que não foi nada facil. Sobretudo no primeiro Verão "a estudar". Eu que estava habituado a ter férias de Maio a Setembro e a ir todos os dias para a praia e noite, tive que fazer um "corte substancial" . Não foi nada facil!!! Mas quando se obtém resultados e o nosso esforço é reconhecido não há praia ou discoteca que valha! Acreditem nisto. Tudo isto valeu a pena. E certamente que valerá a pena no futuro. O trabalho de hoje será compensado amanha é não há nada que se consiga sem trabalho e dedicação. Foi o que eu deixei no curso de Direito durante 5 anos. Consciente que mais tarde tudo o que fiz agora terá no futuro os seus devidos frutos.............

A (in)Tranquilidade de Bento

Pois é! Lá se vai o estado de graça do mister Bento. Depois de quase dois anos á frente do comando da equipa do Sporting, o "tranquilidade" parece estar a viver momentos de alguma instabilidade. Paulo Bento sempre foi visto pelos sportinguistas como alguém caído do céu que iria resolver os problemas leoninos. A continuidade do sistema de Fernando Santos surtiu efeitos durante uma temporada. Parece que esta época as coisas são bem diferentes. É natural! Não há ninguém com qualidade que substitua Miguel Veloso no vértice mais recuado do Losango. Como se tem visto desde a vitória com o Dinamo Kiev, falta ao Meio-campo do Sporting alguém que "puxe" a equipa para o ataque. Nao tendo Miguel Veloso para fazer esse papel, a qualidade de jogo dos leões cai muito. Nem tendo Paredes e Farnerud, o técnico leonino prefere apostar em Joao Moutinho???? Como é possivel. Para os lados de Alvalade ha quem desperdiçe talentos.......... E sendo Gladstone um central de raiz , porque não aposta Bento nele em detrimento de M.Veloso? Estes ultimos jogos do Sporting foram bem penosos. A chama de inicio de época parece estar a esfumar-se.......(mais uma vez os lagartos falam demais....) Será que Bento tem que jogar sempre no Losango? É que o sistema do losango deixa muito a desejar (viu-se no Benfica de Santos). Não tem equilibrio nas alas. É muito permeavel no toca aos flancos e não equilibra muito bem a equipa. Será que Bento vai continuar a apostar forte neste sistema ou começa a acordar e tenta utilizar uma táctica que permita ao Sporting flanquear mais o jogo e não jogar tanto pelo meio?

A grandeza da noite Lisboeta.........................

Confesso que na semana passada quando estava no Bairro Alto pensei e fiz uma comparação com as noites de outros sitios em que já passei. Reflecti e cheguei á conclusão de que a noite de Lisboa é das melhores da Europa, embora falte qualquer coisa. Não sei bem o quê, mas falta. Acho a noite de Londres e Bruxelas deprimente. A da City não tem nada de especial.Ainda por cima fecha tudo ás 3h da manha. Só comparável á de Lisboa é a noite do Sul de Espanha. Isso sim, é uma verdadeira castiçada e altas bebedeiras. Quanto á de Lisboa, é sempre agradavel ir beber um copo ao bairro alto todos os fins-de-semana. Gosto muito da Tasca do Chico, do Palpita.me, do Soft e dos Labios de Vinho. Só para citar os que mais frequento. Depois disto tudo, um saltinho ao Lux é sempre bem vindo. Depois há também os bares em Santos que estão cheio de histórias para contar. Já para não falar do Kubbo no Verão que foi uma verdadeiro sensação! Á quinta-feira é mesmo noite de Musicais! Que saudades tenho eu dessas noites.................( e da companhia ainda mais!). Eram noites a valer. Com boa musica, um bom clima e lá está um belo copo. As noites de fado também vão ficar na memória. Há sitios que não vão ser esquecidos tão rapidamente! É um retrato da noite lisboeta. Aquela que eu mais aprecio. Posso-vos falar de outras aventuras como em Moledo, Castelo de Vide,Huelva e também Cascais Mas nada é comparável á noite de Lisboa......... Como dizia Carlos do Carmo "Lisboa Cidade Mulher da Minha vida.........."

Arte, Emoção, Cultura e Tradição

Escrevo esta mensagem já com a votação a decorrer. Falo-vos da questão das touradas em Portugal Confesso que sou um aficionado. E ainda mais fiquei este ano quando andei pela Andaluzia a visionar touradas espanholas. Aquelas em que se mata o touro á frente do publico. Digo-vos que não fiquei emocionado. Antes pelo contrário. Foi a primeira vez que vi um touro morrer á minha frente. Achei tudo natural. É melhor assim do que verificar que o touro em praça está a sofrer e que só o matam horas depois. Isso sim é bem pior. Em Espanha, acaba-se na arena com o sofrimento. Para mim as corridas de toiros sempre foram uma Arte. A arte de bem tourear (a cavalo ou a pé) é para mim uma das mais belas do mundo. Então o toureio a pé fascina-me. É como se fosse um bailado(não é que goste de bailados). Há quem continue a querer acabar com as touradas em Portugal. (falemos apenas do nosso país). Aqueles que apregoam o fim da festa brava, têm apenas o argumento de que as pessoas divertem-se á custa de um animal. Animal esse que é criado para este fim e que vai ser digerido por todos nós em nossa casa, nas nossas mesas. Penso neste assunto e acho que o meu argumento também não é convincente. Não percebo muito da questão, e entendo que esta razão não é das melhores que um defensor pode ter. Faço mea culpa mas é o unico que posso argumentar. O outro é a minha paixão por esta tradição tao nobre. Desde miudo que sou um aficionado. Guardo religiosamente os bilhetes das corridas e os Cartazes. Gostava um dia de ser cavaleiro tauromaquico, mas eu ando a estudar para ser advogado e penso que esse sonho não se vai concretizar..............é pena!!! As touradas fazem parte da nossa cultura. Da portuguesa. Desde sempre que houve corrida de toiros. Porque acabar agora? Porque um bando de defensores dos animais acha que é pouco digno para o toiro? Então e o cavalo? Ninguém pensa nele? Será que ao montar a cavalo não estaremos a magoa-lo para puro divertimento? Não á mais belo espectaculo que uma tourada. A festa em si, as cortesias, os forcados, a cerimónia, os cavalos, os ferros espectados, a forma como os toureiros a pé dominam o touro cara a cara! Tudo é bonito, tudo é ibérico. Ainda bem que Portugal e Espanha têm esta tradição. E de maneira diferente. Em Portugal domina o toureio a cavalo em Espanha a pé! É magnifica a forma como Enrique Ponce e Sebastien Castella encaram o touro. São do melhor. Fiquei bastante impressionado. A razão deste texto não é tanto fazer um contraponto entre quem defende e é contra as touradas. É mais expressar o meu sentimento em relação a esta arte tão bela! Tudo o que está á volta dela é Emoção

Ser campeão é...........................

Ser campeão é lutar até ao fim por aquilo que queremos Ser campeão é acreditar que é possivel conquistarmos os nossos sonhos Ser campeão é ser Benfiquista Ser campeão é acordar todos os dias e termos o desejo de vitória Ser campeão é andar na rua de cabeça erguida Ser campeão é olhar de cima para baixo Ser campeão é mostrar que somos capazes Ser campeão é tentar até ao fim mesmo quando não conseguimos os nossos objectivos Ser campeão é................................................... (estão livres de acrescentar mais frases)

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

O afastamento dos barrosistas...............

