Etiquetas

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

UE Parte VI: Tratado de Lisboa

Considero que hoje é um dia histórico para Portugal.
Pela primeira vez na história da UE, a nossa capital vai dar nome a um tratado Europeu.
Este facto, só por si é inédito.
Que implicações tem este Tratado no futuro da Europa?
Com o Tratado de Lisboa, vai haver maior flexibilidade em termos instituicionais. Estas vão ser menos dependentes umas das outras, e cada uma delas vai ter o seu papel especifíco.
A votação vai deixar de ser por unanimidade. Está consagrado o regime da Dupla Maioria, que prejudica os Estados mais pequenos.
É nas relações externas que este Tratado vai mudar. Existirá uma maior cooperação entre os Estados-Membros. Os conflitos armados serão resolvidos em conjunto pelos 27. Não existe a possibilidade de haver situações parecidas como aquela que se viveu aquando da Guerra no Iraque.
Foi dado um passo importante para a construção europeia. Não vai ficar por aqui.
Mas este dia já é histórico. Lisboa ficará agora no mapa europeu.
Será uma espécie de "capital europeia" até à celebração de um novo tratado.
Agora resta saber de que forma será ratificado o tratado.....
O que fica no ar é saber se com a assinatura de sucessivos tratados não estaremos a caminhar para uma Europa federalista onde o centro de decisão será Bruxelas..............
Este dia abriu portas a uma Nova Europa e também a Portugal......
O que acham deste 13 de Dezembro de 2007?

5 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

A mim pareceu-me um dia normal, quer dizer tivemos a assinatura do tratado europeu, que de facto é importante, o que eu espero é que seja o dia onde se começou a contagem decrescente para o dia do referendo a esse mesmo tratado, depois de rectificado ai sim podemos dizer que começou outra vez a Europa.

Marco Daniel Leite disse...

Creio que mais importante do que termos um Tratado Europeu denominado de Lisboa, é ser notório o "srint" que foi necessário fazer para aqui chegar.

Apresar de discordar muitas das vezes com a forma de actuação política de Sócrates, honra lhe seja feita porque foi graças à sua inteligência política e à sua determinação que o texto foi assinado em Lisboa. Mas não nos esqueçamos que a mudança da conjectura política foi também um factor determinante. Falo muito em concreto das eleições na Polónia. País que passou de maior força de bloqueio quanto à obtenção de um entendimento a agora pretender ser o primeiro Estado a ratificar o Tratado.

O novo Tratado mais do que um marco, é um instrumento muito útil para agilizar processos no seio da União. Ultrapassados os obstáculos jurídicos, surgem os obstáculos políticos, nomeadamente o "problema" Turquia.

Julgo que devemos encarar com serenidade o futuro, pois só assim tiraremos as devidas ilações do que 13 de Dezembro de 2007 irá mudar na Europa.

quintarantino disse...

Eu ainda quero mais Europa.

Francisco Castelo Branco disse...

Tiago, a mim pareceu-me um dia diferente.
Até pela forma como estava "enfeitada" a cidade.
Quanto ao referendo, acho que uma consulta popular esclarecia melhor as pessoas

Francisco Castelo Branco disse...

Marco concordo contigo em quase tudo.
Nomeadamente na questão da Turquia.
Este tratado também poderá resolver a questão turca que aqui já foquei.
O ponto positivo para mim deste tratado, é como tu dizes, simplificar os processos dentro da própria UE

Share Button