Etiquetas

domingo, 16 de dezembro de 2007

Sistema Pluralista ou Bipartidário?

O nosso sistema politico deve ser de apenas dois partidos ou pluralista?
O sistema bipartidário comporta vantagens como a "facilidade" de entendimento entre os dois partidos e a rápida resolução de questões de interesse nacional.
Num regime de dois partidos, tudo o que tivesse relacionado com o processo legislativo seria mais democrático. Isto é, haveria um "entendimento politico" na feitura das leis. O diploma era analisado e votado consoante aquilo que os dois partidos decidissem.
É natural que este sistema seja considerado anti-democrático. Haveria um défice democrático. Pois só se poderia votar naqueles partidos.
Quanto ao sistema pluralista, comporta riscos de uma diversidade excessiva de partidos politicos. Sabendo de antemão que as ideologias nos tempos que correm, são praticamente as mesmas.
É excessivo o numero de partidos com assento na AR. Há o risco de não haver unanimidade na feitura das leis. Na sua resolução e aprovação.
O que é necessário, é haver consenso e não constantemente diferenças.
É naturalmente o sistema mais democrático. Com ele, conseguimos escolher aquele partido com que mais nos identificamos, sem necessidade de optarmos por um partido politico porque "sim".
Tanto o sistema pluralista como o bipartidário podem servir para o sistema português.
Mas sendo a sociedade portuguesa bastante dividida e não tendo um "partido" que apoie do principio ao fim, não seria o sistema pluralista o mais adequado?

4 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Escrevi sobre o assunto ontem, totalmente a favor de um sistema pluripartidário, um sistema em que permita todo o tipo de movimentos e pensamentos distintos.

A ser aplicado em Portugal só dois partidos, neste caso PS/PSD ficávamos é um um sistema de um único partido, é que as diferenças entre eles são poucas.

quintarantino disse...

Pluripartidário...
para ser bipartidário, seria necessário que existisse a coragem de não se ser cinzento!

Francisco Castelo Branco disse...

Daí, Tiago que seja necessário (ou não) criar um sistema bipartidário.
Era menos confusão e havia maior concordância nas questões...

manfredo goes disse...

Essa corrupção generalizada, com a "cultura" do "toma lá dá cá", é apoiada por esse multipartidarismo, onde o gestor precisa "negociar" com todos os outros partidos, vendendo votos para aprovar leis e poder governar, mas incentiva a corrupção.

Share Button