Esta semana, voltou a falar-se do PSD. E não por qualquer razão positiva. Apesar de Menezes estar a conseguir que o PSD seja falado, não é essa a razão deste texto. Três importantes nomes ligados ao barrosismo e eleitos deputados por Santana Lopes aquando das eleições legislativas de 2005 foram afastados da liderança de três importantes comissões. A saber: Miguel Relvas, Matos Correia e José Luis Arnaut. Foram três afastamentos enigmáticos e estranhos. A questão que se coloca é saber quem é que teve responsabilidade nos afastamentos. Se Santana Lopes(o lider dentro do PPD) ou Luis Filipe Menezes(o lider do PSD). O mais enigmático é saber o que esteve por detrás destes actos. Será como dizem alguns analistas que é pelo facto de Durão Barroso estar a preparar uma eventual candidatura a Belem? E assim reduz o seu espaço de manobra no Parlamento, não tendo ninguém na primeira linha que defenda as suas ideas? Não se sabe. Será que PSL quererá ter o Parlamento todo para si? Isto é, ter o palco só para si? Não se sabe, o que é verdade é que Lopes já começou a trabalhar no Parlamento e ainda nem sequer falou......................... Já começa a marcar posição afastando três pessoas que lhe podem fazer frente. E estranho é ter Miguel Relvas sido seu Secretário-Geral quando Lopes era (embora tivesse sido curto) Presidente do PSD. A política é mesmo estranha....................................... Em minha opinião, e já o disse; Lopes está a marcar terreno para voltar a ser Presidente do partido. Talvez queira agora (e pela primeira vez) ser eleito através de eleições. Quererá provar que ainda faz falta ao país? Talvez. Mas uma coisa é certa. O país não preciso dele para nada. Quanto mais o Parlamento........................................

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Quando o Quarto Poder se transforma no Primeiro

O poder que a comunicação Social tem na nossa Sociedade pode ser considerado como uma preocupação ou uma vantagem? Várias questões se colocam a esta pergunta.... Em termos de transmitir Informação, a Comunicação Social tem hoje um papel preponderante na nossa sociedade. É através dela que sabemos o que se passa no país e no mundo. Ao ritmo que as coisas acontecem, é importante haver meios de comunicação que possam assegurar a cobertura desses acontecimentos. Nesta Sociedade da Informação, existem noticias relevantes em Singapura,Malásia,EUA, Portugal. E ao mesmo tempo. Num mundo cada vez mais globalizado há cada vez mais informação. Daí o papel relevante que a Comunicação Social tem. É ela que divulga e nos passa a mensagem. É enorme a quantidade de notícias que no dia-a-dia chegam até nós. Por exemplo, no 11 de Setembro de 2001 foi visivel o poder dos Media. Só através deles é que podemos saber o que se passa á volta do mundo. O mesmo acontecimento pode ser visto em qualquer canto do mundo mas analisado de maneira diferente. Foi o que aconteceu no dia 11 Set. Recebido com mágoa e tristeza no Ocidente e com alegria no Oriente. Maneiras diferentes de ver o mesmo acontecimento........................... É de notar o impacto que a Comunicação Social tem nas nossas vidas. Parece que andamos á volta dela e á sua velocidade. É uma espécie de ponteiro do relógio em que cada minuto que passa surge uma nova noticia,um novo acontecimento, um novo interessa, uma nova opinião! É tudo muito rápido. Também é interessante a forma como os Media transmitem a notícia. Tudo é preparado ao milimetro. Desde o momento em que deve ser dado a notícia até ao seu background. Tudo tem que ser minuciosamente preparado para que tenha o impacto necessário a produzir os efeitos desejados. É a Comunicação Social que faz cair lideres politicos(em Portugal ja fez cair um PM.), pode arruinar com a vida de uma pessoa (Robert Murat); entre outras coisas. Daí que se diga que a Comunicação Social é o Primeiro Poder. Não é por acaso que alguns lideres politicos querem controlar os Media para poderem assim gerir a sua imagem e conseguirem ganhar votos. Éra o que se fazia no tempo das ditaduras. Não é por acaso que nos tempos que correm , quando há eleiçoes é muito importante ir á televisão e ganhar um debate. Certas vezes é aí que está a chave para a vitória. Por tudo isto se diz que a Comunicação Social é o Primeiro Poder. Não é nenhum Presidente, Primeiro-Ministro ou Tribunal. São mesmo os Media................. Quem controla a Informação, controla o poder..............

A vitória de Cardozo

Ontem á noite no Estádio da Luz fiquei impressionado com a actuação de Óscar Cardozo. Fiquei bastante contente por ter marcado um golo. Mas o que mais gostei foi a sua capacidade de luta e entrega. Cardozo chegou ao Benfica rotulado de goleador e por uma quantia de 9Milhoes de euros(cerca de 2milhoes de contos). Marcou, penso eu, cerca de 15 golos no campeonato da Argentina. Em Portugal, apenas marcou tres golos. Dois contra o Nacional e ontem pelo Celtic. Desde o jogo com o Nacional(na 3ªjornada) que Cardozo não marcava qualquer golo e vinha atravessando um período de instabilidade. Talvez por não ter tido férias devido á sua participação na Copa América. Era nitida a sua falta de confiança. A qualidade está lá. Há poucos jogadores que têm um pé esquerdo como aquele. E de cabeça também é dos melhores. Ontem contra o Celtic, o paraguaio teve 5 oportunidades de golo! Só á sexta conseguiu facturar!!! Mandou duas bolas ao poste e trave. É a sexta fez o golo. Teve o mérito de não desistir. Lutou sempre até ao fim! Tentou,tentou e conseguiu....................mesmo com bolas no poste,trave, defesas impossiveis o paraguai não se resignou e foi até ao fim. O teve o prémio merecido. Um golo e os respectivos três pontos. Ontem quando estava a ver jogo comparei esta situação a outras, em que se deve lutar até ao fim por aquilo que queremos. Não devemos desistir dos nossos sonhos, temos que lutar por eles. A luta implica dedicação, confrontamento, empenho e sacrificio! Nada se consegue sem isto. Para que qualquer "guerra" pessoal seja ganha é necessário auto-confiança! É preciso antes de mais acreditarmos e gostarmos de nós. Primeiro gostamos de nós e depois dos outros. É assim que vejo as coisas. A confiança em nós próprios é o primeiro passo para o sucesso. Seja pessoal ou profissional! Foi isso que Cardozo demonstrou ontem. Apesar de até ontem as coisas não estarem a correr-lhe bem, nunca desistiu e acreditou sempre no seu valor! É o mais importante. Para ele o golo de ontem foi uma vitória......................

Imprensa do Século XXI

Qual a verdadeira imprensa do Século XXI? Será que continuamos agarrado ao Jornal ou evoluimos tanto que só nos interessam os blogues e as edições on-line? No seguimento do artigo anterior, nota-se um crescendo do Quarto Poder.Daí que se diga que a Imprensa é o Primeiro Poder e não o quarto. Eu por mim continuo a gostar mais do papel. É mais prático e muito mais interessante. Uma pessoa "mergulha" mais na notícia do que se estivermos perante uma edição on line. É há aquela relação leitor-Jornal que não existe na net. Ao comprar um Jornal, uma pessoa tem o prazer de folhear. De "entrar" no Jornal. Pode o Leitor "viver" a própria notícia. E pode escolher as noticias que deseja ler ou não. Por exemplo, nos telejornais isso não acontece. Temos que levar com o cão da vizinha que morreu num alguidar. Em Portugal existe uma variedade de jornais. Até começa a haver os jornais gratuitos,essa nova moda que pegou. Desde Semanários, Diários,Desportivos, Tabloides,Newsmagazine e revistas cor-de-rosa, o nosso mercado de Jornais é bastante alargado. E ainda bem! É de notar também que há bastante concorrência entre estes vários sectores. Eu por mim consumo o SOL, O Diário de Noticias, O Record e a Sábado. Penso que são pasquins de bastante qualidade e que traduzema aquilo a que se chama um jornalismo sério e rigoroso. Na minha opinião falta uma Revista do tipo Atlantico ou Nova Cidadania. São revistas de qualidade intocável e que representam aquilo que a que se chama o jornalismo de "opinião". É pena estas revistas não serem semanais ou mesmo diárias. Apesar de existir bastante mercado em termos de jornais, penso que deveria haver mais! Falta um diário de primeirissima qualidade. A comparação dos jornais escritos para as edições on line e os blogs tem que ser feita. Hoje em dia, qualquer pessoa vai ao site de um qualquer jornal, lê o titulo e fecha a notícia. Não vai ao conteudo! É o problema das edições on-line. Que têm uma vantagem que é o facto de terem noticias em cima da hora....... Penso que cada meio de informação tem o seu papel. Televisão, Jornais, Internet e até mesmo os blogs. Apesar de terem um conteudo opinativo, não deixam de transmitir noticias e de dar muita informação. E esta a Era da Informação em que vivemos! Só quem não quer é que não está informado. O que não falta é meios de poder obter uma notíca.. Se é assim hoje, como será amanha?

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Lisbon Lions á solta na Capital

Hoje passei uma bela tarde em Lisboa. Uma tarde com picos de sol e algumas nuvens. É um dia especial. O Benfica defronta o Celtic de Glasgow para a Liga dos Campeõ0es, pela segunda vez consecutiva. Estava eu a passar pela praça da figueira(como eu gostava de viver no Chiado); quando de repente, reparo numa moldura humana toda vestida de verde e branco(n, nao era do Sporting,nao tem capacidade para juntar tantas pessoas). Adeptos escoceces, de cerveja na mão.........com o seu botellon escocês. Conversam tranquilamente enquanto bebem litros de cerveja( é puro prazer meus amigos!aprendam a beber com eles). Com a sua gaita de foles, dando música á sua alegria. É impressionante o estado de espírito deste povo. Quem me dera ser assim............... super tranquilos, não aparentando terem qualquer problemas, gozando a vida como deve ser. É enorme a sua simpatia. Estava eu almoçando (acompanhado, lá está) na Pastelaria Suiça e a minha frente estão quatro escoceces. Todos equipados (mais uma caracteristica), bebem muito, contam muitas histórias e o mais importante é que riem,riem,riem,riem,riem,riem...............que boa disposição!!! Terminado o almoço decido acompanhar a malta escoceca numa cerveja. Dirijo-me para o centro da praça da Figueira e ponho-me a falar. Minutos depois estou á conversa com um grupo de escoceces........................ É admirável a sua simpatia. Dou-me a conhecer (eu e não só) e quando dou por mim já passou hora de meia de conversa. Fico a conhecê-los e chego á conclusão que depois da Escócia, o país que mais gostam ( e eles acompanham a equipa para todo o lado) é Portugal. Penso mesmo que os britânicos são o povo que mais gostam de Portugal e dos portugueses. Um deles aborda o tema Maddie e diz-me que está a apreciar bastante o trabalho da policia portuguesa. Findo a conversa, subo a Avenida da Liberdade (sempre a pé) até ao Saldanha. No caminho deparo-me com muitos adeptos do Celtic. Sempre equipados com as cores da equipa. Não têm vergonha de andar vestidos assim no meio da rua. É mais uma prova do seu amor ao clube. Dizia eu que durante a caminhada até ao Saldanha, decido parar numa pastelaria ali perto do Marquês. Qual não é o meu espanto quando me vejo rodeado de escoceces. Mais uma vez. Estão por todo o lado. Sempre com a cerveja na mão e o sorriso estampado no rosto. Já na Fontes Pereira de Melo reparo que várias pastelarias estão apinhadas de adeptos do Celtic. De repento oiço um barulho. Deve haver musica para estes lados. Uma festa? Um comicio de ultima hora? Não...............é um rádio que passa o hino do clube. Com os seus adeptos todos a cantar. Como sempre, bem dispostos e divertidos. É impressionante. Parece que fomos invadidos......................E num dia tão triste como o de hoje, pelo tempo........só mesmo os adeptos escoceces para animar a cidade. Foi um dia muito bem passado. Diverti-me bastante e arrisco-me a dizer que foi um dos dias mais bem passados. Deveriam ser sempre assim, sem preocupações, problemas em que pensar, situações para resolver. Gostava de ser escocês só por isso. Estar o dia todo a sorrir e sempre bem disposto não é tarefa fácil. Eu procuro-o fazer sempre, embora ás vezes não o consiga..........vá-se lá saber porquê! Mesmo dentro do estádio e após a derrota, a mesma alegria de sempre! Fica aqui a nota sobre um dia em que percebi que os problemas ou preocupações que temos devem ser sempre levadas com um sorriso................. Espero que para o ano o Benfica volte a jogar com o Celtic para a Liga dos Campeões! Por mim jogavam todos os anos. E que tal incluir o Celtica na Liga Portuguesa? Não é por serem uma equipa acessivel e por perderem sempre com o Benfica, é porque de facto esta cidade precisa de pessoas como eles! Alegres e divertidos

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Rugby Vs Futebol: Modernidade e atraso

Terrminado o Mundial de Rugby 2007 em França com a vitória da Africa do Sul, é tempo de fazer algumas reflexões e comparações entre as duas modalidades. Desde logo no que toca á arbitragem. Hoje em dia os árbitros do Rugby têm muito mais condições para não cometerem erros. Possuem um sistema de Videoárbitro que lhes permite corrigir algumas situações mais duvidosas. Nomeadamente nos ensaios e em casos de agressão. É de realçar a evolução do Rugby neste aspecto. Significa uma vontade em querer aperfeiçoar ao máximo a modalidade. Para que não se cometam injustiças nem haja resultados mentirosos. Acima de tudo o que se pretende é que exista verdade desportiva. De realçar o facto de cada vez que acaba um Mundial, os principais agentes da modalidade reúnam-se e discutam as regras do jogo. É actualizar as normas ao momento. O Rugby sabe adaptar-se á realidade actual. É um desporto moderno que está sempre em mutação. Ao contrário, o Futebol continua com a sua mentalidade atrasada. As regras são as mesmas desde o seu nascimento. Nada mudou (quase nada). Ninguém quer que quando a bola entra na baliza deixe de ser golo ou que ganhe equipa que tem mais posse de bola...................... As regras deveriam ser adaptadas á modernidade. Por exemplo, o lançamento de linha lateral deveria ser efectuado com o pé, podiam dar essa possibilidade ao jogador. Assim era possivel haver golos desde um pontapé de linha lateral. Não directo, mas com algum ressalto. Era interessante. Os livres deveriam ser efectuados sem barreira. Neste caso, seria um taco-a-taco entre o marcador e o Guarda Redes. Como num penalty, mas de mais longe. Como num Rugby, era uma espécie de pontapé aos postes. Os penaltys deveriam ser marcados da linha de meia lua, para serem mais dificeis de conversão. Cada vez que se sancionasse uma falta grave e que não fosse sancionada com cartão, deveria haver a possibilidade de atirar á baliza num certo terreno de jogo. Daí a necessidade de existir mais um cartão.............o cartão azul. São questões que os senhores da FIFA,não analisam. Como não se questionam sobre a introdução de tecnologias para avaliar situações de duvida. Pelo menos nos Campeonatos do Mundo, da Europa e nas principais ligas mundiais. Nao tinha que haver cameras nos estádios de futebol por esse mundo fora. Pelo menos, a FIFA podia abrir a possibilidade a quem quisesse, de aderir ás novas tecnologias no futebol. Por exemplo nas situações de penalty, de dúvida de golo e de agressão, tal como no Rugby. Neste aspecto, o futebol ainda está atrasado em relação ao Rugby e veremos se este não "tira" adeptos ao futebol. Ainda sobre o Mundial de Rugby, gostei de ver a Nova Zelandia, "os Lobos", A campeã Africa do Sul e naturalmente as selecções do Tonga e Fiji. Foi um mundial cheio de emoção. É de realçar a forma como os jogadores se comportam em campo. Em contraste com o futebol onde só há "pancada". O espirito que uma equipa de rugby tem é notavel. É uma questão de atitude, entrega e vontade de vencer. É assim que se faz no Rugby, é assim que deve ser na vida......................

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Finalmente KIMI!!!!

Kimi Raikkonen sagrou-se ontem campeão Mundial de Formula 1. Após alguns "perdido" na Mclaren e tapado por Mika Hakkinen e Schumacher, o finlandes conseguiu o seu primeiro triunfo no "grande circo". Foi uma vitória da coragem, persistência, vontade e do acreditar. A Ferrari e os seus dois pilotos adoptaram uma postura de humildade. É uma caracteristica da Scuderia. Já com Michael Schumacher foi assim. Apesar de ter sido 7 vezes campeão do Mundo, Michael nunca deixou de ser humilde. Mas com a garra toda. A vontade de vencer era tanta que nunca deixava de querer ser sempre melhor e detectar erros que permitissem ser cada vez mais e melhor. É assim que se fazem os grandes campeões. Do trabalho e da vontade de vencer. Lembro-me de Senna e Mansell(ainda quando havia GP´s no Estoril,.....que saudades); eram verdadeiros campeões. Lutavam até ao ultimo. Nunca deixavam de mostrar a sua vontade em triunfar mas ao mesmo tempo conseguiam demonstrar humildade naquilo que faziam. Não me esqueço que quando foram campeões do Mundo, nunca exageravam nos seus festejos. Tal como Kimi. Soube manter a postura e festejar para si. Não ha nenhum mal em se exaltar na hora da vitória. Mas o contrário, demonstra bem o quão dificil foi conquistar a vitória. Existe dentro da pessoa uma paz de espírito e um sentido de dever cumprido que faz com que nós não nos exaltemos. Costumo ser assim, quando consigo algo de importante para mim. Mas a vitória de Raikkonen foi especial porque foi conquistada na ultima prova e estando em terceiro lugar á partida para o GP do Brasil. Os dois favoritos Hamilton e Alonso, ambos da Mclaren; eram os que tinham mais hipoteses á partida. Principalmente o Ingles que fez uma época fantástica para quem se estreou na competição. O problema dos pilotos da Mclaren foi o facto de terem andado a época toda a anularem-se. Em vez de se apoiarem e juntarem esforços para conquistar o mundial de pilotos e o de construtores, cada um pensou apenas em si e não na equipa. É obvio que nas corridas, cada um guia por si. As questões de rivalidade que foram publicas durante a época foram fragilizando a equipa. E isso notou-se nos GP´s. Ninguém sabia para que lado havia de puxar. Quem aproveitou esse facto foi a Ferrari e lá está Kimi Raikkonen. Uma palavra para Felipe Massa. Uma vez afastado da luta pelo titulo, o seu principal objectivo foi ajudar Kimi. Isso notou-se no ultimo GP na partida. Isso não aconteceu na Mclaren,porque os seus dois pilotos andaram sempre na frente do campeonato e preocupados apenas consigo mesmo. Foi justa a vitória da Ferrari. A Scuderia do Cavalinho está de volta. E ainda bem. Depois de dois anos de liderança Alonso parece que a normalidade voltou á F1. Parabéns a Jean Todt. Uma palavra para a BMW e os seus dois pilotos. Kubica(que esteve no fio da navalha) e Heidfeld foram grandiosos. Tiveram uma época excelente. Ambos os pilotos acabaram quase sempre os GP´S nos pontos. É de esperar uma evolução desta equipa. E ainda bem para a F1..... Já chega de Alonsos.............................

UE: Debate europeu em Portugal Parte II

Após os 27 Estados-membros terem conseguido chegado a acordo quanto ao texto do novo Tratado de Lisboa, surge a questão de saber se deverá ser ratificado por via parlamentar ou deve ser referendado. Em minha opinião, o tratado deve ser referendado. É necessário em Portugal um debate urgente sobre a Europa. Com a entrada para as Comunidades Europeias em 1986, Portugal passou a dispor de várias benesses. A necessidade de fazer um debate sério sobre a Europa advém de dois factores. O primeiro é o facto de aquando das reformas de Amesterdão, Maastricht e Nice não ter havido um aprofundamento sobre o que é a Europa e as suas vantagens (e desvantagens) da adesão ás Comunidades Europeias e aos novos tratados. Na minha opinião os portugueses sabem pouco sobre a Europa. Desconhecem o funcionamento das instituições comunitárias, a sua importância e o papel que têm na organização democrática portuguesa. Será que a maioria dos portugueses sabe que as directivas vinculam o Estado português ás decisões tomadas em Bruxelas? desconfio...................... Há esta necessidade de debater a Europa. Penso que é o momento certo. Numa altura em que temos 26 parceiros europeus, temos que saber o que vamos ganhar e perder em relação a eles. É preciso motivar os portugueses para "aderirem" ás questões europeias e aos seus problemas. Pois hoje já não vivemos sozinhos e temos 26 "vizinhos". Os problemas dos portugueses são os problemas dos checos,malteses, estónios e franceses. E em breve, (espero que não) dos turcos. Penso que esta é a altura certa para se fazer um referendo em Portugal sobre a Europa. Sendo chamado o Tratado de Lisboa, como é um texto em que se deram passos importantes em relação a Nice e consolidou o "espírito" europeu e pelo facto de se ter alcançado o acordo durante a Presidência Portuguesa, acho que é a altura ideal para se realizar um debate "a sério" sobre a Europa. Os partidos da AR, o PR e o próprio Primeiro-Ministro devem aproveitar esta oportunidade. Não a devem desperdiçar. Se conseguirem mobilizar a sociedade portuguesa para uma reflexão sobre a Europa, acho que é tempo bastante aproveitado. Em conjunto com as eleições europeias, o Referendo era um bom instrumento para que os portugueses "aderissem" aos problemas europeus. Que são também os problemas de Portugal..............................

domingo, 21 de outubro de 2007

5 anos na Lusíada

Escrevo este post quando vou começar as aulas para o ultimo ano na faculdade. Após 5 anos, tudo mudou e parece que foi ontem que iniciei a minha carreira universitária. Bem me lembro do primeiro ano em que tudo era desconhecido, tudo era novo, tudo diferente daquilo que tinha vivido até então. Para começar nao foi fácil, deixar o convivio diário com o meus amigos\as e com a namorada. Estava habituado a um certo "conforto" e isso mudou. Sabia que tinha de fazer novas amizades, novos conhecimentos e que a Universidade é um mundo à parte do liceu. Nao era uma questão de nao estar preparado, mas verificar que aquelas pessoas com quem eu me dou e em quem confio mais ficaram todas juntas, ou pelo menos no mesmo espaço físico,e eu fui "desviado" para outro sitio. Foi para mim dificil de aceitar isso. Ainda por cima a Lusiada fica quase "fora" de Lisboa e o contacto com outras Universidades é quase zero. Mas penso que consegui superar isso tudo e adaptar me logo de inicio á nova realidade. Passados 5 anos tenho a certeza que fiz a opção correcta pois fiz bastantes amizades ao longo do tempo. Conheci pessoas de quase todo o país e isso veio-me enriquecer ainda mais a minha personalidade, pois fiquei a conhecer localidades como Leiria e Montemor que não fazia a minima ideia de como eram. Apesar da vida social acho k me portei bem a nivel profissional. Saio com a sensação que podia ter rendido mais. Sem duvida que o processo de bolonha abriu uma possibilidade de conseguir elevar a média final d curso. Apesar de nao ter tido grandes notoes, axo que dei o máximo realizando se a memória nao me atraiçoa à volta de 20 orais(e ainda faltam 8 cadeiras). Quanto ao resto, axo k em Junho quando sair espero trazer muitas histórias cá pra fora, para partilhar futuramente com os meus colegas como com aqueles k durante toda a vida foram meus amigos\as. E há-de certeza determinadas pessoas que vão ficar na minha memória como sendo aquelas que eu poderei chamar Amigo\as.Aqueles que me sempre estiveram comigo nos momentos mais complicados vai uma saudação especial.Aquelas que me aturaram durante 5 anos e que se disponibilizaram para ouvir as minhas estupidezes...........lol.Aquelas com que eu me zanguei e por sua vez voltei a falar Ás pessoas que eu nao tinha muito boa impressão mas fiquei surpreendido com a relação que desenvolvi e que hoje é bastante forte....................... Sem querer fazer injustiças quero apenas referenciar nomes de 6 pessoas que vão ficar sempre na minha memória e com quem desenvolvi relações fortes e espero quando sair da Lusiada reforçar ainda mais essa amizade. São eles: A Filipa, O Joao, a Ines, o Diogo, A Andreia e o Miguel. Não digo apelidos porque eles sabem perfeitamente quem são. Obrigado!

Ordem e Lei ....em Portugal!

Tenho acompanhado com interesse uma série Norte-Americana chamada Lei e Ordem. Esta série retrata o dia-a-dia da magistratura americana. Em primeiro lugar, a investigação feita pelos detectives. A descoberta dos culpados. A inquirição ás testemunhas. É uma descrição daquilo que acontece desde o crime até à detenção dos (presumiveis) culpados. Em segundo lugar, mostra o que é o Ministério Publico norte-americano. A acção vai-se desenvolvendo desde o crime até á condenação ou não em tribunal. Devo dizer que é uma série de excelente qualidade. Os actores são fabulosos e cada um está muito identificado com o seu papel. Ficam muito bem na sua representação. Até parece que são verdadeiros advogados e policias. A acção mostra-nos muito bem o que é o ministério publico norte-americano. Está muito bem conseguido. Desde os acordos feitos com os advogados dos réus, até as condenações e absolvições. A maneira como encaram o papel que lhes são atribuidos faz dos "intervenientes" verdadeiros advogados e policias. Seguindo a série com atenção, dá para notar que existem algumas diferenças com o sistema em Portugal. É óbvio que se trata de um filme. Mas os filmes certas vezes retratam a realidade. O facto de se passar tudo tão rápido e honesto, dos processos serem resolvidos atempadamente, dos julgamentos serem rápidos e muitas vezes justos. A maneira profissional como advogam ou julgam leva-me a pensar que o sistema norte-americano está muito mais desenvolvido que o nosso. Com as entradas em vigor dos novos códigos; penal e processo penal, é de esperar que a justiça em Portugal começe rapidamente a funcionar e bem! Mais o código processo penal do que o penal, pois as questões processuais são muito importantes no nosso sistema juridico. É através delas que sabemos qual o tribunal competente para julgar o caso, se o réu é acusado ou absolvido; pronunciado ou não, condenado ou absolvido. Penso que a questão da prisão preventiva era um problema grave no nosso sistema juridico penal. Tal como o das escutas. Conseguiu-se resolver "em parte" o problema. Mas não todos. Os tribunais continuam sem condições. Alguns deles. Muitos processos se arrastam há anos. Por exemplo o da Casa Pia e Apito Dourado. É para perguntar porquê? Como é possivel um caso que rebentou ha 4 anos, ainda esteja por resolver. Ainda estão na fase de inquirição das testemunhas....................... não deveria haver um limite de testemunhas? Penso que ajudaria um bocado. Outro problema que aponto no nosso sistema penal, mais concretamente no processo é a condição de arguido. Hoje em dia qualquer pessoa pode ser arguido. Basta que se faça uma queixa sobre alguém. Aí é logo arguido. E depois aplica-se uma medida de coacção(é obrigatório). Quando alguém é considerado arguido , a "vox populi" vem logo acusá-lo...........vejam o caso Murat. É necessário encontrar uma solução para este caso. Na minha opinião a condição de arguido só deveria aplicar-se depois de uma investigação profunda sobre o caso. E quando houvesse não indicios suficientes(como diz o CPP); mas certezas...............é que deveria aplicar-se tal medida de coacção. A questão da publicação dos processos tem que ser controlada. Não é admissivel qualquer pessoa possa ter acesso a um processo judicial. Ha que salvaguardar o bom nome do arguido, a sua reputação e em primeiro lugar está a segurança do arguido. Também é humano. Não o deixa de ser só porque matou ou violou. O principio da protecção do arguido deveria ser Constitucional até. Mas não. A nossa CRP 76 e o CPP só se preocupa em proteger aqueles que são sempre protegidos: as vítimas. Tem que haver um equilibrio. Justiça para todos. Não só para as vítimas mas tambem para os arguidos. Há muito a fazer no Direito Penal português. Em primeiro lugar em termos substantivos e depois nos trâmites processuais. Na minha opinião são estes que impedem a justiça penal portuguesa de se desenvolver e progredir. Os processos em Portugal demoram muito tempo a serem julgados. São sempre muito complexos e além disso dá azo a que se possa recorrer. Não estou a dizer que deveriam acabar com os recursos. Mas penso que a forma como se pode recorrer, as matérias em que se pode recorrer, para além de outras questões são um entrave ao desenvolvimento da Justiça penal. Deveria haver limites e não recorrer-se por tudo e por nada. Em Portugal existem três instâncias: 1ªinstância,Relação e Surpremo. E ainda existe o TC. Ora é obvio que havendo muitas possibilidades de recurso os processos atrasam-se cada vez e os julgamentos são demorados. Enumerei alguns problemas da Justiça penal portuguesa. Muitos outros há. Apontei soluções plausiveis. Muitas outras há. Mas acima de tudo, o que deve estar presente no direito penal é de que "até sentença em contrário, todos são inocentes". Quando este principio não for respeitado, então já não estamos num Estado de Direito. Seja Social,Liberal ou democrático..............O importante é que é de Direito, e enquanto assim for estamos todos protegidos.

sábado, 20 de outubro de 2007

UE : A Reforma .............. Parte I

Começo aqui uma série de artigos sobre a UE e a Europa. Vão ser analisados vários temas. Daí a razão de ser dividido em várias partes. A Europa tem muito que se discutir e analisar. Não pode ser tudo metido no mesmo cesto. A primeira parte é sobre a reforma que se tem feito ao longo dos anos na Europa. Nestes 50 anos de Tratado de Roma têm se feito variadissimas reformas. Desde as instituições, fundos, alargamentos, Comunidade, Politicas. Enfim, tudo em prol de uma convergência de países que estão no mesmo espaço geográfico. Mas será que é isso que interessa para a UE? A grande Reforma da UE tem sido a do alargamento. Já critiquei várias vezes que é excessivo o numero de Estados-Membros. A 1 de Maio de 2004 cometeu-se um grande erro, que pode vir a ter custos graves num futuro muito próximo. Esse erro chama-se Turquia. Mas já lá vamos. É meu entender que a maioria dos Estados-Membros que aderiram á UE em 2004 ainda têm raizes soviéticas ligadas a si. Não é ser anticomunista, mas sim verificar que o Comunismo ainda impera no mundo (China , Russia e Cuba) e futuramente o mundo vai pagar caro estas tendências ideológicas. Não estamos a falar de três paises sem significado no mapa mundi. A China já se está a tornar uma potência e pode mesmo ultrapassar os EUA. A Russia foi e é uma aliada não assumida do terrorismo, nomeadamente Iraque,Irao e Siria. Para além de "confraternizar" com a Turquia. Quanto ao alargamento penso que não se deu um passo de cada vez. Não é estar contra os países de Leste. Acho que ainda não se adquiriu uma cultura europeia e dos valores que construiram a UE, que possam fazer parte do "grupo". Não tem que ser um "grupo" restrito. Em que apenas os "monstros" têm lugar. Não é isso. Tem que haver critérios (eu sei que há); mas critérios que assentam numa cultura europeia que se foi construindo ao longos dos séculos neste espaço. Por exemplo a cultura cristâ. Em minha opinião a construção europeia tem que ser feita mediante pequenos passos. E não dando passos maior que a perna. É o que está a tentar fazer. Em 2004 , entraram 10 novos países (maioritariamente oriundos de Leste, com democracias recenetes) , este ano a Bulgária e a Roménio aderiram. A Roménia? um dos países mais pobres da Europa. Sem qualquer visão social e politica? É um erro. Fala-se na Sérvia. A memória é curta e ninguém se lembra do que aconteceu com o Kosovo? General Tito? A reforma tem sido feito tambem nas instituições e nas politicas. Em termos de instituições foi dado um passo importante com o tratado de Lisboa. Sem duvida que o fim da rotatividade da presidência da UE pelos Estados-Membros é um bom sinal. Já nao havia condiçoes (em 27) para que tal continuasse a suceder. Em termos de medidas legislativas também há muito que fazer. O que resta é saber o que fazer em termos de politicas na UE.....................na parte II

Águia ferida ou Águia desiludida?

Venho fazer referência ao momento que o Sport Lisboa e Benfica atravessa. Não só a nivel desportivo mas essencialmente a nivel institucional. A nivel desportivo não podia estar mais depauperado. É com muita tristeza que vejo a equipa principal do Benfica a jogar mal. É inadmissivel aquilo que aconteceu no principio da época. Nunca se troca de treinador ao fim da 1ªjornada. Se fosse para mudar então que tivesse sido no final da época passada. Esta situação nem no Limianos se verificava. E penso que Camacho tambem nao é uma boa solução. Até pelas declarações que tem feito. No Benfica nunca se atira a toalha ao chão e ainda por cima nunca se elogia um rival como o FCP. Camacho tem que elevar o moral das tropas. Nunca dizer que o FCP é que joga bem e que vai ser impossivel apanhá-los. Não ha impossiveis no Benfica. A segunda critica é a politica de contratações. O plantel principal do Benfica tem 32 jogadores. Tem jogadores a mais. Ainda por cima vieram mais quatro com Camacho. E em Janeiro mais reforços..........................Nao percebo esta politica do clube. Há anos que é assim. Saem 20 , entram 20. O meio campo benfiquista tem muitos jogadores e depois só há dois pontas de lança de raiz. Estranho...................... Por estranho que pareça, apesar de alguns aspectos negativos, existem coisas positivas. O facto de finalmente no plantel principal aparecerem jovens oriundos da formaçao do Benfica. Nomes como Romeu Ribeiro, Miguel Vitor e Yu Dabao. Mas já circula na imprensa que vão ser emprestados em Janeiro. Isto porque, no mesmo período vão chegar á Luz mais reforços. Até lá vai ser uma onde de especulação sobre (mais) eventuais reforços. Parece me interessante a aposta que Camacho tem feito nestes miudos. Agora não é muito benéfico serem emprestados o resto da época. Para o ano ninguém se lembra deles........................... Outro problema relacionado com o futebol (o jogado na relva) é o facto do Onze titular benfiquista quase nunca ser o mesmo. Mais um problema a resolver. Há anos que é assim. Quanto ao problema institucional , já ando um bocado saturado de ouvir LFV a falar numa sucessão. E de esse nome ser Rui Costa. Porque não deixa o Presidente(não a minha escolha) ,o 10 benfiquista mostrar o seu verdadeiro valor dentro das quatro linhas? É que parece que Rui Costa só está interessado em jogar futebol. E até final ainda faltam muitos jogos.................que tal deixá-lo tranquilo? Vieira tem que estar preocupado com o seu mandato. Mais nada. O que vai acontecer daqui a uns tempos ninguém sabe. Tem que se preocupar com o momento actual da equipa de futebol(que não é nada bom). LFV gosta de desviar as atenções. Fala muito do apito dourado, da justiça desportiva, de Rui Costa, da FIFA. Mas nao está preocupado em resolver os problemas do Benfica. Que são muitos. E Vieira não pode embandeirar em arco como costuma fazer. Como foi no principio da época em que disse que este é o melhor plantel dos ultimos dez anos. Está á mostra de tudos que não é. Apesar de eu acreditar que os jogadores são bons e que é necessário tempo para se integrarem, devido á sua tenra idade. O plantel do Benfica daqui a 2 anos vai ser muito bom quando estes jogadores forem mais velhos. Mas se todos os anos existem muitas movimentações nas transferencias é impossivel manter a estrutura base do clube. Não é um problema de Miccoli e Simão terem saido. Quando estas duas referencias decidiram dar outro rumo á sua carreira, o clube não conseguiu arranjar substitutos á altura e contratou mais que um jogador para a mesma posição. Uma espécie de 2 em 1. O resultado revelou-se um plantel com 32 jogadores. É excessivo. O Benfica tem que fazer restruturações. Começando no seu Presidente. Ou cumpre e começa a trabalhar "a sério" até ao fim do mandato ou então penso que deveria sair. Já são promessas e erros a mais. Não aprendeu a lição que Trappatoni lhe deu. A partir do titulo de 2005, foram erros atrás de erros. Ou acerta com Camacho (espero que sim apesar de não gostar do tecnico espanhol) ou então pode fazer as malas. Mas será que Camacho fica para o ano que vem? Veremos................

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Olhares Indiscretos......

Será que um olhar vale mais que mil palavras? Penso que sim. Muitas vezes é através dele que se conquista uma pessoa. É que o olhar é misterioso. As palavras não. Com um olhar indiscreto podemos imaginar várias coisas. Se essa pessoa gosta ou nao de nós. Se está interessada ou não. As palavras dizem-nos tudo. Não podemos imaginar aquilo que uma pessoa verdadeiramente nos disse. Um olhar indiscreto tem bastante significado. Significa atracção e desejo de conquista. Um simples olhar pode matar-nos ou não. Ninguém sabe o que está por detrás de um olhar indiscreto daí o seu caracter misterioso e interessante. Penso que as relações se constroem com base no mistério. Sem mistério não há interesse. Pela parte que me toca sempre gostei de ser misterioso e nunca dar-me a conhecer totalmente. Sempre achei que ser misterioso é uma vantagem. Assim deixamos na cabeça e nos pensamentos dela um certa dúvida. É aí que os olhares indiscretos têm a importância na conquista. A duvida se existe ou não interesse e desejo. E termino como começei "um olhar vale mais do que mil palavras"

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Noite de Oscares na Tv portuguesa........

Hoje dia 19 de Outubro de 2007 começou a campanha para as legislativas 2009 do PSD. Dois actos marcam esta iniciativa. A primeira é a entrevista de Luis Filipe Menezes e a segunda é a eleição de Santana Lopes para lider da bancada parlamentar do PSD e consequente entrevista na SIC Noticias. Quanto á primeira , de realçar o facto de a entrevista de LFM ter sido sobre o país e nao ter feito qualquer referência ao PSD. Parece que as questões internas já ficaram para trás. É uma boa noticia. Será que é para durar? Menezes apresentou algumas alternativas e apontou certos caminhos. Trouxe novidades. O que é bom no PSD. Finalmente parece que ja temos mudança. Será que é para continuar? Questões como a baixa dos impostos, a Segurança Social, referendo sobre a regionalização(sou contra) ficou esclarecido na Grande Entrevista. A noticia mais relevante do dia foi a (ine)sperada eleição de PSL para lider da bancada parlamentar do PPD(como gosta muito de chamar). Nada de novidade. Era ja um facto que se anunciava. De registar é o facto de ser o primeiro ex-Primeiro Ministro que asssume tal cargo. É fantástico. PSL não quer sair da politica. Agora parece que ganhou novamento o "bichinho" pelos debates parlamentares. Será que Menezes e Santana Lopes nao prepararam antecipadamente a saída de Marques Mendes? É curioso PSL ser eleito lider de um grupo parlamentar que foi por si escolhido nas eleições legislativas de 2005. Coincidências............................ Nada será como dantes no PSD. No parlamento é PSL que dirige o Partido, fora dele é Menezes que tem as "preocupações sociais" que tanto fazia falta ao PSD de esquerda! Agora vamos ter animação. No parlamento PSL nao vai deixar Socrates respirar. Os debates mensais vao ser animados e vai haver muita picardia. Fora dele, é Menezes á porta de uma fabrica que fechou, de uma pastelaria ou de um centro de saude. A partir de agora, o partido vai poder ser utilizar as suas duas expressões: PPD- para Santana Lopes no Parlamento e PSD- para Menezes fora do Parlamento. Veremos qual deles é que ganha ao PS de (direita) de José Sócrates

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Doping...........a culpa morre solteira?

Foi hoje anunciado que o vencedor do Tour d França de 2006 é Oscar Pereiro. Acontece que o vencedor real, aquele que percorreu mais quilometros em menos tempo foi Floyd Landis. Então porque é que hoje foi atribuido a vitória a Pereiro? Porque segundo um contro anti-doping realizado no final da prova do ano passado (salvo erro) a Landis deu positivo. Este ano no Tour de France um dos lideres Michael Rasmussen, também controlou positivamente. O que se passa então, no mundo do ciclismo para que haja tantos casos destes? Será que é bom ou mau? de um perspectiva positiva, pode-se considerar que pelo facto de haver tantos controlos positivos, chega-se à conclusão de que os batoteiros estão a ser castigados. E o sistema está a funcionar. de uma perspectiva negativa, conclui-se que cada vez há mais "batoteiros" e a unica forma de ultrapassar as montanhas dos Alpes e dos Pirenéus é ter niveis de sangue superiores aos normais. Mas a culpa é exclusiva dos ciclistas? Não será que os directores desportivos(e até mesmo médicos) das equipas incentivam e (até ordenam) que os ciclistas se dopem? É uma questão interessante que se coloca. Porque no fundo, quem acaba por pagar é o ciclista. Em termos de imagem e mesmo criminalmente. Há uma questão de fundo. É impossivel alguém considerado "normal" dar a volta a França em bicicleta sem ter niveis de força superior aos normais. É óbvio que existem certos niveis permitidos. Ninguém coloca isso em causa. Mas o que se está a exigir de um ser humano é que ele seja um Super-Homem. É anti-humano o esforço que os ciclistas têm que fazer para subir determinadas montanhas...................ainda por cima dias seguidos com três semanas de prova. Se eu fizesse aquilo a pé, chegava lá cima e caia para o lado. Pura das verdades. Está a exigir-se aos ciclistas que façam os impossiveis. Tem que haver moderação e racionalismo nos dirigentes do ciclismo. E depois queixam-se que os atletas se dopem para ultrapassar determinados obstaculos. É uma questão que devia ser debatida e não culpar imediatamente os atletas, pois estes acabam por ser as principais vitimas............ Já viram o estado fisico dos atletas do ciclismo? Já viram o esforço que têm de dispender? o sofrimento? Eu acompanho o ciclismo e confesso que me dá me uma certa estranheza o estado fisico em que eles se encontrem. Ha que encontrar soluções e não culpar unicamente os ciclistas, pois acabam por ser as primeiras vitimas..........

A República de Sampaio

Sinto me na obrigação de deixar uma palavrinha a Jorge Sampaio. Ja se passaram quase dois anos sobre o fim do seu mandato em Belém mas gostava agora que tenho oportunidade de dizer uma breves palavrinhas. Jorge Sampaio sempre foi uma pessoa que me admirou. Pela sua personalidade, cultura,frieza,sentido de Estado e a forma como abordou os assuntos mais relevantes(em particular no caso em que foi envolvido no caso casa pia). Em minha opinião foi dos melhores Presidentes da Republica. Também nao me lembro muito de Soares devido á minha tenra idade. Seja como for, sempre me impressionou a compostura e a forma como Sampaio exerceu tão importante cargo. Sempre que Sampaio representava Portugal no estrangeiro havia sempre qualquer lição a retirar nessa viagem. Esteve sempre preocupado com os valores e os principios que deram origem a Portugal,ainda no tempo da Monarquia. Defendeu igualmente Portugal e "os portugueses". Nunca deixou de se preocupar com os seus conterrâneos. Nunca deixou que os interesses nacionais se sobrepusessem aos interesses de outros países. Penso que Sampaio foi um verdadeiro "patriota" à imagem de D.Afonso Henriques. Se houve pessoa que defendeu Portugal no mundo nos ultimos anos , essa personagem foi Jorge Sampaio. Para mim Jorge Sampaio foi sempre consensual. Procurou equilibrios e arranjar maneira de ambas as partes estarem satisfeitas. Militante do PS e ex-presidente da Câmara de Lisboa nunca privilegiou o Partido Socialista enquanto este teve no governo com António Guterres. Penso até que "andou" bastante em cima dele nos ultimos anos da sua governação. O caso mais "problemático" foi a destituição de Santana Lopes como Primeiro-Ministro. Em minha opinião , Sampaio agiu correctamente. Deu uma oportunidade á maioria PSD-CDS e esta não a aproveitou. Penso que o principal culpado é Durão Barroso. Nunca se larga um governo a meio de uma legislatura. Fosse qual fosse a razão. Voltando a Sampaio........ Deu as oportunidades todas a Santana Lopes e este não as aproveitou. Em minha opinião é injusto que se atribua a culpa ao Ex-Presidente da Republica. Tomou a decisão correcta. O país não podia continuar assim. Com serenidade e muita sapiência, Jorge Sampaio antes de tomar a decisão procurou um consenso no Conselho de Estado(orgão que eu acho devia ter mais poderes constitucionais). Outros casos mais mediáticos como o da casa pia e das escutas Sampaio esteve á altura. Não fez nenhuma perseguição política,não acusou ninguém em particular e apontou caminhos que solucionavam os problemas que atormentam a Justiça(noutro post, apontemos esses problemas). No caso das escutas que é paralelo a este, Jorge Sampaio esteve á altura. Na minha visão, Sampaio faz falta ao país. Depois de Salazar, Cavaco penso que Jorge Sampaio tem lugar no quadro dos grandes politicos portugueses. Um grande politico e um excelente Homem. Portugal perdeu muito com a sua saída(devido a entraves constitucionais que nao consigo aceitar.................). Deveria regressar á politica e candidatar-se a Primeiro-ministro. Por certo seria dos melhores e sem dúvida que arranjaria soluções para o país. É certo que isso não vai acontecer. O tempo de Sampaio na politica portuguesa já lá vai. Mas é por ser um grande Homem que Jorge Sampaio é hoje Embaixador da ONU na luta contra a tuberculose. Só um grande homem como ele poderia ocupar um cargo de tão elevada responsabilidade. Até mais importante que o de Presidente da Republica. No seu novo cargo estão em causa situações humanitárias. Sampaio poderia refugiar-se e deixar de ajudar os outros. Poderia de vez em quando aparecer como Ex-presidente da Republica. Mas não. Quis ajudar os outros e mostrar que ainda pode ser util á Humanidade. Deu o seu contributo para uma causa tão nobre. É assim Jorge Sampaio.....um homem de causas

Justiça e Direito Parte I

Vou falar-vos um bocado nesta primeira parte sobre aquilo que eu penso sobre a Justiça e o Direito, não no nosso país mas de uma maneira generalizada. Em primeiro lugar gostava de realçar que para mim o Direito é uma forma de salvaguardas os interesses e liberdades de cada individuo. O Direito existe para que a pessoa se sinta protegida. Protegida por uma lei, por regras, por normas que regulam a vida em sociedade. As normas que foram criadas não são para "atacar" o cidadão mas para protegê-lo. O direito pode ser usado em diversos sentidos. Em sentido objectivo e subjectivo. O objectivo é o Direito das leis, das normas e das regras. Aquele que rege a vida em sociedade, que nos "guia". Em sentido subjectivo é o direito natural. Que nasce do facto de sermos pessoas. Se somos pessoas, logo temos direito. O Direito tal como a Justiça tem que olhar para as questões sociológicas. Não se pode alhear do mundo à sua volta. Tem que se adaptar ás circunstâncias que regem a vida em sociedade. A sua aplicação tem que ser ponderada consoante as vivências do caso concreto. Não é possivel a aplicação da lei com base numa interpretação "facciosa" da lei. É aí que entra a Justiça(mais tarde falaremos dela na parte II). O Direito tem que "olhar" o mundo à sua volta e agir consoante o caso em concreto e mais justo possivel. Nunca defendi a aplicação do direito com base exclusivamente naquilo que a lei diz. É preciso atender ás situações sociológicas em que a situação se desenrolou................... (continua)

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Palavra de Lobo.....

No seguimento do Campeonato do Mundo de Rugby 2007 venho aqui fazer uma homenagem aos Lobos. Não tanto pelo seus resultados(ja eram esperados) mas pela sua atitude. Confesso que nunca apreciei rugby. Sempre achei o jogo um bocado esquisito e violento. A minha opinião mudou desde que vi o primeiro jogo de Portugal contra a Escócia. Fascinou-me a maneira como 30 jogadores se entregam ao jogo. É uma verdadeira luta. Grande espirito de equipa e ensaios espectaculares. Quanto aos nossos LOBOS achei a atitude magnifica. A entrega e o espirito de sacrificio que deixaram em campo deixou-me orgulhoso. Deve ser sempre assim. Foi uma lição para a selecção de futebol. O espirito deve ser assim no desporto de na vida. Um espirito de luta,entrega,sacrificio,querer, acreditar. O facto de Portugal ser uma selecção 100% amadora não inibiu os nossos jogadores. E neste particular uma palavra para Tomaz Morais. É um verdadeiro lider. Nao é só um treinador é um líder. Quem viu a actuação dos nossos jogadores, ficou certamente com vontade de imitar a sua atitude na sua vida profissional e pessoal. Sem raça, vontade,querer e acreditar nada se consegue na vida. E foi o exemplo que os Lobos quiseram mostrar a país em primeiro lugar e depois ao Mundo. Foi uma demonstração que vai ficar na memória de cada um. Foi um bom exemplo Parabéns aos Lobos

domingo, 14 de outubro de 2007

PSD :de Julho até ao Congresso

O PSD viveu meses agitados desde as eleições em Lisboa em Julho de 2007. s Desde esse dia até hoje(dia em que terminou o congresso) que os sociais-democratas andam em sobressalto. A indefinição em torno da questão do lider fez com que o Governo do PS estivesse sem oposição durante quase todo o verão. A partir do momento em que PSD teve a estrondosa na Câmara de Lisboa, houve uma verdadeira luta pela presidência do partido. Marques Mendes(na altura presidente) e Luis Filipe Menezes(eterno candidato e hoje eleito presidente) são dois excelentes militantes do PSD e que tiveram um papel importante na vida do PSD. Cada um com o seu estilo, forma,discurso. Não se pode é desvalorizar o papel que ambos tiveram no crescimento politico e social do PSD. O combate para a liderança do PSD foi vazio. Muitos insultos, ataques e pouca discussão sobre os temas que preocupam verdadeiramente o país. Temas como a saude, educação,segurança, questões europeias e economia ficaram um bocado esquecidos. As pessoas querem saber destas temáticas porque são as que estão na ordem do dia. Que soluções tem Menezes e Mendes para cada uma destas temáticas? Que diferenças os dois apresentam? Que alternativas têm em relação ao governo? Foram estas questões que ficaram um bocado esquecidas, embora a Comunicação Social tenha culpas no cartório pois raramente passam estas mensagens. Só se preocupam com as tricas. Na minha opinião, penso que houve da parte dos candidatos uma certa preocupação em não prejudicarem a sua própria imagem. Ambos quiseram passar uma mensagem de tranquilidade, de uma segurança em como iam ganhar, de confiança. Mas como sabemos há sempre uma parte intranquila. E nesta questão penso que Menezes ganhou pontos. Teve sempre uma atitude serena, tranquila e passou uma mensagem de confiança que Mendes não conseguiu passar. Outra situação importante foi a forma como os dois se dirigiram ao eleitorado do PSD. Aqui Menezes ganhou claramente. O autarca falou para os militantes do PSD. O antigo lider nem por isso. Esteve mais preocupado em "atacar" o governo do que em procurar soluções para o futuro do partido. Realizadas as eleições e tendo ganho Menezes abriu-se claramente um novo ciclo no PSD e na vida politica nacional. A partir de agora nada será como dantes, até porque se Santana Lopes for eleito lider da bancada parlamentar, vamos assistir a uma verdadeira "cavalgada politica". Ora vejamos........ O governo nao vai mudar a sua politica. Sócrates está cerrado por Menezes e por ventura,Santana Lopes. Vai ter que se preocupar com dois! Um no parlamente e outro fora. Quando forem os debates parlamentares, vai haver sempre picardias. Vai-se assistir a uma autêntica troca de mensagens entre os dois gigantes. Menezes estará fora a observar: tanto Socrates como Santana. Se vai estar em cima de Socrates por causa das suas politicas erradas, irá controlar Santana para verificar se este segue a sua linha. E para saber se este irá ter maior protagonismo que Menezes. Porque o Parlamento é um palco bastante importante para se ganhar protagonismo. É aí que Menezes pode perder um pouco. Não ter palco para actuar e debater com Socrates. Até 2009 nao vai haver um unico debate entre Menezes e Socrates. Menezes tem que fazer aquilo que prometeu na campanha. Tem que governar á esquerda. É aí que vai buscar os votos que o PSD perdeu em 2005. Se Menezes governar á esquerda pode ter uma hipotese em 2009. Se este governo começa a ter problemas sociais, então é a altura para Menezes não "olhar a direito" mas á "esquerda". Foi por isso que ele ganhou as eleições no PSD. Os militantes querem alguém que se preocupe com questões sociais e que directamente chegue ás preocupações das pessoas. É por aí que Menezes vai. Até 2009 vamos assistir a um combate politico interessante. O XXX congresso do PSD prometeu um partido aguerrido, lutador e com novas ideias. Vamos ver se é o que vai acontecer. O PSD mudou de rumo e de politicas. Será que voltamos aos tempos de Sá Carneiro? Se sim, quem fica com a Direita?

Olhar a Direito.......

Nasce hoje dia 14 de Outubro de 2007 o OLhar Direito. Há bastante tempo que pretendo ter um sitio para escrever e poder dar a minha opinião livremente e onde as pessoas podem saber das minhas tendências e preferências. Não é um blogue pessoal(para isso tenho o Hi5) e por isso o que vou aqui escrever tem tudo a ver menos comigo. Tem a ver com situações que vão acontecendo no dia a dia. Desde querelas politicas,algumas injustiças de tudo um pouco. Decidi criar um blogue porque pretendo mudar. Com a minha opinião, a partir de agora, sou mais um a contribuir para a mudança e para que a nossa sociedade seja cada vez melhor. Pretendo que conheçam a minha opinião sobre os acontecimentos do dia-a-dia e quero também que vocês dêem a vossa opinião, e contrariem a minha. Só assim podemos realizar um debate sério e franco para que a nossa sociedade melhore a cada dia que passa. Neste blogue vão encontrar opiniões sobre politica, internacional,economia, desporto,ciencia e aspectos que marcam a actualidade da nossa sociedade. Espero que ao visitarem o Olhardireito se complementem e tenham mais uma fonte de informação .
Saudações Francisco Castelo Branco
Share Button